Hasta la vista, ditador!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O regime falido da Venezuela é uma vela fúnebre de cera. Está se consumindo a si mesmo. Nenhum governo sobrevive com uma inflação de mais de 1 mil por cento ao ano, desagregação e convulsão social em grau máximo. A escória ideológica da Venezuela vive seus estertores. Hasta la vista, facínora Maduro!         

Exemplos de ditaduras duradouras: Cuba e Coreia do Norte. Diferenças: Cuba sobreviveu durante décadas com a muleta da antiga URSS e escravizou seu povo em fogo brando. Na Coreia do Norte imperam o fanatismo e terrorismo ideológico. Apesar da indigência econômica, esses países não vivenciam convulsões sociais. A Rússia está distante, não tem interesse geopolítico na Venezuela e já bastam os problemas com a Síria e com as nações do Leste da Europa.

Destroçada pela guerra civil, a Síria tem o apoio da Rússia. O sinistro Maduro veste sua nudez com as folhas de coca do regime narcotraficante de Evo Imorales. A camarilha vermelha, aliada da ditadura na Venezuela, em boa hora foi expulsa do poder no Brazil. Mamaram nas glândulas mamárias do BNDES sob a proteção da camarilha do cordão encarnado. A fonte secou.
O big stick, o grande porrete da diplomacia de Donald Trump, está de olho nos labirintos do ditador comunista. O presidente marqueteiro dos EUA, Barack Obama, era muito generoso com a caterva comunista, a começar pela ditadura terrorista de Cuba. Guenta o rojão, molestados, como se diz no popular.       

O ditador Nicolas Maduro faz haraquiri político. Leva o regime pseudo revolucionário ao suicídio.    Em duas décadas Hugo Chavez, Nicolas Maduro e seus sequazes conseguiram arruinar a economia da Venezuela, antes uma nação próspera na década de 1990. Hoje o regime ditatorial vive os seus estertores, não tem salvação.

Mas,o fanatismo ideológico é uma doença crônica, tipo a cegueira. As lombrigas vermelhas não dão o braço esquerdo a torcer. O comandante em chefe da camarilha vermelha e seus discípulos continuem adorando e solidários com os facínoras da ditadura na Venezuela. Se dependesse dessa camarilha, a ditadura terrorista de Maduro seria perpetuada no poder.

O pensamento universitário está contaminado pelos furúnculos escarlates. Aquela mocréia pseudo filósofa que odeia a classe média e  o sociólogo de botequim tipo Sader são exemplares típicos dessas furunculoses ideológicas. Eles não fiam nem tecem, vivem de sinecuras, mordomias e privilégios nos cargos públicos.

Certa vez no Jardim das Aflições o brilhante pensador Olavo de Carvalho deu uma surra intelectual naquela mocréia pseudo filósofa que odeia a classe média, no sociólogo de botequim um tal de Sader, no anticristo Libânio e no fradeco Bofe, viúvo de Fidel e adepto da zoologia da libertação. Deu um nó no pescoço deles e aplicou formicida no cérebro de repolho da patota. Os bichos ficaram com hematomas vermelhos em todos os poros.

Por isso ele detestam Olavo. Se eles detestam, é porque presta. Os vermelhos também detestam o papaizinho, mas eu sou pequenininho do tamanho de um passarinho. Eles mataram a galinha dos ovos de ouro negro, o petróleo. É a maldição da corrupção e da incompetência, nada a ver com a maldição do petróleo.    

Profeta Adalbertovsky
[email protected]

Publicado em: 07/08/2017