Militantes dizem que PT "provavelmente" usou caixa 2

Ex-presidentes Lula e Dilma e o presidente do PT, Rui Falcão, em congresso do partido

Folha de S.Paulo - José Marques

Um artigo publicado no site do PT nacional diz que o partido "provavelmente" usou caixa dois para construir um "espaço de poder" na sociedade brasileira.

O texto é creditado a militantes da tendência mineira Articulação de Minas/CNB "que atuam na área da segurança pública e do combate à corrupção" e contribuiria "para o exercício reflexivo" da base partidária.

Procurada, a corrente petista diz que o artigo "não reflete a totalidade do pensamento" de seus militantes e nem da legenda.

Divulgada nesta segunda (20), a publicação diz que "as eleições brasileiras historicamente foram feitas mediante contribuições não contabilizadas, vulgo caixa dois".

"Enquanto as regras eleitorais não fossem modificadas –para todos–, seria quase impossível disputar em condição de obter uma vitória em qualquer nível da federação, (...) não utilizando as regras do jogo que sempre foi jogado", afirma.

"Então, o Partido dos Trabalhadores, provavelmente, se utilizou das mesmas regras que os demais usavam."

O artigo questiona: "Como o PT poderia disputar eleições sem recursos enquanto todos os partidos neoliberais o tinham de sobra e de várias fontes? Seria impossível disputar com chances de vitória sem os instrumentos necessários. É perfeitamente lógico que o Partido dos Trabalhadores, apresentando um projeto ao país, disputando um novo rumo para a nação, tenha buscado se financiar para tal."

Representante da tendência, a vice-presidente do PT Gleide Andrade, disse à Folha que o texto foi escrito por "militantes isolados" e ficou "surpresa" ao saber que a publicação menciona caixa dois.

A Articulação de Minas é ligada à CNB (Construindo um Novo Brasil), tendência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Publicado em: 20/03/2017