Humberto: Não há ponto de interseção entre o nosso projeto e o de Bolsonaro

Na Reunião do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), realizada neste final de semana, em Brasília, quando foi feito um balanço das eleições deste ano, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), reforçou o posicionamento do partido com relação à “política entreguista” do governo Bolsonaro, que assume em janeiro. Ele analisou também, a ameaça de destruição de importantes programas sociais, todos fundamentais na vida da população do país.
 
"O PT vai fazer oposição ao governo de Bolsonaro. Uma oposição sem qualquer adjetivação. O nosso projeto é frontalmente oposto ao projeto de Bolsonaro, não há qualquer ponto de interseção. Vamos trabalhar nossa política de oposição para a defesa dos direitos do povo pobre e trabalhador. Vamos lutar sempre ao lado da democracia em defesa do povo brasileiro" disse Humberto.
 
O destaque positivo obtido por Fernando Haddad (PT) nas eleições esteve na pauta na reunião. Humberto Costa falou sobre o papel de Haddad nos períodos anterior e posterior à eleição.
 
"Fernando Haddad saiu gigante dessa eleição. O professor foi um conciliador e abraçou a missão dada por Lula como nenhum outro faria. Haddad é uma liderança consolidada do PT e, com certeza, estará do nosso lado na luta pela democracia. Tendo o diálogo como sua principal força, Haddad já demonstra liderança, inclusive internacional, na luta pelos direitos do povo" pontuou o senador.

A definição do calendário eleitoral interno do Partido dos Trabalhadores (PT) será definido na próxima reunião do Diretório Nacional.

Publicado em: 03/12/2018