A vitória TrumPetista

MONTANHAS DA JAQUEIRA --  Este foi o ano da vitória de Trump, a vitória dos TrumPetistas. Todíssimas as estrelas e os astros de Hollywood, todíssimos as televisões, blogs e jornais, todissimos os institutos de pesquisa estavam contra o pobrezinho do bilionário Donald. Ninguém me ama, ninguém me quer, cantava o coitadinho a sua cantiga da solidão. Tadinho, disseram até que com uma bomba atômica na mão o galegão ele seria capaz de explodir o planeta.

Obama é o queridinho porque distribui gentilezas com a ditadura comunista de Cuba. Também foi muito gentil com o Sapo Sapiens: “He is the Guy”, ele é o cara, e assim conquistou a simpatia da mundiça vermelha. As profecias, as pesquisas, as adivinhações todíssimas falharam, redondissimamente. Entonces, inventaram esta palavra “politicamente correta”, post-truth, a tal “pós-verdade”, para tentar justificar o injustificável e desmerecer a vitória de Trump.

A vitória do galegão Donald Trump foi um ponto fora da curva. “Post-truth” ficou consagrada no Oxford Dictionary, o Dicionário Oxford, como a expressão do ano. Tipo a meia-verdade, ou meia mentira. Dizem que a pós-verdade são as meias-verdades, ou meias-mentiras, que circulam na Internet, nas redes sociais, nas redes antissociais e redes de varanda. Eis uma expressão mágica que diz tudo e não diz nada. Trump é um pobre bilionário odiado pela mídia e pela intelligentsia dos States.

No dicionário do Sapo Sapiens seria “menas a verdade”. Eu sou pequenininho, do tamanho de um tostão, mas também sou filho de Zeus e lá vou eu para inventar minha palavrinha: os TrumPetistas. São os petistas pelo avesso. O livro “1984”, do indiano naturalizado inglês George Orwell, retratou uma sociedade autoritária dominada pelo Grande Irmão, o Big Brother, cujo idioma era a “novilíngua”, o duplipensar, ou a língua pelo avesso, como direi. Pós-verdade, ou meia-verdade, ou novilíngua, ou língua pelo avesso, a mentira é um idioma hoje quase universal.   

Quando soube da vitória de Donald, o satânico Fidel Castro explodiu de fúria e foi parar nas profundas do abismo de fogo. A partir de 20 janeiro os comunistas vão ter que encarar os TrumPetistas pela proa. Agora os comunistas de Cuba dirão que a culpa é do pós-embargo de Trump. Para falar a pós-verdade, eu quero que os comunistas se explodam. Na Venezuela não existe embargo econômico. No Brazil- da era vermelha não existia embargo. Quem é culpado pela bagaceira?

Os vermelhos queriam transformar o Brazil numa pós-Venezuela, numa pós-Cuba. Já existem várias Venezuelazinhas e várias micro Cubas nestas terras auriverdes. Os vândalos do MST semeiam Venezuelas em depredações de propriedades e ocupações de rodovias. Os pelegos sindicais implantam micros Cubas nas suas entidades. Durante 16 anos e até este final de dezembro, Olinda do fidalgo português Duarte Coelho existiu como um feudo da caterva vermelha do B.

Os TrumPetistas vão cuidar da América. Pós-dilúvio vermelho, os petistas continuam a queimar pneus e falar em golpe. Os clarins anunciam: 2017 vem aí! Adeus à ilusões e Zeus  proteja nossos corações auriverdes!  

* Jornalista

joseadalbertoribeiro@gmail.com

Publicado em: 26/12/2016