Coluna da terça-feira

Crise política insustentável em Camaragibe

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Ficou insustentável a grave crise política instalada na Prefeitura de Camaragibe após o prefeito Demóstenes Meira (PTB) ordenar que todos os cargos comissionados da gestão fossem prestigiar o show da sua noiva, Taty Dantas, no bloco Canário Elétrico, anteontem. Os áudios que o gestor mandou para um grupo de WhatsApp, divulgados por este colunista em primeira mão, fizeram com que o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, determinasse a instauração de procedimento investigativo criminal para apurar se Meira cometeu peculato. Já a promotora de Defesa do Patrimônio Público, Mariana Vila Nova, abriu outra ação, desta vez para investigar se o gestor incorreu em improbidade administrativa.

Nos bastidores, a informação é que o posicionamento forte do Ministério Público, ainda que tardio, pode acelerar o julgamento de processos e andamento de investigações contra o prefeito, que correm em segredo de Justiça, resultando, o quanto antes, no seu afastamento do cargo. Mais rápida que o MPPE, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou no jogo cobrando uma investigação rigorosa ainda no domingo à noite. Durante o dia de ontem, a ampla cobertura dada pela Imprensa local e nacional ao fato deu contornos quase irreversíveis à situação do prefeito, que, nem com toda repercussão negativa, reconheceu exagero nos seus atos.

A oposição da cidade estuda entrar, via Câmara Municipal, com o pedido de Impeachment do prefeito. Como tem maioria na Casa, Meira não deve se preocupar com os vereadores. O clima nas ruas e nas redes sociais, contudo, é totalmente desfavorável ao petebista. O gestor recebeu uma enxurrada de críticas pela postura de ordenar que seus comissionados prestigiassem a noiva em um bloco de Carnaval organizado pelo secretário de Educação, Denivaldo Freire.

A insatisfação para com o chefe do Executivo também é grande entre os guardas municipais da Prefeitura. Muitos foram convocados a deixar a folga do domingo e “fiscalizar” se os aliados de Meira realmente estavam no bloco. A decisão do prefeito acabou deixando descobertos outros equipamentos públicos, como um hospital, que ficou sem segurança. Relatos nas redes sociais dão conta de que até o cemitério da cidade foi fechado para os comissionados que lá trabalham pudessem ir acompanhar o Canário Baleado. Como eu disse ontem, Camaragibe parece a Sucupira da novela “O Bem Amado”. Uma pena.

Vou processar! – Em entrevista à uma rádio local pela manhã, antes de “mergulhar”, o prefeito de Camaragibe garantiu processar os que estão “levantando calúnia e difamação” contra ele, sua gestão e sua noiva. Também jogou o desgaste na conta da oposição (praxe); e ainda disse que vai provar sua inocência. “Estou tranquilo, quero dizer ao povo de Camaragibe que há uma meia dúzia de pessoas que perderam a eleição e estão querendo criar constrangimento”, disse Meira, sem saber que a “meia dúzia” viraria milhões de pessoas que o assistiram “brilhar” até no Jornal Nacional.

Paixonite – Um deputado brincou, em reserva, que o “crime” do prefeito foi o de “paixonite” pela noiva. “Ela não recebeu nenhum dinheiro para cantar. Cantou porque quis ajudar, mostrar a marca dela em Pernambuco, começando pela cidade de Camaragibe, do noivo dela”, defendeu Meira. Que altruísmo da futura primeira-dama, nomeada secretária de Assistência Social. Os dois estão juntos há cerca de sete meses e casarão em junho, “se Deus quiser”, segundo o prefeito. Taty Dantas realmente deixou uma marca que o Brasil inteiro viu. Uma marca para lá de negativa!

Visão deturpada – A fala do prefeito de Camaragibe traduz bem como ele entende o serviço público. “Cargo comissionado não é funcionário público; não é contratado. Não convoquei nem contrato, nem funcionário público. Convoquei cargo comissionado, que é da minha inteira confiança. São meus amigos, pessoas que estavam comigo. Eles não sabem o que é cargo comissionado. Estava convocando, iria ser filmado, até para saber quem são os meus amigos e quem não são”, argumentou Meira, com uma naturalidade de espantar.

Sem noção – Altamente conturbada, mal administrada e com um desfecho ainda em aberto a crise que resultou na demissão do agora ex-ministro Gustavo Bebianno. Jair foi Bolsonaro desde o início; e fez o que sabe fazer de melhor: jogar lenha na fogueira! Não desceu do palanque e insiste em, já na condição de presidente, agir como se estivesse eternamente em campanha. Seus filhos, que, quando não manipulam, são manipulados pelo pai, são outros com absoluta falta de bom senso. Se preparem que Bebianno vem com artilharia pesada contra o ex-chefe.

CURTAS

CONSELHO DE ... – O deputado estadual Romário Dias quase conseguia embargar a eleição para o Conselho de Ética da Alepe, ontem. O parlamentar foi ao microfone dizer que o regimento estava sendo desrespeitado porque, na primeira composição do colegiado, havia colega seu que não poderia estar lá. Ele não adiantou o motivo, mas, supostamente, foi pelo fato de alguns estarem respondendo a processo.

... ÉTICA – Depois de consultar o regimento, o presidente Eriberto Medeiros mandou mudar as cédulas de votação com a justificativa de que Gustavo Gouveia, por ser suplente da Mesa, não poderia ocupar suplência no colegiado. Depois da votação, acabaram eleitos como titulares Aglailson Victor, Antônio Moraes, Francismar Pontes, Joaquim Lira, João Paulo, Tony Gel e Rogério Leão. Presbítero Adalto será o ouvidor.

APROVEITADOS – Seguindo uma tradição na Assembleia Legislativa, os deputados não reeleitos começam a ser aproveitados em cargos estratégicos na estrutura da Casa. É o caso de Ricardo Costa, nomeado superintendente de Comunicação, e Vinícius Labanca, que foi para a Superintendência Parlamentar ontem. A expectativa é que outros deputados sem êxito nas urnas também sejam convocados para funções na Alepe.

Perguntar não ofende: o prefeito de Camaragibe deve ser afastado do cargo? Respostas no (81) 9.9198-0838.

Publicado em: 18/02/2019