Coluna desta segunda na Folha

Sementes sagradas do afeto

A morte do conselheiro João Henrique Carneiro Campos, de apenas 49 anos, abalou a sociedade pernambucana. Discreto e reservado, João nasceu numa família de intelectuais: seus pais Renato e Pompeia, o avô Doutor Albino, grande psiquiatra-antropólogo, irmão do lendário jornalista Aníbal Fernandes, o tio escritor Maximiano, as irmãs Malu e Vanja e o cunhado-irmão Roberto Viana.

Mas foi da avó materna não intelectual, Dona Luizinha, a quem mais puxou: o temperamento a um só tempo doce e forte, com devoção fundamentalista à família. Joãozinho, como era chamado, foi marido apaixonado pela esposa, a procuradora Rosana, e pai de extrema dedicação aos filhos Luiza, João Pedro e José Henrique.

Na política, participou exclusivamente por conta do seu primo-irmão, o compadre Eduardo Campos. Deixa um legado que vai continuar vivo nos corações em que plantou as sementes sagradas do afeto.

Coração despedaçado – O economista Roberto Viana era uma das pessoas mais ligadas a João Campos. Tinha com ele uma relação quase de pai-irmão. Se conheceram quando João tinha oito anos de idade. Nutriram uma conexão humana extraordinária, intelectual, estética, familiar, do mais profundo afeto. Viana recebeu a notícia no Oriente Médio e ficou como coração despedaçado.

Fulminante – João Campos estava curtindo o feriadão junino em Gravatá quando começou a se sentir mal no sábado à noite. Ele deu entrada na emergência do hospital Doutor Paulo da Veiga Pessoa com quadro de parada cardiorrespiratória por volta da meia noite. Morreu meia hora depois vítima de infarto. O hospital divulgou uma nota oficial esclarecendo o ocorrido.

Leilão – Os ex-prefeitos Carlos Evandro e Neemias Gonçalves, respectivamente de Serra Talhada e Custódia, não tiveram motivos para descontrair no São João e dançar forró num arraial. Os bens bloqueados pela justiça, em função de irregularidades nas suas gestões, serão leiloados no próximo dia 3, segundo edital já público. Ambos eram donos de latifúndios.

Dor de cabeça – A secretária de Infraestrutura, Fernanda Batista, só colheu tempestades na visita aos trechos esburacados no Sertão do Pajeú. Em Serra Talhada, por exemplo, o vereador José Raimundo disse que ia fechar a estrada até Triunfo, a primeira que ela prometeu, mas não cumpriu.

Arcoverde – A Globo escolheu Arcoverde entre os tradicionais polos do Estado para destacar nacionalmente o São João deste ano. A competente repórter Clarissa Góes produziu para o JN e fez entrada ao vivo até na Globo News. Caruaru, Gravatá e Petrolina roeram as unhas de inveja.

FUNDO DO POÇO – Sem capacidade de gerenciamento, o prefeito de Belo Jardim, Hélio dos Terrenos (PTB), se afoga num buraco financeiro que não se sabe aonde vai parar. Mais uma vez, a cota do FPM do último dia 20 entrou nos cofres com um abate da ordem de R$ 2 milhões.

Perguntar não ofende: O que rola por trás dos cachês milionários pagos aos artistas nacionais importados para o São João nos polos juninos?

Publicado em: 23/06/2019