Triplex do Guarujá foi avaliado em R$ 2,2 milhões

O apartamento triplex em Guarujá, no litoral paulista, atribuído pelo Ministério Público Federal (MPF) ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi avaliado em R$ 2,2 milhões.

A avaliação judicial foi feita por determinação do juiz Sérgio Moro, que ordenou a venda do imóvel em leilão público.

Lula foi condenado em duas instâncias no processo que envolve o triplex – em primeira, a pena fixada foi de 9 anos e 6 meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro; em segunda, a 12 anos e 1 mês de prisão, com início em regime fechado.

Lula foi acusado pelo MPF de receber propina da empreiteira OAS. A suposta vantagem, no valor de R$ 2,2 milhões, teria saído de uma conta de propina destinada ao PT em troca do favorecimento da empresa em contratos na Petrobras.

Segundo os procuradores, a vantagem foi paga na forma de reserva e reforma do apartamento triplex, cuja propriedade teria sido ocultada das autoridades. Um dos depoimentos que baseou a acusação do Ministério Público e a sentença de Moro é o do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, também condenado no processo.

A determinação de Moro foi feita no dia 29 de janeiro. Na mesma decisão, o juiz determinou que após a avaliação, fosse marcada a data do leilão. Ele sugeriu que o procedimento seja feito, preferencialmente, de forma eletrônica.

Publicado em: 14/02/2018