Coluna da quinta-feira

Bruno agiu certo

Substituto de Bruno Araújo no Ministério das Cidades, Alexandre Baldy (PP), revogou portaria de seu antecessor pernambucano, que autorizou a contratação de 55 mil unidades habitacionais em todo o Brasil pelo programa Minha Casa, Minha Vida. Neste lote, Pernambuco estava contemplado com 2.687 novas moradias para a Faixa 1 do programa. Trata-se de uma decisão revanchista do sucessor, que agora com a caneta na mão deve fazer o mesmo por Goiás, seu Estado. Todo ministro procura puxar a sardinha para a sua brasa. Atire a primeira pedra aquele que no exercício da função não priorizou seu Estado.

Bruno, portanto, não cometeu nenhum pecado, não pode ser atacado nem objeto de chafurdação por isso. Sem saber que o destino reservava a surpresa de deixar a pasta, em novembro de 2017, quando tomou a decisão, Bruno disse que os recursos que ele assegurou para Pernambuco eram “prego batido e ponta virada”. E eram mesmo! Porque ele não contrariou princípio nenhum, trabalhou pelo seu Estado. Figura caricata, o ex-ministro Antônio Carlos Magalhães só olhava para o seu Estado com um viés diferenciado e por isso ganhou fama de político que fazia muito pela sua terra, reinando por muito tempo no poder.

O ministro alegou que Bruno Araújo teria beneficiado cidades governadas por correligionários. A justificativa de Baldy para desfazer a portaria do antecessor, porém, foi “ineficiência”. Técnicos das Cidades apontaram que parte das unidades anunciadas em novembro nem sequer tinha celebrado contrato com a Caixa, por falta de projeto ou licença. A ideia agora é priorizar propostas mais adiantadas. Baldy deu prazo de 30 dias para a contratação das novas selecionadas.

Integrantes da base governista alegam que os critérios utilizados pelo tucano para a distribuição das unidades habitacionais foram meramente políticos. “O governo viu que não estava atendendo ninguém, que era preciso fazer uma readequação técnica”, disse um deles. Quando ainda era ministro, a comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados aprovou a convocação de Bruno para prestar esclarecimentos sobre os critérios utilizados pela sua gestão para decidir quais estados receberiam unidades do Minha Casa, Minha Vida.

No seu balanço, na saída da pasta, o tucano mencionou um total de R$ 3 bilhões pagos em obras para Pernambuco, alegando que o Estado nunca recebeu tanto recurso do Ministério das Cidades. Fez certo, todos fazem assim. Se ele não contemplou municípios que não são da sua base aí são outros quinhentos.

Bolsonaro sem fôlego – Novo líder da bancada do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS) avalia que o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) não terá fôlego eleitoral para chegar ao segundo turno da eleição presidencial e disse que o principal adversário do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda não surgiu. Em entrevista, Pimenta afirmou que Bolsonaro não é eleitoralmente "auto suficiente". "Ele tende a desidratar à medida em que ele seja chamado a falar", concluiu o petista. Para o deputado gaúcho, quanto mais Bolsonaro for instado a opinar na campanha eleitoral sobre os temas que vieram ao debate, "mais vai se complicar".

Governo entrega ações no Agreste – O governador Paulo Câmara irá, hoje, aos municípios de Alagoinha e Tacaimbó, ambos no Agreste Central de Pernambuco, para entregar obras no âmbito de recursos hídricos. Em Alagoinha, o chefe do Executivo estadual irá inaugurar o Lote 2 do Sistema Adutor do Agreste, que passa a ser alimentado com água da barragem Ipaneminha, restabelecendo o abastecimento de água da cidade e beneficiando cerca de 7 mil habitantes. Já no município de Tacaimbó, o governador irá inaugurar o Sistema de Esgotamento Sanitário. Com o equipamento, que recebeu um investimento de R$ 14,6 milhões, a população de Tacaimbó passará a contar com coleta e tratamento de esgotos sanitários, ação contribuidora para a preservação do Rio Ipojuca.

Alckmin nega vínculo entre inaugurações e eleições – "Cancelei minha ida a Davos porque não está cabendo na agenda tantas inaugurações", brincou o governador Geraldo Alckmin, pré-candidato ao Palácio do Planalto, depois de anunciar uma sequência de eventos oficiais até o Carnaval. Pré-candidato à Presidência pelo PSDB, o governador nega que o grande volume de inaugurações tenha relação com a disputa eleitoral. Na agenda do mês também estão as entregas das estações Eucaliptos, da linha 5, e Higienópolis-Mackenzie, da linha 4 do metrô. Haverá ainda a abertura de licitação para Fundo Imobiliário do Estado e dos ônibus intermunicipais da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado.

Pernambucanos lançam comitê em apoio a Lula – Com o intuito de reforçar a defesa do ex-presidente Lula, que será julgado na segunda instância da Justiça no próximo dia 24, lideranças sindicais, movimentos sociais, militantes e artistas lançarão, hoje, o “Comitê metropolitano em defesa da democracia e do direito de Lula ser Candidato a presidente”. O lançamento acontece às 18h no Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe). Nos dias 23 e 24, dia do julgamento do petista, serão realizadas atividades na Praça Tiradentes, no Bairro do Recife.

Temer comemora inflação baixa – O presidente Michel Temer reuniu-se, ontem, com ministros da área política e econômica para celebrar os recentes dados da inflação 1. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, fechou 2017 em 2,95%, abaixo do piso estipulado pelo governo, de 3%. “Estamos reunidos para comemorar um fato extraordinário, um índice de inflação abaixo do piso. Acho que isso merece uma comemoração”, disse Temer na abertura do encontro, no Palácio do Planalto. Para 2017, o governo havia fixado uma meta inflacionária de 4,5%, com possibilidade de variação de 1,5% para cima ou para baixo, ou seja, entre 6% e 3%.

CURTAS

MOBILIDADE – Ao contrário de muitos parlamentares, que ainda encontram-se em férias, o deputado federal Severino Ninho está agarrado no serviço neste mês de janeiro. Ontem, Ninho reuniu-se com o superintendente do DNIT em Pernambuco, Cassildo Medeiros, para debater mobilidade urbana e a diminuição de acidentes de trânsito em Igarassu.

GASOLINA – Os moradores e turistas de Fernando de Noronha já estão pagando um novo preço nos combustíveis do arquipélago. O litro da gasolina passou de R$ 6,39 para R$ 6,59 (3,12%), a gasolina mais cara do Brasil. Já o litro do óleo diesel aumentou de R$ 5,04 para R$ 5,29 (2,73%). O reajuste não foi bem aceito pelos habitantes da Ilha.

Perguntar não ofende: Até onde vai a insistência de Temer em favor de Cristiane Brasil?

Publicado em: 10/01/2018