Mexer num vespeiro

De Marisa Gibson, hoje na coluna DIARIO OLÍTICO do DP

O segmento evangélico é bem cobiçado em Pernambuco - representa uma fatia de 30% do eleitorado -    mas por ser um segmento representado por diversos grupos políticos, as articulações em períodos eleitorais se transformam num verdadeiro quebra-cabeça.Beneficiar um grupo, deixando outros longe dos holofotes, é o mesmo que mexer em um vespeiro. E esse é um dos problemas que trava as negociações com postulantes do setor evangélico a uma das vagas para o Senado na chapa do governador Paulo Câmara (PSB).

Nem André Ferreira (PSC) nem qualquer representante do PP, os dois grupos que estão no jogo, representam os evangélicos em sua totalidade. Vista assim, a questão está quase resolvida até porque, acima do poder eleitoral dos evangélicos, paira a possível aliança entre o PSB e o PT. Fechado esse acordo, o senador Humberto Costa (PT) disputará uma das vagas do Senado na chapa de Paulo, enquanto a  outra será do deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB).

Bem, o PSC e o PP podem até ir para a oposição mas levarão igualmente a divisão do segmento. Agora, como os evangélicos pernambucanos estão decididos a terem  um representante no Senado, alguém terá que ceder. Assim, o segmento poderá concentrar suas orações em um só candidato.

Publicado em: 14/06/2018