Coluna da quarta-feira

Mais bate-chapa para a Mesa da Alepe

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Não bastasse a disputa aberta entre deputados pelos cargos de maior relevância da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, mais duas vagas do colegiado passaram, também, a ser alvo de embate por parte dos parlamentares: a Segunda Vice-Presidência e a Terceira-Secretaria. Ao que parece, o consenso ainda está longe de ser alcançado. Faltando dois dias para a votação, os candidatos precisam intensificar as articulações o máximo que puderem; correndo contra o tempo atrás de cada voto.

A desistência de Manoel Ferreira da Segunda Vice-Presidência foi o motivo alegado por Romário Dias (PSD) para se lançar na disputa pelo cargo, que, aliás, ele ocupa atualmente. “Já conversei com vários colegas e tenho uma quantidade razoável de votos”, adiantou. Ele enfrentará Guilherme Uchoa Júnior, nome apresentado pelo PSC. “Fiquei surpreso, mas não vou retirar a minha candidatura”, garantiu Uchoa. O plano do PSC era fazer um rodízio entre o parlamentar de primeiro mandato e o patriarca dos Ferreira.

A Terceira-Secretaria é o outro cargo da Mesa que tem mais de um pretendente: Rogério Leão, do PR, e Teresa Leitão, do PT. Os dois já largam com três votos, cada. Além do dele, Leão conta com Henrique Filho e Fabrizio Ferraz. Já Teresa deve ter ao seu lado Doriel Barros e Ducicleide Amorim, ambos do seu partido. O que pode fazer diferença pró-Rogério são os votos do PP, segunda maior bancada da Casa com dez deputados.

Foi, inclusive, a chancela dos progressistas que, praticamente, assegurou as eleições de Simone Santana para a Primeira Vice-Presidência e Clodoaldo Magalhães, para a Primeira-Secretaria, desbancando, respectivamente, Aglailson Victor e Diogo Moraes no primeiro caso; e Isaltino Nascimento e Francismar Pontes, no segundo. A busca por apoios, no entanto, continua frenética. Até os votos serem dados, muita reviravolta ainda pode acontecer. O discurso da união em prol de um Legislativo forte é que já foi pelos ares.

Eriberto é consenso – Consolidado mesmo só o nome do presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, que construiu habilmente a sua reeleição. O deputado tem muito trânsito com os pares na Casa Joaquim Nabuco; ouve e trata a todos com a mesma atenção. Mesmo assim, tem feito campanha conversando com os colegas. Vai sair do pleito muito bem votado.

Nem um, nem outro – Nem João da Costa, nem Jairo Britto. O PT deve indicar outro nome para a Secretaria de Saneamento do Recife. O escolhido será sacramentando hoje. A opção ficará por um quadro de perfil técnico, mas que passe pelo crivo de todas as forças políticas envolvidas; fruto de uma construção conjunta. Jairo, que é vereador de mandato, não pode exercer o cargo por questões pessoais. João da Costa, por sua vez, optou por assumir o mandato na Câmara Municipal.

Enriquecimento ilícito – A Segunda Promotoria de Justiça de Carpina entrou com uma ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito Carlinhos do Moinho. Além dele, três vereadores – Tota Barreto, Neco da Kombi e Preto do Ipsep – foram indiciados junto com outras nove pessoas não ocupantes de cargos públicos. A ação trata de contratos firmados entre a Prefeitura de Carpina e a empresa M&F Ltda.

Nepotismo em São José do Egito – Chegou ao WhatsApp Cidadão da coluna mais uma denúncia de nepotismo. Dessa vez, na Prefeitura de São José do Egito. Segundo o leitor atento, o prefeito Evandro Valadares emprega uma filha como secretária de Ação Social; um tio na Secretaria de Infraestrutura; e um sobrinho na pasta de Administração. Você, leitor assíduo da coluna, pode continuar mandando suas denúncias para o (81) 9.9198-0838; ou pelo Instagram @arthurhbcunha.

CURTAS

LAMA – O Serviço Geológico do Brasil descartou a possibilidade da lama de rejeitos da Vale chegar à usina hidrelétrica de Três Marias, no Rio São Francisco – o limite, segundo o órgão, será a Hidrelétrica de Retiro Baixo, em Pompeu (MG). A informação consta no segundo relatório sobre o desastre de Brumadinho publicado pela entidade.

BALANÇO – O Ministério Público de Contas de Pernambuco aumentou a produtividade e a eficiência em 2018, quando foram emitidos 476 pareceres e 83 cotas em processos analisados pelo TCE. Também nesse período, houveram 441 representações decorrentes de julgamentos, que é quando o órgão cogita indícios de crime.

FECHADOS EM COPAS – A coluna esperou até quase meia-noite para saber alguma novidade sobre o posicionamento da bancada do PSB em relação à disputa pela Presidência da Câmara Federal. Mas os parlamentares entraram pela madrugada reunidos em Brasília. Portanto, ainda sem novidades anunciadas oficialmente até o fechamento desta edição.  

Perguntar não ofende: Vai aparecer mais algum candidato na Alepe?

Publicado em: 29/01/2019