Coluna da quarta-feira

Cheques voadores em Sertânia 

Dois dias após a posse, prefeitos começaram, ontem, a ter a exata noção da massa falida que estão recebendo dos seus antecessores. Em Sertânia, a 300 km do Recife, o ex-prefeito Guga Lins (PSDB) não deixou discriminada a relação dos cheques que assinou com pagamentos aos credores da municipalidade. Assustado com a imensa quantidade de cheques voadores no mercado, o novo prefeito Ângelo Ferreira (PSB) registrou um boletim de ocorrência na delegacia local e de posse do documento foi aos bancos sustar todos os cheques.

Ele não sabe, na verdade, quantos cheques e seus valores estão em poder de credores, mas desconfia que sejam muitos. Do Recife, um aliado ligou para pedir o pagamento de um “borrachudo” de R$ 35 mil, mas, evidentemente, não atendeu, até porque recebeu a Prefeitura com o caixa deficitário, com mais de R$ 9 mil negativos. “Estou atônito, sem informação alguma e desconfiado de que o rombo no caixa seja muito grande”, disse.

Estarrecido, Ângelo diz que desconfia, também, que existam muitos valores comprometidos em cheques cujos serviços possam não ter sido prestados ao município. “Só pago, primeiro se tiver dinheiro, segundo se comprovar que os serviços foram de fato prestados”, afirmou, adiantando que o ex-prefeito deixou também as instalações da Prefeitura sucateadas. O ex-prefeito sequer teve o cuidado de tirar o mofo das paredes nem tampouco pintar.

Em Salgueiro, prevendo o pior, o novo prefeito Clebel Cordeiro (PSB) baixou duas medidas, ontem, decretando calamidade financeira. Com isso, fica acobertado pela lei para contratar serviços para manter o essencial e emergencial, principalmente na área social. Prefeitos que receberam o poder de adversários têm que correr porque a lua de mel com a população é curta, dura entre seis a oito meses. Se até lá nada fizer de impactante, pode cair no descrédito.

Por isso, pecam aqueles que não anunciam um pacote de medidas de impacto, preferindo vistoriar obras, como é o caso do Professor Lupércio, de Olinda, que ainda não disse a que veio. Não sabe ele que os primeiros cem dias são de medidas austeras, fruto de longas reuniões para identificar a saúde fiscal do município. Olinda não quer ver Lupércio nas ruas. Quer saber quais as medidas moralizadoras tomadas para salvar o município e dar o norte da sua gestão.

PROTESTO – A população de Custódia, a 400 km do Recife, sai às ruas, hoje, para um grande manifesto em defesa da permanência na cidade do Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI), antigo CIOSAC. O ato está programado a partir das oito da manhã, se estendendo por mais de duas horas. Toda a sociedade custodiense está envolvida e há possiblidade de uma adesão total do comércio, indústria e até bancos, que podem fechar durante a manifestação. É possível que o protesto culmine com o fechamento da BR-232, que liga o município com a capital. Tudo isso porque o governador Paulo Câmara não dá a mínima para o pleito. Sem o BEPI, a violência, que atemoriza a população sertaneja, vai resultar certamente numa tragédia social. 

Defesa de ex-prefeito Em nota enviada, ontem, ao blog, o ex-prefeito de Sertânia, Guga Lins (PSDB), disse que foi surpreendido com a notícia do novo prefeito Ângelo Ferreira (PSB), de que teria deixado cheques sem fundo em mãos de fornecedores. “Trata-se de uma inverdade oportunista e descabida apenas para gerar desgaste conta minha pessoa”, reagiu, adiantando que está atento e não deixará nenhum ataque do seu sucessor sem resposta.

Voo para Serra – Os secretários estaduais de Transportes e Turismo, Sebastião Oliveira e Felipe Carreiras, respectivamente, voltaram de Serra Talhada, ontem, impressionados com a disposição da direção da companhia aérea Azul de iniciar, o mais breve possível, as operações de voos comerciais no Sertão pernambucano, com a linha Recife-Serra Talhada. “Se dependesse da Azul, já estaríamos fazendo o voo inaugural”, disse Felipe. Em Serra, inspetores, técnicos e dirigentes da Azul aprovaram a qualidade da pista de pouso praticamente concluída. Falta agora a segunda etapa – a estação de passageiros.

Samu em Macaparana– O novo prefeito de Macaparana, Maviael Cavalcanti (DEM), explica que não houve de fato o fim dos serviços do Samu no município, mas uma suspensão temporária causada pela falta de transição estabelecida por lei. “Os serviços, entretanto, já foram restabelecidos plenamente e o nosso desejo é que tenhamos muito mais qualidade”, disse o democrata. A notícia, segundo ele, chegou imediatamente ao conhecimento deste blog, segundo ele, pelo interesse da oposição que criar dificuldades para a sua gestão.

Fechado com Temer Coordenador da bancada pernambucana na Câmara dos Deputados, o socialista João Fernando Coutinho diz que vai continuar votando favorável a todos os projetos encaminhados ao Congresso pelo presidente Temer, independente de orientação partidária. O PSB, em sua grande maioria, tem tido um comportamento de adversário. “Se depender de mim, não haverá nenhum tipo de rompimento institucional. A queda de Temer seria o pior que poderia ocorrer no País”, avalia.

 

 

 

CURTAS

SANEAMENTO- No segundo dia de trabalho à frente da Prefeitura de Petrolina, Miguel Coelho foi ver de perto um dos principais alvos de críticas da comunidade, o saneamento dos bairros. A vistoria foi acompanhada por técnicos e diretores da Compesa e já ficou definido o início de um mutirão de serviços para manutenção da rede e desobstrução de esgotos em pontos críticos.

BANCADA COM MAIA- Candidato à reeleição, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), chega ao Recife na próxima sexta-feira para um almoço com a bancada federal. Quer sair do Estado com o maior número possível dos votos dos 25 parlamentares pernambucanos. A coordenação da visita de Maia está sendo feita pelo deputado Tadeu Alencar (PSB).

Perguntar não ofende: A candidatura de Rodrigo Maia para mais um mandato na presidência da Câmara é ou não inconstitucional? 

Publicado em: 03/01/2017