Coluna desta quinta na Folha

Detonar Moro e soltar Lula

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, saiu, ontem, do Senado, onde depôs, do mesmo tamanho que entrou. Não deixou uma só pergunta sem resposta, com exceção das que foram no campo do ataque pessoal, muitas delas sugerindo o seu afastamento do Governo. A oposição foi disposta a desmoralizar o ex-juiz e coordenador da operação Lava Jato.

O que está por trás disso tudo, no entanto, é um jogo diabólico com o único objetivo de fragilizar Moro, colocar a Lava Jato sob suspeita para com isso alcançar o maior de todos os objetivos: a soltura do ex-presidente Lula. Um novo recurso dos seus advogados está na pauta de julgamento do Supremo Tribunal Federal para o próximo dia 25, em Brasília.

Os aliados petistas mais confiantes no descrédito de Moro insistem na tese de que ele agiu com parcialidade para condenar Lula e que prova mais cabal disso teria sido sua decisão de largar a toga para servir ao Governo Bolsonaro.

Contrato suspeito – As licitações em Jaboatão não são tão transparentes como anuncia o prefeito Anderson Ferreira (PL). Tanto que a conselheira Teresa Duere, do Tribunal de Contas, suspendeu um contrato de quase R$ 10 milhões com a empresa Medlife Logística Ltda, para prestar serviços de armazenagem, gestão de estoques e distribuição e logística, além de bens e materiais.

Caixa zerado – O prefeito de Belo Jardim, Hélio dos Terrenos (PTB), mergulhou num inferno astral financeiro: a cota do FPM do último dia 10 chegou zerada e a de ontem com apenas R$ 60 mil. Resta sabe qual o milagre que fará para repassar o duodécimo da Câmara e pagar os servidores, isso sem falar nos fornecedores e nas despesas da chamada Festa das Marocas.

FGTS – O líder do Cidadania na Câmara, Daniel Coelho, deu entrada em um projeto para que o trabalhador tenha direito de sacar, sempre em janeiro, o que tem retido no FGTS. O parlamentar prevê que estejam depositados no FGTS cerca de R$ 400 bilhões. O rendimento desse dinheiro hoje é muito baixo. A correção tem como base a TR (Taxa Referencial) mais 3% ao ano.

Tupanatinga – Os vereadores de Tupanatinga, no Agreste Meridional, aprovaram a criação de uma CPI para investigar as contas irregulares do prefeito Sílvio Roque (PP). As maiores suspeitas recaem nos repasses para educação. Os parlamentares foram quase unânimes: 9 a 2.

FPM – Diferentemente do que informou o deputado Silvio Costa Filho no seu Instagram, o que foi aprovado numa comissão da Câmara foi uma PEC que aumenta em 1% a cota do FPM a ser pago cada 10 de setembro, assim escalonado: 0,25% em 2020 e 2021, 0,50% em 2022 e 1% em 2023.

APROXIMAÇÃO – O presidente da Assembleia, Eriberto Medeiros (PP), deu uma missão ao novo superintendente de Comunicação, ex-deputado Ricardo Costa: aproximar mais ainda o poder do povo. A TV-Alepe, no nascedouro, terá um papel fundamental nessa política inovadora.

Perguntar não ofende: O que Ivete Sangalo, que abriu o São de Petrolina, tem a ver com o autêntico forró?

Publicado em: 19/06/2019