Coluna desta terça na Folha

Deputados negam aposentadoria

Citados na relação dos 198 parlamentares que teriam optados pelo regime especial de aposentadoria da Câmara, os deputados da bancada federal de Pernambuco com mais de um mandato, como André de Paula, Augusto Coutinho, Daniel Coelho, Eduardo da Fonte, Fernando Filho, Gonzaga Patriota e Wolney Queiroz explicaram que, em nenhum momento, se anteciparam no pedido de aposentadoria.

Ressaltaram que contribuem desde o primeiro mandato para o Plano de Seguridade Social dos Congressistas, o PSSC, recolhendo R$ 3.713,93 e que não há ilegalidade nisso. A reforma da Previdência proposta por Bolsonaro, no entanto, acaba com a aposentadoria especial para deputados e senadores a que os referidos representantes do Estado estão vinculados.

Os políticos da próxima legislatura passarão a seguir as mesmas regras dos trabalhadores do setor privado, cujo teto de aposentadoria do INSS é de R$ 5.839,45.

Opção de praxe – Já os deputados novatos Fernando Rodolfo, Marilia Arraes, Carlos Veras, Raul Henry e Túlio Gadelha entraram também na lista porque seriam obrigados a fazer opção pela contribuição ao PSSC no cumprimento das exigências de posse. A relação dos 198 parlamentares que não querem abrir mão da aposentadoria especial está no site do jornal Gazeta do Povo, de Curitiba.

Explicação – Líder do Cidadania na Câmara, o deputado Daniel Coelho esclarece que tem feito campanhas intensas pela reforma da Previdência e que por isso mesmo não teria sentido ir às ruas do Recife manifestar contra o texto do Governo. “O que postei nas redes sociais foi um vídeo mostrando a reação da população aos que se manifestavam contra a reforma”, afirmou.

Voto a favor – Já o deputado André de Paula, líder do PSD na Câmara, esclarece que contribui o Plano de Seguridade Social dos Congressistas desde o seu primeiro mandato, em 99. Garante que independente do que a reforma da Previdência possa fazer, como acabar com o regime especial, votará a favor. “Nunca antecipei pedido de aposentadoria e voto pela reforma”, diz.

Atraso – Servidores contratados pela Prefeitura de Belo Jardim denunciam que estão com seus salários atrasados. O prefeito Hélio dos Terrenos (PTB) tem sido um descaso como gestor. Além de endividar o município, agora mata os trabalhadores de fome. Cadê o Ministério Público?

Cubanos – Pelo Consórcio Nordeste, assinado pelos governadores da região, os médicos cubanos podem voltar a atuar nos Estados sem precisar de autorização federal. Segundo o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), a Organização Mundial de Saúde já deu o aval.

MOLEQUE – O senador sergipano Alessandro Vieira (Cidadania) está irado com as pirotecnias do ministro Gilmar Mendes, do STF. “O ministro é um moleque. É fato que precisamos discutir uma lei para o abuso do poder, mas não podemos ser vítimas dos que defendem bandidos”, disse.

Perguntar não ofende: Quando vai parar de chover no Recife?

Publicado em: 17/06/2019