Presidente da Alerj é alvo de operação da PF

O deputado Jorge Picciani (PMDB), presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), chegou ao Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, por volta das 8h de hoje e foi levado por agentes para prestar depoimento na sede da Polícia Federal (PF).

Picciani é alvo da Operação Cadeia Velha, que também prendeu o filho dele, Felipe Picciani, que tinha acabado de deixar o pai no aeroporto de Uberlândia, em Minas Gerais, no início desta manhã. Foram presos ainda na mesma operação o empresário Jacob Barata Filho e o ex-presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) Lélis Teixeira. Jorge Picciani é suspeito de receber propina da Fetranspor, em um esquema de corrupção no setor que envolveria políticos. Ele já tinha sido levado para prestar depoimento à PF em março, na Operação Quinto do Ouro,que prendeu 5 dos 7 conselheiros do Tribunal de Contas do Rio (TCE-RJ).

A Operação Cadeia Velha, que mira a cúpula da Alerj é um desdobramento da Lava Jato e foi desencadeada a partir das investigações da Operação Ponto Final.

Segundo a PF, as empresas de ônibus colocavam dinheiro em uma "caixinha", destinada ao pagamento de propina a políticos para aprovar leis que beneficiariam o setor. A informação chegou ao Ministério Público Federal (MPF) com a delação premiada do doleiro Álvaro José Novis.

 

Publicado em: 14/11/2017