Renan queima a largada, diz filho de Bolsonaro

Em visita ao Senado, filho do presidente eleito disse ainda que não é razoável criar arapucas para o 

Folha de S.Paulo - Daniel Cavalho

Em sua primeira visita como senador eleito a uma sessão da Casa em que trabalhará a partir de 2019, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) criticou o senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmando que seu futuro colega está queimando a largada na corrida pela presidência do Senado e que ele não representa a nova forma de fazer política que seu pai, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), queimplementar.

Apesar de ter afirmado que seu pai não interferirá nas eleições para o comando do Legislativo, Flávio disse que o governo apoiará um nome de consenso para a presidência do Senado.

"Temos que buscar um nome que seja um consenso dessa nova safra de senadores que está chegando, bem como que possa fazer um trabalho no Senado com aqueles que já estão aqui, que vai ser um terço que não participou das eleições deste ano, para que eles possam representar, de uma forma mais firme, presente e objetiva os seus estados. O governo vai estar aberto para qualquer demanda republicana e eu vou estar junto do líder do governo que for escolhido nesse cenário para auxiliar, para articular também, o resgate da legitimidade do Senado", disse o filho de Bolsonaro.

Flávio descartou ser líder do governo a partir de 2019, mas disse que trabalhará em parceria com o escolhido.

Publicado em: 04/12/2018