Coluna desta terça na Folha

Situação de Moro se complica

Os vazamentos das mensagens trocadas por integrantes do Ministério Público Federal com o então juiz Sérgio Moro, revelando que o agora ministro da Justiça orientou o procurador Dalton Dallagnol a apressar com as investigações envolvendo o ex-presidente Lula, deixaram Moro em maus lençóis. Mais do que isso, arranharam a sua reputação de juiz.

Não cabe a um magistrado a agir de forma parcial, como sugerem as gravações postadas pelo site Intercept e que contribuíram para contaminar o ainda mais conturbado ambiente de Brasília. Dallagnol chega a advertir Moro, num determinado trecho hackeado, ter dúvidas sobre eventuais provas para incriminar Lula. Isso excitou a base Lulista no Congresso Nacional.

Já se fala em medidas e recursos que possam levar a anular a condenação do ex-presidente, mas os mais sensatos acham que para enveredar pelo caminho que o PT almeja existe uma barreira jurídica enorme.

CPI ou CONVOCAÇÃO – Já há no Congresso quem defenda a abertura de uma CPI para investigar os áudios comprometedores do ministro Sérgio Moro. Os líderes governistas, entretanto, entraram em ação ontem mesmo para barrar uma CPI. No lugar, sugerem a convocação do ex-juiz e do procurador Dallagnol para depoimento no plenário da Câmara dos Deputados ou do Senado.

Sensacionalismo – Pelas redes sociais, o ministro Sérgio Moro divulgou uma nota sobre o vazamento dos áudios. Lamentou a invasão de sua privacidade, condenou a não identificação do autor e afirmou: “Nas mensagens que me citam não se vislumbram qualquer anormalidade ou direcionamento da minha atuação enquanto magistrado. São puro sensacionalismo”.

Escândalo – A coluna está de posse do extrato de contrato de aluguel de uma casa de recepções em Caruaru, iniciativa da prefeita de Raquel Lyra (PSDB), pela bagatela de R$ 634 mil. Servirá para realização de exposições, simpósios, palestras, encontros, seminários, cursos, capacitações, feiras, dentre outros eventos da Prefeitura Municipal. Deve ser banhada a ouro.

Magalhães – O líder do Governo Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), costuma embarcar para Brasília às segundas-feiras pela manhã. Mas ontem viajou à tarde para atender ao ex-governador Roberto Magalhães, com quem teve uma longa conversa.

O aliciador – O prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR), tenta aliciar para o seu palanque em 2020 o ex-vereador Neco, seu adversário em 2016. Prometeu nomear secretário o vereador Nando Ceres, o que abriria vaga na Câmara para Neco Filho, herdeiro de Neco.

IMPARCIALIDADE – Ainda sobre o vazamento dos áudios envolvendo Sérgio Moro, o deputado Danilo Cabral (PSB) diz que pré-julgamentos precisam de uma apuração rigorosa. E sentencia: O estado democrático de direito pressupõe a essencial imparcialidade da justiça. Ninguém está acima da lei”.

Perguntar não ofende: Quais as novas bombas contra Moro que virão via hackers?

Publicado em: 10/06/2019