Boicote no MEC: Chefe dorminhoco

Uma fonte que conhece o funcionamento do MEC diz que o episódio envolvendo as mudanças no edital de compra de livros didáticos pode ter sido boicote.

Comenta-se que os funcionários da pasta estão insatisfeitos com as demissões e o novo jeito de trabalhar de Ricardo Vélez.

É briga. Servidores estranharam o novo ritmo de trabalho. Vélez vai embora por volta das 18h. Seu antecessor, Rossieli Soares, trabalhava até as 21h. (Coluna do Estadão)

Publicado em: 10/01/2019