Igreja de esquerda: apelar para governo italiano é perder tempo

Quem conhece os meandros da diplomacia da Igreja Católica diz que a simples menção a uma tentativa de fazer o governo italiano interferir na programação de eventos do Vaticano, como o Sínodo da Amazônia, tende a surtir efeito contrário ao pretendido.

O jornal O Estado de S. Paulo noticiou que o governo brasileiro monitora com preocupação a organização do Sínodo e que pediria ajuda à Itália para travar a exploração de temas da Igreja que considera ligados à esquerda. (Painel) 

Publicado em: 12/02/2019