Coluna da terça-feira

 Saída de Bruno impacta sucessão 

A saída do cargo do agora ex-ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), impacta diretamente a sucessão estadual de 2018 em Pernambuco. A notícia, confirmada ontem, mas que já era esperada na cena política há algum tempo, trouxe consigo uma reconfiguração da corrida eleitoral. O PSDB, partido presidido por Bruno no Estado, perdeu força com a desincompatibilização do deputado federal e pode, inclusive, ficar de fora da majoritária, em composições que passam por palanques do governo ou da oposição.

É unânime no meio político a tese de que uma coisa era se Bruno Araújo deixasse o ministério no prazo estipulado por lei (em abril de 2018); e outra foi ter saído ontem, após soltar uma carta de demissão em meio ao racho exposto no PSDB, tanto âmbito federal quanto no estadual. Dizem que o parlamentar se antecipou ao presidente Temer, que, pressionado pelo Centrão, já tinha decidido entregar o comando das Cidades a outra sigla.

O deputado federal, que, nos bastidores, era tido como candidato certo ao Senado, pode ter que contentar-se com a reeleição para a Câmara. A forma como se deu a sua saída fez o PSDB de Pernambuco perder força política e, consequentemente, dimensão para tentar cavar espaço em qualquer que seja a majoritária. O jogo agora é outro.

A Bruno Araújo, resta tentar solucionar o imbróglio que se tornou o tucanato em seu estado, depois que o deputado federal Daniel Coelho abandou a convenção da legenda porque não teve seu nome chancelado para a tesouraria. Esse é o primeiro passo para manter vivo o sonho majoritário do PSDB em 2018.

ALTRUÍSMO – Oficialmente, o ex-ministro Bruno Araújo justificou seu pedido de demissão como um gestor em prol da unidade do PSDB, dividido entre os que defendem a permanência no Governo Temer e os que pedem a entrega dos cargos. Na carta enviada ao presidente, Bruno fez um balanço da sua gestão e encerrou dizendo que “a serenidade da história” reconhecerá no atual governo “resultados profundamente positivos para a sociedade brasileira”.

SUPLÊNCIACom a volta de Bruno Araújo à Câmara Federal, quem perde a vaga no Parlamento brasileiro é o ex-prefeito de Petrolina, Guilherme Coelho, que volta para a suplência. Para o lugar de Bruno no ministério, o PP já deixou vazar que quer indicar o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, para o posto. Occhi já foi ministro de Dilma Rousseff. É a famosa dança das cadeiras onde governo e oposição se misturam.

 

BOMBEIROS - O governador Paulo Câmara participou, ontem, da aula inaugural do Curso de Formação e Habilitação de Praças Bombeiro Militar (CFHP BM), para 300 novos homens e mulheres, aprovados em concurso realizado em maio deste ano. "Tenho certeza que esses novos alunos vão se integrar a uma corporação séria, que vai nos ajudar muito a ser um Estado mais igual, justo, e, acima de tudo, um Estado onde os Bombeiros Militares vão estar sempre prontos para atender à população sempre que chamados, preservando a vida, o próximo, e, principalmente, a cidadania e a qualidade de vida das pessoas", disse Paulo.

DORMENTES  - No cargo desde setembro, a prefeita de Dormentes, Josimara Cavalcanti (PSB), reuniu-se com o governador Paulo Câmara (PSB) no Palácio do Campo das Princesas, ontem, levada pelo deputado federal Fernando Monteiro (PP). Na pauta, parcerias nas áreas de infraestrutura, recursos hídricos e segurança entre o Governo do Estado e a prefeitura – pela manhã, a gestora já havia se reunido com o presidente da Compesa, Roberto Tavares. Josimara assumiu o posto em decorrência do falecimento do ex-prefeito Geomarco Coelho.

 

CURTAS –

HOMENAGEM - Pavimentando o caminho de volta para a Assembleia Legislativa, Manoel Ferreira receberá, no próximo dia dois de dezembro, o título de cidadão de São Lourenço da Mata. A proposição é do vereador Irmão Manoel (PR). A candidatura de Manoel, patriarca do clã Ferreira, faz parte de uma jogada audaciosa do seu grupo político, que pleiteia uma vaga na chapa ao Senado para o deputado estadual André Ferreira. Nesse cenário, o vereador do Recife, Fred Ferreira, concorreria à Câmara Federal. Eles terão a força da máquina da Prefeitura de Jaboatão, do prefeito Anderson Ferreira, trabalhando a seu favor.

OLINDA – Outro que vai arriscar alto na eleição de 2018 é o prefeito de Olinda, Professor Lupércio. De ascensão meteórica na política, o chefe do Executivo olindense vai lançar a mulher, Cláudia Cordeiro, à Assembleia Legislativa. De acordo com aliados do prefeito, a pré-candidata conta com o apoio do seu partido, o Solidariedade, para lograr êxito. Nunca é demais lembrar que a Prefeitura também vai moer pesado para eleger a primeira-dama.

CAMPANHA – O ipubiense Daniel Torres lançou o movimento “Sim, Nós Podemos” com o objetivo de conscientizar e mobilizar a sociedade civil e os políticos do Araripe da necessidade de a região ter um filho da terra no Congresso Nacional a partir de 2019. Segundo seu idealizador, o movimento é apartidário e plural. O nome a ser apoiado pelo grupo surgirá após um longo debate com a sociedade.

Perguntar não ofende: O que o Palácio achou da saída de Bruno Araújo do Ministério das Cidades?

Publicado em: 14/11/2017