Coluna da terça-feira

   Medidas de impacto na largada

No primeiro dia de mandato, o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), recorreu aos velhos métodos do populismo e vestido de gari, de vassoura nas mãos, varreu às ruas da capital. Após o gesto midiático, anunciou o corte de 15% dos contratos e 30% dos cargos comissionados entre os sete pontos emergenciais do início da sua gestão. "É uma readequação", disse.

Segundo o tucano, apenas as áreas de saúde, transporte e educação não terão cortes nos contratos. Em Belo Horizonte, o prefeito Alexandre Kalil (PHS) demitiu mais de dois mil servidores públicos, com uma só canetada. Uma decisão mais acertada, moralizadora e realista, em busca do ajuste fiscal.

Na Paraíba, prefeitos que não enxugaram a máquina e preferiram à demagogia, como Dória, deixaram seus gabinetes à escura para a posse dos sucessores. Totó Ribeiro (PSDB), de Curral de Lima, e Mônica Cristina (PSB), de Pilõezinhos, tiveram que tomar posse à luz de velas. Já o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), assinou decreto e duas portarias exonerando coletivamente todos os detentores de cargos comissionados, encerrando também todos os contratos de prestadores de serviços.

Em Mesquita, na Baixada Fluminense, o novo prefeito Jorge Miranda não anunciou nenhuma medida, porque encontrou o prédio depredado, o teto caindo, sem internet e sem impressoras. Em Curitiba, o prefeito Rafael Greca (PMN) havia prometido o anúncio de um pacotão, mas foi internado após passar mal no começo da tarde. Greca foi levado ao Hospital Marcelino Champagnat, onde foi constatada uma trombo-embolia pulmonar.

No dia 31 de dezembro, um dia antes da posse, o prefeito também foi levado ao hospital. Assim que assinou o termo de posse, ele chegou a brincar com a situação durante o discurso. "Ontem, tive que tirar um retrato dele [coração] para convencer e tomar posse", disse. Já em Macaparana, Zona da Mata Pernambucana, a 104 km do Recife, o prefeito Maviael Cavalcanti (DEM) tomou uma medida esdruxula: acabou com os serviços do Samu, suspendendo os trabalhos da única viatura que socorria vidas. Não deu para entender.

VIOLÊNCIA – Indo na contramão da meta estabelecida pelo Pacto Pela Vida, que é reduzir, anualmente, em 12% o número de homicídios, Pernambuco registou crescimento de mais de 13% de crimes contra a vida em 2016. Segundo a Secretaria de Defesa Social, de janeiro a novembro de 2015 foram 3.541 homicídios. Em 2016, esse número subiu para 4.007, levando em conta o mesmo período do ano. Dentro dessas investigações, 32% dos presos estavam ligados a crimes de homicídios. Para o chefe da corporação, Antônio Barros, 2016 passado foi um ano difícil que refletiu, também, numa crise na segurança publica no Estado.

Caos em SertâniaNa chegada ontem ao gabinete para o primeiro dia de trabalho, o prefeito de Sertânia, Ângelo Ferreira (PSB), não encontrou um só arquivo das contas do antecessor disponíveis nos computadores. “Não apagaram apenas as memórias dos computadores. As máquinas foram completamente formatadas. É o caso do setor Jurídico, que não tem sequer o programa de editor de texto”, disse o novo gestor. Segundo ele, chaves de muitas salas sumiram e o teto da Secretaria de Finanças está ameaçado de desabar.

Ex-prefeito na Codevasf – Depois de emplacar o sucessor por uma diferença de apenas 50 votos, num dos pleitos mais disputados do município, o prefeito de Petrolândia, Lourival Simões (PR), deve assumir ganhar como prêmio de compensação do senador Fernando Bezerra Coelho, aliado político, sua indicação para a Superintendência da Codevasf, em Petrolina, feudo dos Coelho. Aos poucos, o presidente Temer vai fazendo as mudanças no segundo escalão, onde reina ainda uma legião de petistas.

Representação em Brasília– Já o secretário estadual de Transportes, Sebastião Oliveira, presidente estadual do PR, fez a indicação do novo chefe da Representação da Prefeitura do Recife em Brasília, Giovani Oliveira, que cuidará também das relações internacionais, cargo estratégico para atrair recursos dos mais diversos organismos no exterior. Articulado, Giovani conhece bem também os corredores do poder em Brasília e deve fazer um bom trabalho.

Bebum premiado com presidênciaFamoso nacionalmente depois de uma reportagem mostrando que tinha por hábito tomar uísque durante as sessões, o vereador Hermógenes Xavier (PTN) foi eleito presidente da Câmara de Piancó, no sertão paraibano, a 399 km de João Pessoa. Além de bebum, o parlamentar já teve seu nome incluído como mendigo nos cadastros do programa Bolsa-Família. Sobre a bebida, alegou que seguia recomendação médica, mas a condição de mendigo disse que suspeitava de “erro premeditado” para prejudicá-lo politicamente.

 

CURTAS

VISTORIA- Hoje, segundo dia útil do ano novo, o secretário estadual de Transportes, Sebastião Oliveira, decola cedo para Serra Talhada, sua terra natal, junto com técnicos da companhia aérea Azul, para acompanhar a vistoria da nova pista ampliada do aeroporto da cidade, que passará a contar com voos comerciais.

EQUIPE DE MEIRA- Em Camaragibe, o prefeito Demóstenes Meira (PTB) tomou uma das medidas mais acertadas: a vice-prefeita Nadegi Queiroz nomeada Secretária de Saúde. Além de eficiente e articulada, Nadegi conhece o setor e fará um excelente trabalho. Para a pasta de Governo, uma boa aposta de Meira: o jornalista Gustavo Matos Ribeiro, que é jeitoso no trato.

Perguntar não ofende: Paulo Câmara reforma o secretariado ou anuncia apenas o substituto de Thiago Norões na pasta de Desenvolvimento? 

Publicado em: 02/01/2017