Ministro: general diz que queria coisa mais modsta

General indicado por Moro disse "preferir coisa mais moderada" que bolsonarismo

Jornal do Brasil

O general Guilherme Theophilo, indicado por Sérgio Moro para a Secretaria Nacional de Segurança Pública, disse, antes do segundo turno das eleições, que "preferia uma coisa mais moderada" que o Bolsonarismo. O militar, derrotado na disputa pelo governo do Ceará para Camilo Santana (PT), só declarou apoio a Jair Bolsonaro no 2º Turno. No 1º apoiou seu então colega de partido, Geraldo Alckmin (PSDB).

"É o seguinte: meu candidato era o Geraldo Alckmin (PSDB). Prefiro uma coisa mais moderada. Só vou apoiar Bolsonaro porque tenho que me definir, e no PT não voto", justificou Theophilo à época ao jornal O Povo, do Ceará.

O militar teve sua candidatura apadrinhada por Tasso Jereissati, uma das grandes lideranças do PSDB no país. No entanto, teve apenas 11,3% dos votos válidos. Seu adversário, o petista Camilo Santana, foi reeleito com 79,9% dos votos. Guilherme Theophilo se desfiliou recentemente do PSDB, justamente para assumir cargo no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Para o futuro ministro da Justiça, o desligamento de Theophilo da sigla faz com que sua indicação não seja político-partidária. 

Publicado em: 04/12/2018