Coluna desta quinta na Folha

O moderno Coronel Quelê

Figura lendária, patriarca do clã Coelho, em Petrolina, o empresário Clementino Coelho, mais conhecido como Coronel Quelê, entrou para a história como o pai que mais fez herdeiros na política: Augusto, prefeito de Petrolina; Nilo, governador; Gercino, deputado federal pela Bahia; Oswaldo, deputado federal; Geraldo, deputado estadual e prefeito de Petrolina; José, prefeito e suplente de senador e Paulo, pai do senador Fernando Bezerra Coelho.

Nenhum deles, entretanto, conseguiu reproduzir a façanha do pai. Oswaldo elegeu Guilherme, que está fora da política; José fez Ciro estadual. Os Coelho se esvaziaram depois da morte de Nilo, mas nos tempos atuais quem se encaixa, perfeitamente, ao perfil do Coronel Quelê é, sem dúvida, Fernando Bezerra, que elegeu em tempos tão bicudos três filhos: Miguel, prefeito de Petrolina; Fernando Filho, deputado federal, e Antônio Coelho, o caçula, deputado estadual. É o Coronel Quelê dos novos tempos.

Olho no filho – Não me causou surpresa a nota da viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, negando que tenha qualquer interesse em ocupar no TCE a vaga aberta com a morte do conselheiro João Campos. Discreta e reservada, Renata prioriza, na verdade, o projeto do seu filho, o deputado federal João Campos, candidato do PSB à sucessão do prefeito Geraldo Júlio.

Toma-lá-dá-cá – Os deputados fisiológicos da base do Governo empancaram, ontem, a votação do parecer sobre a reforma da Previdência. Tudo porque o Planalto prometeu e não cumpriu a liberação de R$ 10 milhões em emendas na fase em comissão e R$ 20 milhões para as suas excelências que votarem favorável no plenário da Câmara, não se sabe quando.

Coringa – O advogado Márcio Stefanni é o coringa do Governo Paulo Câmara. Depois de comandar as secretarias da Fazenda, Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Turismo, além de presidir Suape e a AD-Diper, assumiu a diretoria-geral do Prorural. Funcionário de carreira do BNDES, Stefanni morava no Rio quando Eduardo Campos o “sequestrou”.

Se a moda pega – A justiça brasileira é mesmo uma caixinha de surpresas. A de Brasília permitiu, ontem, que o senador Acir Gurgacz (PDT-RO), que cumpre pena em regime aberto por crime contra o sistema financeiro, possa gozar férias num resort da Ilha de Aruba, no Caribe.

Paulista – A sucessão do prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), que vive a fase balança, mas não cai, vai entrar para o Livro dos Recordes: já estão no páreo nada menos do que 18 pré-candidatos, mas dizem que Matuto ainda tem amplas chances de emplacar seu herdeiro.

INELEGÍVEL – Em Afogados da Ingazeira foi difundido que o prefeito José Patriota (PSB), presidente da Amupe, poderia disputar a Prefeitura de Tabira. O TSE, entretanto, pôs fim aos prefeitos itinerantes, com jurisprudência ratificada pelo Supremo Tribunal Federa l (STF).

Perguntar não ofende: Os convidados de Bolsonaro para viagens internacionais não são vistoriados?

Publicado em: 26/06/2019