Renan tenta se aproximar de Bolsonaro

Em livro impresso pela gráfica do Senado, Renan Calheiros (MDB-AL) faz questão de lembrar que foi ele quem criou o Coaf, quando ministro da Justiça. O órgão identificou a movimentação financeira atípica do ex-assessor de Flávio Bolsonaro.

Numa tentativa de se aproximar do governo, Renan tem destacado o trecho: “Só uma coisa não pode ocorrer com o Coaf, é a sua utilização política”. O canal para chegar à família é o empresário Paulo Marinho, eleito suplente de Flávio no Senado.

Ao assumir a Secretaria da Previdência, Rogério Marinho entregou ao PSDB uma carta solicitando licença temporária do partido. Decidiu se afastar até que a legenda defina se apoiará ou não o governo Bolsonaro. (Estadão – Coluna)

Publicado em: 12/01/2019