A natureza é inocente de pai e mãe

Enchentes, inundações, lixões, tragédias ambientais nas cidades, ditaduras do sistema financeiro e dos planos de saúde... O Brazil não tem vulcões, nem terremotos, nem tsunamis, graças a Zeus. Esta é a cantoria de hoje do Profeta Adalbertovsky do alto das montanhas da Jaqueira. “Existem, sim, vulcões e tsunamis de incompetência e corrupção. A natureza é inocente de pai e mãe”.  

O prefeito do Rio de Janeiro diz que os morros e os túneis são culpados pelas inundações. Cidade acima do nível do oceano, São Paulo atrai os raios da cilibrina. Recife possui galerias lendárias abaixo do nível do pré cloreto de sódio. O IPTU das cidades é planejado no nível das montanhas. Os governantes dizem que desastres ambientais são culpa da natureza e os gestores públicos são inocentes.

Os tubarões passeavam e namoravam tranquilos nos estuários do litoral sul de Pernambuco. Um senhor bradou na crista das ondas de Suape: alô-alô tubarões, aqui fala o dono das correntezas e dos mangues. Vocês estão proibidos de navegar nessas águas. A gente vamos aterrar os manguezais e construir um porto belíssimo.

“Os bichos ficaram irados e responderam: Vamos invadir suas praias de Boa Viagem, Piedade e Candeias. Ao dar um rolé numa piscina, um tubarão avistou a perna de um banhista. Mordeu. Poderia ser uma moqueca de camarão. Uma tilápia, uma lagosta ao termidor. Uma albacora. Reunidos em assembleia, os tubarões decretaram: estes aquários são nossos. Fora, banhistas! As praias agora são apenas paisagem.    Ainda hoje os donos dos manguezais se orgulham de ter expulsado os tubarões para construir um porto antiecológico”. A cantoria do Profeta Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.

Publicado em: 15/04/2019