Coluna do sabadão

Nem a cor do dinheiro

Em reunião prévia com o presidente Bolsonaro em Brasília, os governadores do Nordeste pediram para o Governo rever o corte de 30% nas verbas destinadas às universidades e institutos federais. Pediram também um plano de geração de empregos e de combate à violência.

Na primeira sessão ordinária da Sudene, ontem, no Recife, ele ignorou o primeiro tópico e anunciou um plano para a Região, que inclui um acréscimo de R$ 2,1 bilhões ao Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste a ser usado em obras de infraestrutura. Ao todo, o fundo passará a ter R$ 25,8 bilhões ainda este ano.

O plano inclui também um conjunto de ações de curto prazo, entre elas a instalação de cisternas nas escolas, o pagamento de 13.º no Bolsa Família, a aquisição de alimentos da agricultura familiar e crédito fundiário, a ligação por internet em escolas rurais e o estímulo ao interesse por ciências, além da Rede Cegonha, de atenção básica a mães e bebês. Liberação de dinheiro, que é bom, ninguém viu o cheiro.

Afagos públicos – Além de ser tratado com distinção por ser anfitrião na Sudene, o governador Paulo Câmara, do PSB que vota contra o Governo Bolsonaro, ainda foi no avião do presidente até Petrolina. Lá, no ato de inauguração de um conjunto habitacional do programa Minha Casa, minha vida, fez um discurso elogiando o plano de desenvolvimento regional anunciado no ato da Sudene.

Bloqueio – No bloqueio de R$ 3,7 bilhões pelo MP na operação Lava Jato estão os pernambucanos Eduardo da Fonte, deputado federal pelo PP, e o senador Fernando Bezerra (MDB), líder do Governo no Senado. Antes de ingressar no MDB, Fernando Bezerra era filiado ao PSB. No avião, ontem, ao lado de Bolsonaro, gravou um vídeo fazendo loas ao plano para o NE.

Herança maldita – Quem ainda cantando de galo no gabinete do deputado federal Fernando Rodolfo (PR) é Zé Colmeia, homem forte na gestão do ex-prefeito Neguinho Teixeira, em Caruaru. Sucessor de Tony Gel, Teixeira foi acusado de desmandos e acabou no xadrez. Também da capital do forró, Colmeia foi nomeado por Rodolfo para o cargo de assessor parlamentar.

Ficha suja – O prefeito de Abreu e Lima, Marcos José da Silva (PSB) corre o risco de virar ficha suja por mais uma conta, a do ano de 2015, ter sido rejeitada em segunda instância pelo Tribunal de Contas do Estado. Em segundo mandato, o prefeito teria ambições mais na frente: disputar um mandato eletivo. Mas a inelegibilidade bate à sua porta.

Que prêmio? – Em Jaboatão, o prefeito Anderson Ferreira (PR) ganhou um adversário em 2020: o advogado Roberto Santos, que ironiza o prêmio que ele recebeu por suposta eficiência. “Na Jaboatão dos Ferreiras, procura-se um prêmio para chamar de meu”, escreveu em seu blog.

Calote – O prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD), está com um tremendo abacaxi em mãos para descascar: não pagou ainda a fatura do Carnaval a quem prestou serviços ao município. Segundo depoimento do secretário de Turismo, João Luiz, durante audiência pública na Câmara de Vereadores, a montanha do calote chega a R$ 2,1 milhões.

Perguntar não ofende: O que Bolsonaro conversou com Paulo no avião do Recife a Petrolina?

Publicado em: 24/05/2019