Humberto cobra investigação de Moro e Dallagnol

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), cobrou uma ampla investigação das mensagens trocadas entre o então juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça, e o procurador da República Deltan Dallagnol. Segundo o senador, as conversas entre o ex-juiz e membros do Ministério Público “representam, na melhor das hipóteses, uma infração gravíssima à ética”. Nos diálogos, Moro e Dallagnol debatem estratégias para a atuação da Lava Jato, buscam argumentos para justificar a sentença condenatória do ex-presidente Lula e até estratégias para impedir uma possível vitória do candidato à presidência da República pelo PT, Fernando Haddad.

“Já havíamos denunciado o processo de perseguição contra o ex-presidente Lula, a sua condenação e prisão sem provas. Agora, tudo isso está absolutamente comprovado de uma maneira farta. Precisamos cobrar do Conselho Nacional do Ministério Público, do Conselho Nacional da Justiça e do próprio Supremo Tribunal Federal (STF) que se faça uma investigação aprofundada, inclusive no Congresso Nacional, para que possamos investigar esse caso e punir exemplarmente os responsáveis”, afirmou o senador.

Segundo Humberto, o aprofundamento das investigações pode indicar a realização de um conluio criminoso entre membros do Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal. Para ele, a ação conjunta entre Moro e Dallagnol compromete a imagem do Poder Judiciário e do Ministério Público, extrapola questões partidárias e fere a democracia. As conversas, obtidas pelo site The Intercept, foram trocadas por meio do aplicativo Telegram.

“Nós do PT não vamos tomar atitudes isoladas. Vamos atuar com os demais partidos da oposição e de centro para cobrar de todas as instituições públicas uma profunda investigação sobre o caso. O que está em jogo é o descumprimento da Constituição e a solidez da democracia brasileira”, afirmou.

Publicado em: 10/06/2019