Londres comovida

Por Ângelo Castelo Branco

Há dez anos, estava em Londres e a morte de Michael Jackson se espalhou rapidamente. O inesperado morto ia fazer um show numa arena londrina dali a alguns dias e pontos de vendas de ingressos anunciavam o evento.

Em Trafalgar Square, sob a perplexidade da coluna memorial dedicada ao almirante Nelson, as pessoas formaram um grande círculo onde acendiam velas e cantavam as musicas de Michael embaladas por um aparelho de som que surgira do nada.

Uns acendiam suas velas nas chamas das outras e logo formavam um comovente cenário de fãs manifestando um sentimento incomum aos meus olhos de londrino amador. E assim fluiu aquele dia na cidade de Elizabeth, a minha rainha predileta.

Publicado em: 25/06/2019