Coluna da quarta-feira

    Olimpíada da propina

O Brasil é um País sem-vergonha mesmo, capaz de comprar até na base da propina uma sede da Olimpíada. A safadeza, envolvendo políticos da laia de Sérgio Cabral, ex-governador do Rio, enlameou os esportes olímpicos. O principal dirigente, responsável pelo Brasil sediar o Pan-americano e a Olimpíada de 2016, Carlos Arthur Nuzman, se lambuzou com Cabral, mas, felizmente, como o ex-governador, caiu nas garras da Polícia Federal, uma das raras instituições hoje no País que nos orgulha.

O Ministério Público Federal bloqueou R$ 1 bilhão do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e de seus supostos sócios. Agentes estavam às seis da manhã na sua luxuosa mansão e também na sede do COB. Atrás de provas que comprovem as fortes suspeitas de intermediação da compra de votos para que o Brasil sediasse a Olimpíada.

Foram expedidos dois mandados de prisão preventiva contra Arthur César de Menezes Soares Filho, ex-dono de uma fornecedora do Estado do Rio de Janeiro, a Facility, e outro para sua ex-sócia, Eliane Pereira Cavalcante. Conhecido pelo singelo apelido de"Rei Arthur", ele depositaria o dinheiro da propina, que seria administrada por um operador financeiro do grupo do ex-governador Sérgio Cabral, preso por corrupção.

A propina para Cabral seria depositada em Antígua e Barbuda, país do Caribe, que é conhecido como paraíso fiscal, local onde o sigilo de dinheiro sem origem comprovada é garantido. Lá também estaria o dinheiro que Arthur teria reservado para comprar os votos do Comitê Olímpico Internacional que garantiriam o Rio como sede da Olimpíada. E Nuzman seria o intermediário, quem compraria esses votos.

Os acusados estão sendo indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Segundo a investigação, realizada em colaboração com o Ministério Público francês, Cabral determinou que Arthur Soares realizasse pagamento de US$ 2 milhões ao ex-atleta Papa Diack, filho de Lamine Diack, que foi um dos jurados, para obter votos dos países africanos para a eleição da cidade do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016.

O dirigente tratou o vôlei brasileiro como se fosse propriedade sua. Ficou 20 anos na presidência na Confederação Brasileira de Vôlei. E há 22 anos é presidente do Comitê Olímpico Brasileiro. Foi, em um caso absurdo, presidente do COB e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio. Ele mesmo determinava quanto o Comitê Organizador daria de dinheiro ao COB. Absurdo que o Tribunal de Contas da União denunciou.

Os Jogos Olímpicos custaram ao País R$ 40,6 bilhões. E como Ricardo Teixeira, Nuzman também não cumpriu sua palavra. Ele havia garantido que a iniciativa privada bancaria a competição. Foi o dinheiro público do País, mergulhado em recessão, com mais de 14 milhões de desempregados, que bancou a competição. O tão prometido legado é nulo. Na cidade do Rio de Janeiro. E no esporte olímpico do País. Atletas foram abandonados à própria sorte. Tudo não passou de uma bilionária ilusão, que deixou poucos riquíssimos. Está bloqueado um bilhão de reais em propriedades de Nuzman, Rei Arthur e Eliane. São apartamentos luxuosos, joias, carros e até um jatinho particular. A Polícia Federal desconfia que Nuzman tenha a cidadania russa. E temendo que fuja do País, seu nome já está em todos os aeroportos brasileiros. Está proibido de embarcar para onde for.

PIB EM ALTA– A produção da indústria brasileira cresceu 2,5% em julho ante mesmo mês do ano passado e 0,8% em relação a junho, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o quarto resultado positivo seguido do setor. É o melhor mês de julho desde 2014, quando a taxa foi de 1,3%. Nos primeiros sete meses do ano, o crescimento foi de 0,8%. Já no de 12 meses, houve queda de 1,1%. De acordo com o IBGE, a principal influência positiva veio do setor de produtos alimentícios (2,2%), com o aumento da produção de açúcar, favorecida pelo clima seco na maior parte da região Centro-Sul. O maior processamento da safra de cana-de-açúcar também impulsionou a produção de álcool, com impacto no setor de derivados de petróleo e biocombustíveis.

Uma ave raraTrês vezes prefeito de Itapetim, santuário da poesia e do repente no Sertão do Pajeú, o prefeito Adelmo Moura (PSB), de volta ao poder depois de eleger o sucessor em 2012, já faz uma gestão em perfeita sintonia com as expectativas da população. Segundo pesquisa do Instituto Opinião, postada ontem neste blog com exclusividade, seus primeiros nove meses de administração têm aprovação nas estrelas: 84% dos entrevistados a consideram boa ou ótima. Em tempos tão bicudos no âmbito municipal, Moura certamente deve ser uma exceção em tamanha popularidade no Estado.

No limite– Do ministro da Defesa, Raul Jungmann, sobre as dificuldades orçamentárias que atingem as Forças Armadas no País. “Até aqui, nós não tivemos comprometimento operacional das Forças, mas nós estamos no limite. Ou seja, o nosso limite é exatamente o mês de setembro. Nós temos o compromisso que, aprovada a nova meta fiscal, nós vamos ter a liberação desse recurso e a vida segue para nós, eu espero, normalmente”. O ministro apontou que, caso não haja liberação do orçamento, o caminho vai ser o de reduzir os serviços.

Boa notícia– A Câmara dos Deputados aprovou um projeto, de autoria do deputado pernambucano Augusto Coutinho (SD), que muda as regras para adoção no Brasil. O texto segue agora para análise do Senado. Com o objetivo de agilizar procedimentos, a proposta trata de temas como destituição do poder familiar, entrega voluntária, apadrinhamento afetivo, guarda e adoção de crianças e adolescentes. Havia acordo entre os partidos e o texto foi aprovado em votação simbólica, na qual não há contagem de votos. O projeto disciplina vários aspectos do processo de adoção, como prazos para o estágio de convivência, por meio do qual os candidatos a adotar uma criança convivem com ela por determinado período.

Em maus lençóis-  Marcelo Odebrecht deixou o ex-presidente Lula, mais uma vez, numa situação extremamente desconfortável. Em novo depoimento sobre suas relações nada republicanas e até promíscuas com o petista, disse ter afirmado ao pecuarista José Carlos Bumlai e ao presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, que debitaria o valor do terreno do Instituto Lula da planilha Italiano, codinome do ex-ministro Antônio Palloci. Embora tenha ressaltado que nunca tratou desse assunto com o ex-presidente Lula, afirmou que o petista sabia de todas as negociações.

CURTAS

CONCURSO– Estão abertas as inscrições para o concurso público promovido pela Prefeitura de Pombos, na Zona da Mata de Pernambuco, distante 57 KM do Recife. A administração pública oferece 282 vagas em vários cargos de níveis fundamental, médio e superior. A seleção, que prevê oportunidades para médicos e professores, receberá cadastramento de interessados até o dia 8 de outubro deste ano. O procedimento deve ser efetuado pela internet.

MAIS UM– Bandidos explodiram, na madrugada de ontem, um caixa eletrônico localizado em Feira Nova, no Agreste, distante 77 km do Recife. De acordo com a Polícia Militar, os assaltantes invadiram o posto de atendimento, no Centro da cidade, e levaram uma quantia em dinheiro não informada. A PM não registrou confronto com os assaltantes. Não houve feridos. O caixa eletrônico e o posto de atendimento ficaram destruídos.

Perguntar não ofende: Será que para sediar a Copa do Mundo no Brasil em 2014 também rolou propina?

Publicado em: 05/09/2017