Coluna desta segunda na Folha

Grupo Lyra preterido no PSDB

A escolha da deputada estadual Alessandra Vieira para presidir o diretório estadual do PSDB deixou muito tucano de queixo caído. Novata no ramo complexo da política, a parlamentar é neófita no trato das questões gerenciais do partido. Até então, aliás, seu currículo se resumia em ser mulher do prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira.

Gente de mais peso na legenda, como a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, e seu pai, o ex-governador João Lyra Neto, tomaram conhecimento da mudança pela mídia. João ficou extremamente frustrado. Na condição de vice-presidente da executiva estadual, ele esperava ser conduzido à presidência.

Seu nome deve ter sofrido vetos, o que não é novidade num partido em nível nacional agora conduzido pelo ex-deputado Bruno Araújo, que não gostou em ver o grupo Lyra apoiar Daniel Coelho, sem nenhuma identificação com Caruaru, para Câmara Federal. João sofre da síndrome do vice.

Motivo da degola – Já se sabe a razão do deputado Marco Aurélio ter patrocinado a expulsão do PRTB dos vereadores Alcides Neto, Hélio da Guabiraba e Samuel Salazar: limpar a área para eleger o filho Marco Aurélio Filho vereador do Recife. Na montagem da chapa, qualquer vereador com mandato atrapalharia os planos de dar ao herdeiro uma cadeira na Câmara Municipal.

Ladeira abaixo Se depender das votações de deputado para almejar uma disputa presidencial, Rodrigo Maia já pode começar a tirar o cavalo da chuva. Seu melhor desempenho foi em 2006, quando teve 235.111 votos. De lá para cá, ladeira abaixo: 2010, caiu para 86.162 votos, em 2014 piorou: 53.167 votos. Em 2018, 74.232, fora da lista dos dez mais votados no Rio.

CPI anda – Presidente da CPI dos Esportes na Câmara de Palmares, a vereadora Andreza de Geri (PR) esclarece que em nenhum momento os vereadores criaram dificuldades para votar o relatório da vereadora Raiane Cosmo (PHS). Segundo ela, a demora se justifica pelo fato da relatora ter pedido um prazo de 30 dias para concluir o texto. “Fui com ela até ao MP”, informa.

Violência – Numa entrevista à Folha de São Paulo, o secretário municipal de Segurança Urbana, Murilo Cavalcanti, relata sua experiência no combate à violência inspirado no modelo de Medellín, onde já esteve 31 vezes. E diz que sem educação não se combate o problema.

Esterilização – A Igreja Universal Reino de Deus está envolvida numa nova polêmica: esterilização de pastores. Responde a processos de pastores fiéis que afirmam ter sido forçados ou pressionados a fazer vasectomia para permanecer ou ascender na instituição.

ALFABETIZAÇÃO – Uma verdadeira invasão de prefeitos está prevista para amanhã, no Centro de Convenções de Olinda. Às 9h30, o governador Paulo Câmara lança o programa Criança Alfabetizada, em parceria com os municípios, para incentivar a alfabetização na idade certa.

Perguntar não ofende: Quando haverá uma reforma política para acabar coma montagem de chapinhas para eleger filhos e agregados?

Publicado em: 09/06/2019