Procurador pode ser enquadrado por ativismo polĂ­tico

O procurador do Ministério Público do Trabalho do Rio de Janeiro, Rodrigo Carelli, pode ser enquadrado em atividade político-partidária, proibida pela Constituição (art. 128) por ser agente público.

Isso porque, segundo o Radar Online, não é tímida sua militância pelo PSOL. Há registros de palestras organizadas pelo partido que ele participou, além de abaixo-assinado rubricada por ele.

Publicado em: 16/05/2018