O colĂ­rio de Kryptonita

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O “horizonte artificial” foi criado pela aeronáutica para projetar voos. É uma realidade virtual. Existe e não existe. O prazo de 20 anos da PEC dos gastos é uma realidade virtual. Existe e não existe. Deve ter sido criado por algum tecnocrata para fantasiar o Orçamento da União.

A mundiça vermelha estraçalhou as contas públicas em 13 anos de corrupção e incompetência. Os cortes agora são inevitáveis.
Subitamente, não mais que subitamente, uma vermelhidão invadiu meu olho esquerdo. Vou consultar meu guru para assuntos de bons olhados ideológicos, o Doutor Alvacir Fox. Dizei-me, estou sendo vítima de mau olhado da mundiça vermelha? O Doutor Fox examinou meu globo de ouro com seu telescópio atômico e fez o diagnóstico: o seu olhinho está com um probleminha de pleonasmo vermelho.
Receitou-me um colírio de Kryptonita com altos teores bactericidas contra macróbios vermelhos. Estou vendo agora tudo azul da cor do oxigênio. Vou mandar a receita para Michel Temer. 

As meninas e meninos dos olhos vermelhos protestam contra a PEC que estabelece um teto para os gastos públicos, aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados e agora tramitando em segundo turno no Senado. Eles só não protestam contra o lado mais perverso do governo: a governança chamada de neoliberal no sistema financeiro estatal e no setor privado em geral. 

O Governo anuncia que vai fechar 402 agências do Banco do Brasil e demitir 18 mil funcionários. Falem em “reestruturação”, “enxugamento” e redução de despesas em 2,13 bilhões. O Programa de “Demissões Voluntárias” é eufemismo para mascarar o terrorismo das “demissões compulsórias”.

Os pelegos sindicais não protestam porque agem em conluio com os banqueiros. Os banqueiros são donos do governo, de todos os governos, de Lula, Dilma e Michel Temer. São donos da nossa Pátria mãe gentil. Esta é a República dos banqueiros, é a ditadura dos banqueiros. Os movimentos sociais não percebem, ou fazem de conta que não percebem, esta opressão do sistema financeiro parasitário.  

Atualmente com 109 mil funcionários, o BB trabalha com um déficit de pelo menos 20 mil empregados para atender à demanda dos clientes. O lucro semestral é da ordem de 4 a 5 bilhões. Deveria contratar ao invés de demitir funcionários. Se o atendimento funciona mal, vai piorar ainda mais.   O objetivo inconfessável é reduzir o tamanho do BB para depois ser engolido pelos banqueiros privados.  

O lucro do sistema financeiro parasitário, público e privado, é gerado principalmente pela rolagem da dívida pública do Governo, na casa dos 2,7 trilhões de reais. Com os depósitos dos correntistas, os bancos compram e recompram os títulos da dívida do governo. E haja uma montanha de lucros bilionários na base dos juros da Selic atualmente de 13,75 % ao ano.
A dívida pública é a descoberta do crime perfeito pelos banqueiros. Milhões de brasileiros que financiam os banqueiros cometem crimes contra si mesmos.   

Bezerros desmamados, a mundiça vermelha protesta apenas para protestar. Faz parte do modo de ser desordeiros e arruaceiros, do modo de ser irracional. A corrupção e incompetência em 13 anos dos mandarins vermelhos no Brazil, o caos na Venezuela, a decadência e a farsa da “utopia” socialista em Cuba, estes são fatos históricos indefensáveis. O fanatismo ideológico produz cegueiras insanáveis e não tem remédio que dê jeito. Nem o colírio de Kryptonita. 

* Jornalista

joseadalbertoribeiro@gmail.com

Publicado em: 05/12/2016