O troco: CPI contra ataques virtuais ao parlamento

Iniciativa do Congresso segue exemplo do inquérito aberto pelo STF

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

O Congresso discute a criação de uma nova CPI de crimes cibernéticos que, a exemplo do inquérito do STF (Supremo Tribunal Federal), investigaria, entre outras coisas, ataques tanto ao tribunal quanto ao parlamento. A ideia é que a comissão, se vingar, seja mista, com deputados e senadores. Os parlamentares, alinhados com magistrados do STF, argumentam que haveria no Brasil um ataque planejado e sistemático às instituições. Ele precisaria ser investigado e contido.

E um grupo de advogados está organizando um jantar, em maio, em desagravo ao presidente do STF, Dias Toffoli. O encontro está sendo organizado pelo tributarista Marco Aurélio de Carvalho e pelos criminalistas Alberto Toron e Roberto Podval, além do jurista Lenio Streck.

Antes disso, eles vão lançar um manifesto que afirma que o STF vem sendo vítima de ataques e injúrias que tentam “intimidar” ministros do STF e também do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Por trás deles estariam concepções que “flertam, de forma escancarada, com o fascismo”. A ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) também lançará manifesto conclamando à defesa “intransigente da democracia” e do STF.

Publicado em: 23/04/2019