Coluna desta sexta na Folha

André reflete mudança de poder

Um ano após a morte do ex-presidente da Assembleia, Guilherme Uchôa, o ambiente na Casa mudou radicalmente. Uchôa costumava assumir sozinho o protagonismo e negociava pessoalmente com o governador Paulo Câmara. Com ele, havia pouco espaço para o plenário ter papel decisivo.

Na era Eriberto Medeiros, aos poucos o plenário foi se expressando através do núcleo duro formado pelos deputados Waldemar Borges, Alberto Feitosa e Claudiano Martins, tudo bem articulado com o presidente. A nova configuração tem dado muita dor de cabeça ao governador e se manifestou desde a emenda do orçamento impositivo.

O auge da nova relação se consolida agora com a escolha do novo conselheiro do TCE. O quarteto – o trio e mais Eriberto – não aceita um nome exclusivamente do governador e já colocou André Campos como alternativa, o que, segundo antecipei, ontem, teria sido aceita pelo governador.

Risco de arranhões – Um fator ainda que pode gerar desdobramentos imprevisíveis na nova relação Governo X Assembleia: incluído no triunvirato, o deputado Waldemar Borges (PSB) é casado com a vice-governadora Luciana Santos, presidente nacional do PCdoB. Qualquer pisada em falso, pode ocasionar arranhões no casamento do PSB com o PCdoB não apenas no plano local, mas nacional.

Água no chope – O ex-prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), teve suas contas de 2013 aprovadas com ressalvas pelo TCE, mas coube ao Ministério Público de Contas, órgão do próprio tribunal, rejeitar em seguida. Quem botou água no chope de Queiroz foi o procurador Cristiano Pimentel, que entendeu que o ex-prefeito não investiu em educação os 25% exigidos por lei.

Tragédia maior – Jornalistas presentes, ontem, em Aracaju, no evento em que o empresário Sadi Paulo Castiel Gitz, 70 anos, suicidou-se dando um tiro na sua boca depois de culpar o governador Belivaldo Chagas pela crise da sua empresa de gás, ficaram com a impressão de que, antes de se matar, ele atiraria no governador. Sadi estava depressivo e deixa cinco filhos.

Irregularidades – O Ministério Público identificou irregularidades na gestão da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), em processos licitatórios para compra de quentinhas e locação de veículos. Uma empresa chegou a locar um caminhão caçamba ser ter o veículo.

Caos – Na primeira coletiva depois de empossada, a prefeita interina de Camaragibe, Nadegi Queiroz (DC), disse, ontem, que encontrou terra arrasada herdada pelo ex-prefeito Demostenes Meira (PTB), preso no Cotel: R$ 17 milhões de dívidas e apenas R$ 3 milhões em caixa.

ATÉ O PAPA? – O Papa Francisco botou mais pimenta na crise brasileira, ontem, ao gravar um vídeo sinalizando condenação a Sérgio Moro. Disse ele: “Os juízes devem seguir o exemplo de Jesus, que nunca negocia a verdade. Os que administram a justiça têm que operar com integridade”.

Perguntar não ofende: O Papa tem direito de meter a sua colher em assuntos internos do Brasil?

Publicado em: 04/07/2019