Brazil no reino do surreal

MONTANHAS DA AL-JAQUEIRA – Bolsonaro é um estúpido? Ok. Reverenciou a memória do torturador Ustra. Tortura é crime contra a humanidade. Torturadores, estupradores pedófilos e assassinos cruéis são a escória da humanidade. A tortura foi incrustada na sociedade brasileira desde os tempos da escravidão e ainda hoje está presente, por razões ideológicas ou não.  Hoje as drogas invadem as cidades, destroem famílias e criaturas. Não conheço tortura maior. Até há pouco tempo os narcotraficantes terroristas das Farc na Colômbia eram saudados como heróis revolucionários.

Ser corrupto, roubar dinheiro público também é crime abominável contra a sociedade. O Brazil vive o reino do surreal.  Que tal um presidiário que zomba da Justiça e se proclama candidato a presidente da República? Triste de um País cujas pseudo-elites se submetem a um falso mito semianalfabeto e demagogo que tem  a marca registrada de farsante desde os tempos de líder sindical.

Reprovar a “cartilha gay” para crianças nas escolas é homofobia? O guru da seita vermelha está liberado para debochar das “mulheres do grelo”, sem preconceito? Propor a pena de morte para crimes hediondos é ser neo fascista? Que tal defender as milícias assassinas de Nicolas Maduro na Venezuela em nome da utopia socialista?

Quem é mais pornô, Alexandre Frota ou o ex Big Brother Jean Willis? Frota é ator pornô para ganhar dinheiro. O ex Big Brother é pornô e defensor da pedofilia em nome da liberdade de expressão.

Os neo stalinistas da caterva vermelha do B, um Boulos e uma Manuela D’Ávila, eles que demonizam Bolsonaro, confessam amor febril pelos genocidas comunistas Mao Tse-tung, Pol Pot, Fidel Castro e Stalin, responsáveis pelos assassinatos de dezenas de milhões de compatriotas na China, Camboja, Cuba e União Soviética. São todos da mesma laia.

Os zumbis devotos da seita vermelha no Brazil reverenciam esses genocidas e se autoproclamam politicamente corretos.

Os delinquentes do MST desfrutam de impunidade a pretexto de não se criminalizar os movimentos sociais. No Brazil da bagaceira punk, funk e pornô, reina a apologia ao atraso de Ribamar Sarney no Maranhão, os zumbis vermelhos fazem um pacto de amor com os fichas sujas de Alagoas e beijam um canastrão no Paraná. Eles se amam e se merecem.

Liberou geral. Segundo a cantiga vermelha. Nesse ritmo, um presidiário pode ser nomeado presidente da Casa de Misericórdia da Moeda. Pode revogar o Código Penal e deletar os 10 Mandamentos de Moises, principalmente o 7º. Mandamento, que proíbe roubar. 

O Brazil consome-se em heranças bastardas desde a década perdida com a hiperinflação nos anos 1980. Reinou a mediocridade dos marimbondos de fogo de Ribamar Sarney e aconteceu o triunfo da farsa “collorida”.

No período de Fernando Henrique/Itamar Franco, com o Plano Real, as privatizações e a estabilidade monetária houve lampejos de redenção nacional. Mas, as conquistas se diluíram no tempo. FHC tornou-se leniente ou se rendeu ao guru da seita vermelha.

A seita do guru vermelho e da presidente mais desastrada e incompetente da história da República glorificou a corrupção, arruinou a economia do País e deixou um legado de 13 milhões de desempregados. No Brazil do escracho punk e pornô, isto sim deve ser chamado de estupidez elevada à enésima potência.

Publicado em: 06/08/2018