André Régis: Saúde pública do Recife faz população sofrer

O vereador André Régis (PSDB) afirmou que a saúde pública do Recife vive um caos porque faltam funcionários e materiais médicos nos postos e nos hospitais, enquanto a precariedade do serviço só aumenta com o abandono poder executivo.

Ele comentou que a situação se agravou na Policlínica Gouveia de Barros, no bairro da Boa Vista. O local que é referência no tratamento de HIV, está com os atendimentos suspensos por falta de médicos e outros profissionais de saúde. O Recife, considerada a cidade nordestina com os maiores números da doença, não tem a devida atenção do prefeito Geraldo Júlio, inexistindo uma política pública eficiente e investimentos na área. Até 2017 já são mais de 10.200 casos de AIDS, e mais de 2300 infecções pelo HIV, apontou o parlamentar.

André Régis comentou que o Posto de Saúde Gouveia de Barros, que segundo a prefeitura do Recife, recebeu investimento de mais de R$ 237 mil em 2018 (noticiado no site da PCR em 26.10.18), encontra-se em abandono. Neste posto, há apenas um médico para o atendimento ao público e são distribuídas somente 12 fichas diariamente. A cidade do Recife é também a segunda capital com maior número de casos com sífilis no Brasil, conforme noticiado pelos jornais.

Em análise na tribuna da Câmara Municipal do Recife, André Régis lembrou que os 121 postos de saúde da família (PSF) que já passaram 61 dias com suas atividades paralisadas devido à greve dos médicos, sofrem agora com a falta de infraestrutura e de materiais. Essa situação é comum em toda a rede municipal de saúde, além também da insegurança dos postos das comunidades, como nos casos das unidades da família do Alto dos Milagres, na Cohab, e Professor Fernandes Figueira, do Ibura, que estavam com suas atividades paralisadas devido a guerra do tráfico.

O parlamentar acentuou que os problemas se estendem à Policlínica Lessa de Andrade, no bairro da Madalena, que se encontra na mesma situação.

Publicado em: 04/12/2018