Coluna da quinta-feira

     Maia caça votos na bancada 

Candidato à reeleição, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chega, amanhã, ao Recife, para um almoço com a bancada federal pernambucana, que está em recesso. Na contabilidade sobre o potencial de votos dentro das bancadas, Maia adianta que já tem os votos necessários para emplacar um novo mandato.

Pelo levantamento apresentado por Rodrigo Maia, em almoço na residência oficial com aliados, já há votos suficientes para a vitória em primeiro turno. São necessários, pelo menos, 257 votos para um candidato ganhar em primeiro turno. Mesmo assim, até o momento, Maia ainda não oficializou sua candidatura. A estratégia definida pelo presidente da Câmara é aguardar até o último momento para registrar a candidatura, somente em 1º de fevereiro, para evitar contestações no Supremo.

Maia se reuniu, ontem, com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto e no fim da tarde se reuniu no Palácio Itamaraty com o ministro José Serra. O PSDB já garantiu apoio à reeleição de Maia. Inicialmente, pelo acordo fechado em julho do ano passado, o DEM apoiaria agora a candidatura de Imbassahy para a presidência da Câmara, mas, mesmo assim, os tucanos decidiram manter a aliança com Maia.

No caso da bancada pernambucana, há uma nítida divisão. O PSB, que tem o maior número de deputados – sete – não sabe se ainda terá candidato próprio. Dois nomes estão sendo ventilados – Júlio Delgado, de Minas, e Heráclito Fortes, do Piauí. “Temos que reunir a bancada para deliberar sobre o assunto”, diz o líder na Câmara, Tadeu Alencar.

Segundo ele, dos 25 deputados que formam a bancada, 18 confirmaram presença no almoço com Maia, marcado para o restaurante do PCPM, no bairro do Pina. Depois do PSB, pela ordem, a maior bancada do Estado é do PTB, que, em tese, apoiará a candidatura de Jovair Arantes (PTB-GO).

DERROTADA - A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), foi derrotada na eleição para presidente da Câmara. Seu candidato oficial, o ex-presidente Leonardo Chaves (PDT), teve que retirar seu nome às pressas para evitar que o vereador Alberes Lopes (PRP), ligado ao deputado Tony Gel (PMDB), viesse a ser eleito. No estresse gerado com a situação foi eleito Lula Torres, também do PDT, do grupo do ex-prefeito José Queiroz (PDT), com quem a tucana mantém uma relação de extrema desconfiança por causa da relação dele com o seu pai, o ex-governador João Lyra, entre tapas e beijos.

Aliado na presidência Diferentemente de grande parte dos municípios sertanejos, em Araripina o prefeito Raimundo Pimentel (PSL) emplacou o presidente da Câmara, Evilásio Mateus, do seu partido e fiel aliado. No quarto mandato, Evilásio é o chamado vereador distrital. Saiu praticamente eleito de sua comunidade, o distrito Lagoa do Barro, onde mora. Lá, teve 1.376 dos 2.854 votos, saindo das urnas como o mais votado entre os 15 eleitos para o parlamento municipal. Com serviços prestados ao município e elevado espírito público, tende a fazer um excelente mandato à frente da mesa diretora da Câmara.

Complicações em Salgueiro – O prefeito de Salgueiro, Clebel Cordeiro, está com dificuldades para efetuar algumas medidas emergenciais, porque o seu antecessor, ex-prefeito Marcone Libório de Sá, não sancionou a Lei de Orçamento Anual (LOA), para o exercício de 2017. Isso, segundo ele, comprometeu algumas decisões que já poderiam ter sido tomadas, a exemplo do contrato para coleta de lixo na cidade, que expirou no último dia 31 de dezembro. “O curioso é que a Câmara Municipal enviou o projeto da LOA, para a Prefeitura, no dia 7 de dezembro, e o prefeito tinha prazo suficiente e não sancionou”, afirmou.

Queixoso com o PSB– De olho num mandato na Assembleia Legislativa em 2018, o prefeito reeleito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, estaria insatisfeito com as portas fechadas pelo partido para viabilizar o seu projeto no Pajeú, a sua base, onde praticamente todos os prefeitos já assumiram compromissos com outras candidaturas. Diante disso, surgiram rumores de que ele poderia trocar o PSB pelo PMDB, mas o líder socialista na Câmara, Tadeu Alencar, que estará hoje no Pajeú, desconhece qualquer sinalização de rebeldia dele. “Patriota é um histórico do PSB e temos que fazer de tudo para não perdê-lo”, disse Alencar.

O grito de Custódia Custódia fechou, ontem, por duas horas, a BR-232 em protesto contra a retirada do Ciosac do município, decisão que já estaria tomada pelo governador Paulo Câmara. Se isso de fato vier a ocorrer, o Governo cometerá um grande equívoco, contribuindo para o aumento da violência na região, que já atingiu níveis insuportáveis. O ato teve uma grande adesão da sociedade e acabou contando com um aliado: o deputado federal João Fernando Coutinho, que estava passando na estrada, parou e prestou solidariedade, prometendo servir de interlocutor junto ao governador.

CURTAS

VANDALISMO- Os técnicos da Compesa encontraram, ontem, barragem que abastece o distrito de Camela, em Ipojuca, vazia. Os vândalos abriram a descarga de fundo (equipamento utilizado para manutenção e controle da água) do manancial, que é alimentado pelo Riacho São Pedro. A ação impediu que a Compesa captasse e tratasse água para atender aos 14 mil moradores do distrito de Camela, na Região Metropolitana do Recife.

CAOS EM PETROLINA- O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), informa que alguns serviços da administração municipal estão suspensos devido à falta de pagamento ou manutenção, que deveriam ser realizados pela gestão anterior. No prédio da Prefeitura e em todas as secretarias, segundo ele, os telefones estão cortados e a estrutura encontra-se deteriorada, impossibilitando alguns setores de desempenharem suas atividades com excelência.

Perguntar não ofende: Quantos votos Rodrigo Maia teria hoje para sua recondução na Câmara dos Deputados? 

Publicado em: 04/01/2017