Senador anuncia derrocada de Roraima

Por Márcio Accioly

“O presidente Bolsonaro, que demonstra ter tanto carinho por Roraima, deveria ir ali mais vezes e verificar que a situação está se agravando. Não há como seguir nesse ritmo. Em algum momento, teremos a ruptura e o caos irá se estabelecer”. O alerta, aflitivo, é do senador Mecias de Jesus que exige ações emergenciais do governo federal.

O número de refugiados que entra diariamente pela fronteira tem aumentado. Logo no início da crise venezuelana, a maré humana que fugia para Roraima era calculada numa média diária de 800 pessoas. Agora, este número deu um pulo e já alcança a cifra diária de 1.200 almas.

Como consequência, instalou-se o caos na capital roraimense. Hospitais lotados e doenças contagiosas, que são disseminadas, fazem com que o risco de instauração de ciclos epidêmicos venha a se concretizar. A chamada “ajuda humanitária”, acionada pela ONU, bem como recursos financeiros do governo federal, têm sido insuficientes.

De acordo com Mecias de Jesus, “quem vai ao estado com frequência, como é o meu caso, nota de imediato mudanças cruciais de uma semana para outra: é o grande número de pessoas dormindo nas ruas, o movimento intenso nos hospitais, o aumento de assaltos e crimes em geral, além de quantidade interminável de pedintes e miseráveis”.

Ele tem convidado senadores e deputados federais a visitarem Boa Vista, para atestarem in loco o que está acontecendo. Mas vem mantendo contato, sobretudo, com ministros e membros da administração federal, a fim de que ajam de forma emergencial e impeçam o colapso administrativo e social de Roraima.

A situação é gravíssima e não existe como descrevê-la, a não ser sentindo o drama pessoalmente, diz Mecias. “Não é exagero afirmar que o estado se encontra em agonia e que toda a sua organização irá desmoronar se não se tomarem providências agora, de imediato, que deveriam ter sido tomadas ontem”, concluiu o senador.

Publicado em: 19/08/2019