Coluna do sabadão

Armando fica na política. Mas não revela futuro

Por Arthur Cunha – especial para o blog

A cinco dias do término do seu mandato, o senador Armando Monteiro Neto garantiu que não deixará a política, como oposicionistas têm comentado em reserva. Em nota, o petebista chamou de “especulações” as informações às quais a coluna teve acesso sobre sua eventual aposentadoria após duas derrotas seguidas para governador. O parlamentar adiantou que vai intercalar a vida pública com atividades privadas a partir de fevereiro. Em seguida, foi para cima dos que falam dele nas sombras. “A fonte, portanto, carece de idoneidade”, cravou.

“Devido ao resultado do processo eleitoral de 2018, estarei, a partir de 1º de fevereiro, circunstancialmente, sem mandato. Ainda que, a partir de agora, me dedicando também à atividade privada, não vou me ausentar da vida pública. Estaremos ao lado dos companheiros que integram as forças de oposição no estado e participaremos das próximas eleições de 2020, apoiando os candidatos ao pleito em todas as regiões do estado”, afirmou o senador, na nota.

No entanto, quando questionado qual seu roteiro após deixar a Casa Alta, e se irá mesmo passar um tempo em Portugal, Armando deu uma resposta evasiva, por meio de sua assessoria, repetindo, basicamente, o que já havia dito na nota. “Após o final do mandato, o senador vai se dividir entre atividades privadas e articulação política de oposição em Pernambuco”, informou, sem revelar quais serão essas “atividades privadas”, o que, vale salientar, está no seu direito, já que são privadas e não públicas.

Este colunista também perguntou ao senador, via assessoria, se ele pretende disputar mandato eletivo novamente; e se a Prefeitura do Recife é uma opção. Como resposta, Armando pontuou que “a disputa de um novo mandato gira em torno de discussões e alianças que não passam pelo momento atual”. “Em hora oportuna, o pleito de 2020 deverá ser discutido entre as forças políticas da oposição no estado”, encerrou.

Para bom entendedor... – Com sua nota à coluna, Armando Monteiro deixou claro para os que torciam pela sua aposentadoria que ele continua, sim, na política. Ao não se posicionar com clareza sobre a eleição do Recife - nem confirmou, nem negou uma eventual candidatura –, o petebista passou o recado de que não vai adiantar seus movimentos. Ficou no ar. Certeza mesmo só que ele está no jogo. E pela oposição. Amigos, 2020 já começou!

A volta dos que não foram – Sem espaço em Jaboatão dos Guararapes, depois de ter amargado um péssimo resultado nas urnas da cidade que governou por duas vezes, Elias Gomes está de malas prontas para voltar ao Cabo de Santo Agostinho, e disputar um terceiro mandato de prefeito no município. Do jeito que vai, é bem capaz dele quebrar a cara de novo.

 

Rodízio – Um ator relevante da oposição, e de fora da Assembleia Legislativa, observa que os deputados estaduais Marco Aurélio Medeiros e Priscila Krause devem chegar a um acordo de rodízio sobre a liderança da oposição na Alepe. Cada um ficaria dois anos no posto - só precisa saber quem virá primeiro. Priscila tem um perfil mais técnico, vai cascavilhar dados e números. Já Marco Aurélio é mais boca no trombone.

Virado articulando – Enquanto o acordo não é sacramentado, Marco Aurélio segue virado articulando para garantir a liderança da oposição. Silvio Costa Filho já teria assegurado o voto do irmão, João Paulo Costa, para o novato. Dizem que até Mendonça Filho, presidente do partido de Priscila Krause, já foi convocado para fazer a correligionária topar o pacto. Lembrando que Marco Aurélio será uma das vozes de FBC na Alepe.

CURTAS

REFLITAMOS – O prefeito de Floresta, Ricardo Ferraz, enviou nota à coluna onde, em tom professoral, pede uma “reflexão” para se entender os fatos que podem levar a um pedido de Intervenção. Resumindo: disse que prorrogou o prazo de concurso na cidade; que tem menos contratados que a gestão anterior (Alô, Rorró Maniçoba!); e que o TCE negou a Medida Cautelar contra ele.

JARBISMO – Presidente do MDB em Pernambuco, Raul Henry assina a ficha de filiação da deputada estadual Terezinha Nunes ao partido nesta segunda, na sede da legenda às 12h. Jarbas Vasconcelos, de quem ela foi secretária quando governador, participará. Terezinha pode concorrer a uma vaga na Câmara do Recife, em 2020.

VIROU VIDRAÇA – Ser oposição tem seu lado bom: você pode atacar o governo sem pena. Era o que Jair Bolsonaro fazia antes de ganhar a eleição. Hoje, o presidente lamenta a aliados o fato de estarem batendo muito no filho Flávio como uma forma de atingi-lo. Virou vidraça...

Perguntar não ofende: É impressão minha ou Mourão tem dado declarações mais lúcidas que Bolsonaro?

Publicado em: 25/01/2019