OAS tentará fechar acordo de leniência com CGU

OAS se reunirá com CGU para tentar fechar acordo de leniência. Pelo cálculo da empresa, multa seria hoje de R$ 1,4 bilhão.

Léo Pinheiro  (Foto: Aquiles Lins)

Folha de S. Paulo - Por Mônica Bergamo

 

A OAS se reúne nesta quinta (19) com a CGU (Controladoria Geral da União) para tentar fechar acordo de leniência. Pelo cálculo da empresa, a multa seria hoje de R$ 1,4 bilhão. O valor final, no entanto, será definido pelo órgão.

A construtora se reúne com a CGU na mesma semana em que o ex-presidente do grupo Léo Pinheiro deixou a prisão para cumprir pena em casa. O acordo de delação premiada dele foi homologado pela Justiça na semana passada.

Com a leniência, a companhia espera virar a página da Lava Jato e voltar a ter acesso a financiamentos no mercado privado. O acordo afastará a possibilidade de que ela um dia seja declarada a inidônea.

A construtora chegou a ter 120 mil empregados em 2014, no auge do período de investimentos em infraestrutura no Brasil. Agora, tem 15 mil.

O gasto geral também foi reduzido, de R$ 700 milhões por ano para R$ 42 milhões. E o faturamento, de R$ 5,7 bilhões para uma estimativa de R$ 1,2 bilhão.

O próximo passo, ainda em estudo, pode ser a mudança do nome e a criação de uma nova marca para a empresa.

Publicado em: 19/09/2019