Coluna da quinta-feira

Eleição de Aglailson Victor pode tirar Alepe da linha sucessória do Governo

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Caso aconteça uma reviravolta inesperada e o futuro deputado Aglailson Victor seja eleito Primeiro Vice-Presidente da Assembleia Legislativa, amanhã, a Casa poderá ficar de fora da linha sucessória do Governo de Pernambuco. Nas ausências do governador e da vice-governadora, quem assume o Estado é o presidente do Legislativo.

Se quem estiver ocupando o posto na ocasião for o parlamentar em questão, a Alepe estaria automaticamente fora do processo, já que Victor tem menos de 35 anos. Some-se a isso a pouca experiência do filho do prefeito de Vitória de Santo Antão, que, aos 22, vai para o seu primeiro mandato. Os deputados têm respeito por Aglailson Victor e pelo seu pai, Aglailson Júnior. Mas entendem que não é o momento de o novo parlamentar, um quadro de futuro, pleitear um dos cargos mais relevantes do Legislativo estadual.

Se o presidente Eriberto Medeiros, que será reeleito para o cargo, precisar se ausentar do posto, ainda que momentaneamente, por exemplo, os destinos do Parlamento ficariam nas mãos de alguém que ainda precisa de mais vivência para desempenhar tarefa tão importante.

Mais um! – A disputa pela Segunda Vice-Presidência da Alepe ganhou mais um candidato: Alberto Feitosa, que alegou a necessidade de renovação e o auxílio na gestão da Casa como os motivos que o levaram a se decidir pela candidatura. Ele enfrentará Romário Dias, atual ocupante do posto, e Guilherme Uchoa Júnior, indicado pelo PSC.

Os caminhos... – Os bastidores das conversas entre a bancada do PSB sobre o rumo a ser seguido apontam para uma única convergência: os socialistas querem puxar a oposição ao presidente Jair Bolsonaro. O resto são divergências. A maior parte da bancada quer unir-se ao PDT e ao PCdoB no bloco que teria cerca de 90 parlamentares – essa é a posição majoritária dos deputados do Sul e Sudeste.

... do PSB – Há, também, os socialistas que preferem um alinhamento com PT e PSOL. Um ponto contrário seria a possibilidade de virar sombra do PT. Ainda têm os que defendem que o partido fique sozinho, sem juntar-se formalmente a nenhum bloco. Essa hipótese, contudo, deve ser descartada para evitar o isolamento, inclusive, na composição dos espaços na Câmara, uma vez que o PSB decidiu-se pela candidatura olímpica de JHC a presidente.

Lossio no PSD – Noticiada em primeira mão por este colunista, a decisão do ex-prefeito Júlio Lossio de filiar-se ao PSD, do deputado federal André de Paula, foi acertada. O partido, que será presidido por Lossio em Petrolina, vai assegurar uma boa estrutura para ele concorrer novamente à prefeitura, em 2020. O bom trânsito de André em Brasília também pode garantir força política ao seu candidato.

CURTAS

PESQUISAS – A Naipes Marketing, Inteligência e Tecnologia fará uma série de pesquisas sobre as avaliações dos prefeitos pernambucanos e os cenários para a disputa de 2020. A coluna publicará com exclusividade os resultados – serão pesquisados municípios de todas as regiões. Com mais de dez anos de experiência, a empresa é comandada por Jemerson Edias.

NEPOTISMO EM CALUMBI – Vai faltar coluna para tanta denúncia de prefeito que emprega parente na administração. Em Calumbi, segundo um leitor atento, a prefeita Sandra da Farmácia nomeou o marido secretário de Saúde; a irmã, de Ação Social; o sobrinho, em Administração e Finanças. Isso sem falar nos carros locados em nome de terceiros.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA – Mourão, o moderado, disse que a reforma da previdência é uma só (portanto, sem ser fatiada); que ela incluirá os militares e será enviada ao Congresso este semestre, por meio de uma PEC. Já Paulo Guedes, o superministro, falou a prefeitos que que a idade mínima deverá ser de 57 para mulheres e 62, para homens.

Perguntar não ofende: Ontem, a coluna perguntou se mais alguém se lançaria candidato a um cargo na Mesa da Alepe. Alberto Feitosa se lançou. Hoje, só para jogar mais um molho, a pergunta é a mesma. E aí?!

Publicado em: 30/01/2019