Apascentais os corações auriverdes!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Bandeira branca, Brazil! O branco é a soma de todas as cores. Em tempos de radicalização, as criaturas estão com a faca nos dentes e os corações em chamas. Chamem os anestesistas! Os cardiologistas! Os meteorologistas! Chamem os bombeiros!  

Quem irá apascentar os nossos corações auriverdes? Quem irá apascentar as ovelhas, os carcarás e os lobos maus da floresta?

Jesus de Nazaré falou para o Apóstolo Pedro, o pastor universal do seu rebanho: “Apascentai as minhas ovelhas!” O Nazareno então chamou Pedro de Kefas, que significa pedra. As pedras rolaram na Antiguidade: Rolling Stones, I can’t get no satisfation”, a humanidade é de guerra, eis o triste legado de Caim, Abel, Herodes et caterva. 

O Comendador Bueno, magistrado Bartolomeu Bueno de Freitas, do Tribunal de Justiça de Pernambuco, aflorou no recinto.  

“Desarmem-se os espíritos”, este deve ser o novo mantra, segundo o Comendador Bueno, uma das cabeças pensantes mais lúcidas do nosso Estado e persona representativa da sociedade civil.

“Conclamo a todos” – representantes dos Poderes constituídos, Entes Federativos, Ministérios Públicos, Forças Armadas e forças auxiliares, movimentos sociais, criaturas do bem, a buscarem um acordo nacional no objetivo de equacionar a crise política, econômica, social, institucional e ética, pela preservação do Estado de Direito Democrático dentro da paz e harmonia social.

E que sejam continuadas as investigações, processos e julgamentos nos conformes da Constituição e das leis, sem preconceitos e sem pré-julgamentos.

Sob o signo da Guerra Fria o Doutor Strangelove navegava a bordo de uma ogiva nuclear para simbolizar o equilíbrio do terror entre o Ocidente capitalista e a Cortina de Ferro comunista da União Soviética. Strangelove, o estranho amor do terror.

Nos anos 1980 o flagelo da inflação gerou uma década perdida. Nos tempos presentes, se os conflitos não forem dissolvidos serão fontes permanentes de instabilidade, descrença nas instituições, autoflagelação do País e zero prosperidade econômica.

Com sua luneta histórica de 250 gigabytes/segundo, o Comendador Bueno visualiza mais conflitos na aldeia digital de hoje que nas décadas de 1940-1950 em meio e pós a 2ª Grande Guerra transnacional. A África pós-colonização, infelicitada por fome, doenças e tiranias, e a poderosa Europa vivenciam as convulsões de conflitos migratórios. A população da Síria é massacrada pela guerra, ante a cumplicidade das superpotências e a impotência da ONU.

O Comendador Bueno também faz coro junto com as vozes que preconizam a convocação de uma Assembleia Constituinte, exclusiva, para celebrar um novo pacto de conciliação nacional.

Depois da galáxia de Gutenberg, a mídia de celulose, vivemos hoje nas nuvens de silício da Internet.   

A aldeia global virou um sanatório geral. Acabou a grande geral transnacional, mas nesta terra onde havia a lenda de que Deus é brasileiro mais de 60 mil almas vão para o além a cada ano de morte matada. Aba, Pai misericordioso, apascentai o coração do Brazil e nossos corações!

Publicado em: 09/04/2018