Coluna do sabadão

    Câmara não absorve Maquiavel

Na entrevista exclusiva de fim de ano que concedeu, ontem, ao Frente a Frente, o governador Paulo Câmara (PSB) foi instigado a falar do seu estilo, extremamente moderado, paciente, sem nunca ter recorrido a repreensões em público com aliados ou dado o chamado murro na mesa. “Não vou fazer personagens, o meu estilo é este e não vou mudar”, afirmou.

Câmara reconhece, entretanto, que muitos governantes, como o seu guru e criador Eduardo Campos, em algumas ocasiões de autoafirmação, assustavam pela dureza no trato, mas ressaltou que isso faz parte da personalidade própria de cada político ou gestor e que não passa pela sua cabeça em mudar a forma de governar e se relacionar com as pessoas no exercício do poder.

Nos bastidores, aliados do governador reclamam da sua postura educada e light em alguns momentos que exigiriam mais cara feia, como ocorreu, recentemente, num ato em Palácio em que um secretário puxou o coro de golpista contra o ministro da Cultura, Roberto Freire.

Sendo Eduardo, conforme comentaram políticos mais próximos, a reação teria sido completamente diferente. “Foi um episódio constrangedor e bastante lamentável, mas não houve exaltação de minha parte porque o protagonista imediatamente reconheceu o erro e pediu desculpas”, disse Câmara, referindo-se ao secretário estadual de Cultura, Marcelino Granja.

Em dois anos de Governo, Paulo Câmara enfrentou grandes dificuldades, como greves na Polícia Militar, na Saúde e até o envolvimento do seu nome em denúncias de superfaturamento nas obras de construção da Arena, mas em nenhum momento perdeu a elegância, deixou de usar o seu tom educado e sereno, como é habitual. Mas, provavelmente, porque não é adepto dos ensinamentos de Maquiavel.

Em O Príncipe, sua maior obra, Maquiavel aconselha os governantes sobre como governar e manter o poder absoluto, mesmo que seja necessário utilizar forças militares para alcançar tal objetivo. Sugere que os fins justificam os meios, transmitindo a ideia de que não importa o que o governante faça em seus domínios, tudo é válido para manter-se como autoridade, ou seja, os governantes precisam estar acima da ética e moral dominante para realizar seus planos.

SEM TEMOR – Na mesma entrevista, governador abordou outros assuntos, negou que haverá reforma no secretariado, rebateu o senador Armando Monteiro Neto, que tem bombardeado o Governo de críticas pela onda crescente de violência e disse estar muito tranquila em relação às denúncias de superfaturamento na Arena. “Como houve superfaturamento se a construtora responsável entrou com uma ação na justiça pedindo a reposição de R$ 300 milhões em valores defasados?”

Tavares ou Dueire?O governador Paulo Câmara não escolheu ainda o sucessor do secretário Thiago Norões na Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Se optar por um perfil técnico, o nome mais cotado é o do presidente da Compesa, Roberto Tavares, na foto ao lado, mas é possível que aproveite o espaço para contemplar partidos que não estão ainda bem acomodados no Governo, como é o caso do PMDB. Se a Jarbas Vasconcelos for dado o direito da indicação, o nome mais previsível é o do ex-secretário de Infraestrutura, Fernando Dueire.

Seca braba – A falta de chuva nos últimos anos fez a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, que abastece 34 cidades do Rio Grande do Norte, ficar com apenas 15% de sua capacidade. Se não chover logo, ela pode entrar no volume morto em seis meses, e comprometer ainda mais a distribuição de água. O nível atual é o mais baixo desde que a barragem foi inaugurada, em 1983, segundo o Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs). A última vez que a barragem sangrou – ou seja, teve mais água que sua capacidade máxima e houve escoamento – foi em 2011.

Equipe de Madalena– Com a presença do vice-prefeito Wellington Araújo e do deputado estadual Eduino Britto, a prefeita reeleita de Arcoverde, Madalena Britto (PTB), anunciou, ontem, seus novos secretários: Governo e Coordenação, Carlos Fernando Britto; Educação, Patrícia Padilha; Saúde, Andreia Britto; Assistência Social, Patrícia Mirian Costa de Brito Cavalcanti; Desenvolvimento Econômico, Jussara Pereira Barbosa; Obras e Projetos Especiais, Aildo Biserra da Silva; Serviços Públicos e Meio Ambiente, Freed Gomes da Silva; Comunicação, Teresa Padilha; Finanças, Luciano Britto; Agricultura, José Alberto Vaz; Administração, Aloísio Brito e Turismo e Eventos, Albérico Pacheco.

Jaboatão se livra do piorO prefeito de Jaboatão, Elias Gomes (PSDB), já vai tarde. Ali, a população mais pobre não vai sentir a menor falta da sua gestão, como os pacientes renais crônicos, que têm tido negligenciado um direito constitucional que pode lhes salvar a vida: o transporte para as sessões de hemodiálise. O problema vem persistindo por meses e se manifesta principalmente através da falta de continuidade na oferta deste transporte. Os carros quebram com frequência, deixando os pacientes desassistidos, já que não há veículos reservas para serem utilizados em emergências. Além disso, pacientes com deficiências graves não contam com veículos adequados para o transporte e novos pacientes enfrentam longas esperas para conseguir uma vaga no sistema.

CURTAS

VENDA- A Petrobras anunciou a venda da Companhia Petroquímica de Pernambuco (Petroquímica-Suape) e a Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe), que integram o complexo industrial químico-têxtil localizado no Porto de Suape, em Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife. As empresas passarão a pertencer à mexicana Alpek, que pagará o valor de US$ 385 milhões pela transação, o equivalente a aproximadamente R$ 1,26 bilhão.

AGRADECIMENTO- A todos que enviaram mensagens de Natal e Fim de Ano repleto de paz e felicidade, o nosso abraço e agradecimentos e que Deus retribua em dobro. Feliz 2017!

Perguntar não ofende: O ano de 2017 não será a extensão de 2016 em crises e roubalheiras? 

Publicado em: 30/12/2016