Coluna desta sexta na Folha

Expulsão e devolução de dinheiro

A insubordinação dos 11 deputados do PSB favoráveis à reforma da Previdência, na contramão do diretório nacional, que exigiu o voto contra, pode resultar num preço bem mais amargo aos infiéis, além da expulsão: a cassação dos seus mandatos. Especialistas em questões internas de partidos, ouvidos ontem pela coluna, afirmam que os parlamentares cometeram uma espécie de adultério com o PSB.

A decisão de dar um não às mudanças nas regras de aposentadorias foi tomada por um colegiado mais amplo do que a executiva, o diretório nacional, composto por mais de 300 filiados no País inteiro. Se a recomendação pelo não foi consensual, os que representam o PSB na Câmara, segundo esses mesmos especialistas, teriam que se curvar e votar não à reforma.

Ouvido no programa Frente a Frente, ancorado por este blogueiro, o presidente nacional socialista, Carlos Siqueira, disse que vai levar as representações já movidas contra o grupo dos 11 para abertura de processo no Conselho de Ética. O bicho promete pegar.

Lista dos infiéis – Além do pernambucano Felipe Carreras, 10 parlamentares não seguiram a orientação do PSB e votaram, quarta-feira, a favor da reforma da Previdência. Veja a lista: Átila Lira (PI), Emidinho Madeira (MG), Felipe Rigoni (ES), Jefferson Campos (SP), Liziane Bayer (RS), Luiz Flávio Gomes (SP), Rodrigo Agostinho (SP), Rodrigo Coelho (SC), Rosana Valle (SP) e Ted Conti (ES).

E Tábata? – Já no PDT, os traidores foram oito, entre os quais a que mais chamou atenção da mídia foi Tábata Amaral, especialista em educação. O presidente nacional, Carlos Lupi, que é carne de pescoço, anunciou, ontem, que vai abrir processo de infidelidade partidária contra todos eles. Mas depois amenizou o discurso em relação a Tábata, estrela pedetista na Câmara.

Bem na foto – O líder do PSD na Câmara, o pernambucano André de Paula, deu uma demonstração de força dentro do seu colegiado: dos 36 paramentares da bancada na Casa, 34 seguiram a sua orientação votando a favor da reforma da Previdência. As duas exceções eram votos irremovíveis: Wladimir Garotinho (RJ), filho do ex-governador Anthony Garotinho, e Expedito Neto (RO).

Reação imediata – Os 11 deputados do PSB que votaram a favor da reforma da Previdência ensaiaram, ontem, uma rebelião contra o presidente da legenda, Carlos Siqueira. Diante da ameaça de expulsão, vão testar destituir Siqueira do comando partidário. Acham que ele radicaliza.

Improbidade – Em entrevista ao Frente a Frente, o advogado Carlos Neves, aprovado, ontem, por 41 votos na Alepe para substituir João Campos no TCE, se manifestou favorável a reformas na lei da improbidade administrativa, que não distingue as penalidades, com iguais punições para crimes distintos.

FARRA – O MP de Contas pegou no pé do Governo do Estado e pediu o cancelamento da contratação do buffet que seria servido nos camarotes do Festival de Inverno de Garanhuns. O valor a ser gasto seria de R$ 181 mil. Para tempos tão bicudos, uma farra sem justificativas.

Perguntar não ofende: Por que Felipe Carreras se rebelou contra o PSB? Quer ser candidato a prefeito do Recife?

Publicado em: 11/07/2019