Coluna desta terça na Folha

Felipe pode prejudicar João

Embora o Conselho de Ética do PSB tenha aberto, ontem, processo de punição contra os 11 deputados que votaram a favor da reforma da Previdência, a tendência é que o castigo seja atenuado. Quem manda, hoje, no partido, é o núcleo pernambucano, liderado por Paulo Câmara e Geraldo Júlio, que já defenderam para Felipe Carreras tratamento diferenciado em relação aos demais rebeldes.

Por que tal distinção? Evitar a fuga de Carreras para outra legenda é manter intacta a pré-candidatura de João Campos à Prefeitura do Recife. Tão logo se confirmou o posicionamento firme do deputado no plenário da Câmara, lideranças de outros partidos passaram a assediá-lo.

A oposição não tem um nome em potencial para enfrentar João e por isso mesmo Carreras, se vier a tamanho impasse que o leve a ser afastado do PSB, se transforma, automaticamente, no adversário que o PSB não esperava na sucessão de Geraldo Júlio.

Só advertência – O presidente do Conselho de Ética, Alexandre Navarro, é pernambucano, cria do ex-governador Eduardo Campos. Mora em Brasília há muito tempo, trabalhou no Ministério da Ciência e, hoje, é fiel escudeiro do prefeito Geraldo Júlio. Seu parecer, portanto, não será pela expulsão dos 11 deputados, mas por uma simples advertência, ou seja, nem um cartão amarelo.

Pelo diretório – Os deputados objetos de processo no PSB têm até 10 dias para suas defesas junto ao Conselho de Ética. O parecer do presidente Alexandre Navarro vai à votação por um colegiado amplo, o diretório nacional, e não pela executiva nacional. Tem parlamentar afirmando que não aceitará nenhum tipo de punição, nem mesmo advertência. Problemão para o partido.

Injeção – Nos próximos dias, no embalo da aprovação da reforma da Previdência, o Governo deve anunciar uma série de medidas para injetar dinheiro da economia, como a liberação do FGTS e o programa de privatizações. Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, estão decididos a aprovar projetos que beneficiem o Governo Federal com recursos de curto prazo.

Defesa – O deputado Alberto Feitosa, coordenador da Frente Parlamentar da Execução dos Orçamentos Federal e Estadual, tem sido um grande defensor das bandeiras municipalistas. Depois de cobrar ao Governo a liberação das emendas, defendeu, ontem, um cronograma para pagamento do FEM.

Fortalecido – Depois do estrondoso São João que promoveu em Gravatá, o prefeito Joaquim Neto (PSDB) virou um bicho papão para a oposição. Se já estava forte, passou a ser apontado como imbatível na disputa pela reeleição. Até agora, não surgiu na oposição um nome competitivo.

POPULISMO – Nem o secretário estadual de Meio Ambiente, Antônio Bertoti, nem mesmo administrador de Fernando de Noronha, Guilherme Rocha, meteram a colher na manifestação populista de Bolsonaro de acabar a taxa paga por turistas na ilha. O Governo emitiu uma nota dizendo que a taxa é federal.

Perguntar não ofende: E Carlos Bolsonaro vai ser indicado para qual Embaixada?

Publicado em: 15/07/2019