Coluna deste sabadão na Folha

Fim do racionamento é incerto

Nove barragens administradas pela Compesa acumularam muito mais água do que se previa com as chuvas que desabaram no Recife, Região Metropolitana, Zona da Mata e Agreste. O reservatório que mais acumulou a dádiva caída do céu foi Mundaú, em Garanhuns. Sua capacidade de armazenamento passou de 1,969 milhão de metros cúbicos para 2,278 milhões.

A barragem de Pirapama, que abastece Recife, teve seu volume de água elevado para 100,1%. Diante de notícia tão boa, a pergunta que mais se ouve é se a Compesa vai melhorar o abastecimento em municípios atingidos por um rigoroso sistema de racionamento.

Falando, ontem, no Frente a Frente, o presidente da estatal, Roberto Tavares, disse que já se reuniu com o governador Paulo Câmara e recebeu dele o aval para fazer um novo cronograma de abastecimento nas cidades que sofrem sem água na torneira, com revezamento de até um dia com água e dez sem. Mas ressaltou que agirá com cautela.

Quadro otimista – A barragem de Siriji, em Vicência, Zona da Mata, atingiu 101,9% da sua capacidade de armazenamento, estando agora com 17,580 milhões de metros cúbicos. Outra surpresa foi a barragem de São Jacques, em Canhotinho, no Agreste, que pode acumular até 404 milhões de metros cúbicos e chegou agora a 415 milhões de metros cúbicos. No Sertão, não há notícia de sangramento exagerado.

Hakheado – O prefeito de São Joaquim do Monte, no Agreste, Joãozinho Tenório (PSDB), teve, ontem, a sua conta na rede social Telegram invadida por hackers da mesma forma que o ministro da Justiça, Sérgio Moro. Segundo ele, os invasores postaram insistentes mensagens pedindo dinheiro. A ação maléfica dos hackeadores também foi estendida ao Nordeste.

Empresário – Sumido desde que perdeu a eleição para governador em 2018, o ex-senador Armando Monteiro Neto (PTB) coloca, aos poucos, sua colher na sucessão do prefeito Geraldo Júlio (PSB). Recebeu em sua casa de Boa Viagem lideranças do bloco de oposição para discutir um nome novo, fora dos tradicionais, que possa causar um impacto, provavelmente um empresário.

Rabo da gata – O prefeito de Taquaritinga do Norte, Ivanildo Mestre, o Lero (PL), mergulhou o município numa crise financeira sem precedentes, vive sumido e aparece no rabo da gata nas pesquisas de intenção de voto para reeleição. Até o Palácio, de quem é aliado, não ignora o quadro.

Vice na frente – Já em São Lourenço da Mata, o quadro não é diferenciado. Pesquisas recentes mostram que o preferido na corrida municipal é o vice-prefeito Gabriel Neto (PL), rompido com o trabalhista. Neto deixa para trás o prefeito Bruno Pereira e Vinicius Labanca, de tradicionais famílias políticas.

MODERADO – Se depender de Paulo Câmara, a reunião da próxima segunda-feira, em Salvador, os governadores do Nordeste não devem ir para o confronto com o Governo Federal. Mas quem quer guerra, na verdade, é o anfitrião Rui Guerra (PT), que negou segurança a Bolsonaro em Conquista.

Perguntar não ofende: A briga dos governantes do Nordeste é a reedição da briga de Davi contra Golias?

Publicado em: 26/07/2019