The Gaulle vai cair na gandaia

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Reino da malandragem, das traficâncias e dos bicheiros, das milícias, da navalha na carne, da delinquência e da violência policial, o Rio de Janeiro ganhou o rótulo de “Cidade Maravilhosa” por conta do cartão postal com o Cristo Redentor, do Morro do Corcovado e da Baia da Guanabara. A Câmara Municipal é conhecida como a “Gaiola de Ouro” da corrupção.     Além de algumas paisagens, não existe nada de maravilhoso. Quem se aventura a desembarcar no aeroporto ou andar nas ruas com um relógio ou algum objeto de valor?!

Atribui-se è poetisa americana Elizabeth Bishop, que viveu no Brazil em meados do século passado, a seguinte frase: “O Rio de Janeiro não é uma cidade maravilhosa, é uma paisagem maravilhosa para uma cidade”. A poetisa costumava dar um rolé na cidade, de beijos dados com a namorada a paisagista Lota, amiga do governador Carlos Lacerda. Os vermelhos da época chamavam Lacerda de “O Corvo”. A poetisa tomava seus inocentes pileques e esbravejava contra a humanidade carioca. Naqueles tempos não existiam as mundiças vermelhas dos sapos barbados. Imaginem se a poetisa conhecesse um Garotinho, um Sérgio Cabral, um Pezão! Teria renegado seu amor pelo Brazil.

Dizem que o governo do Rio de Janeiro está falido. Menos a verdade, ou menas a verdade, segundo a cartilha do ABC vermelha. Não faltará dinheiro para financiar a malandragem. Imaginem a receita do bolo de 2 ou 3 milhões de unidades residenciais com o pagamento do IPTU. É dinheiro que não tem Sergio Cabral, nem Garotinho, nem irmão metralha que acabe. Turismo? Com uma população de mais de 200 milhões de almas, o Brazil recebe na casa de 7 milhões de turistas por ano. A estimativa é de que 1,5 milhãozinho de turistas estrangeiros têm coragem de visitar o Rio de Janeiro, inclusive durante o carnaval. As informações oficiais sobre turismo no Brazil são conflitantes e sem credibilidade.

O certo é que a rede hoteleira do Rio tem cerca de 60 a 70 mil leitos. São Paulo está na casa dos 80 mil leitos. Falar em milhões de turistas no carnaval é ilusionismo. Com uma população de quase 70 milhões de habitantes, a França recebe igual número de turistas estrangeiros por ano. A Itália atrai mais de 25 milhões de estrangeiros.  A corrupção e a violência afugentam turistas no Brazil. Zeus me livre de torrar meus trocados para encarar um arrastão na “Cidade Maravilhosa”. O carnaval carioca é uma indústria fantástica de distribuição e riquezas e pobrezas.

O número de celulares e máquinas fotográficas roubadas é incalculável. Os gringos pagam em dólares e euros para degustar aquelas mulheres saborosas que rebolam nas passarelas. os arrastões rendem boa renda para os maloqueiros. Os  alcaloides, marijuanas  e derivados .... e a galera delirou, delirou!  As escolas cariocas de samba e de malandragem produzem mão- de-obra fantástica para o desenvolvimento do Brazil. As porta-bandeiras e desfilantes são especialistas na arte de balançar o traseiro. Os malandrões são exímios na ciência do reco-reco e do tamborim.

O Rio de Janeiro é uma cidade maravilhosa e seus governantes são pessoas muito sérias, já dizia meu guru o cientista político The Gaulle. Entonces, ele profetizou que a falência do Rio de Janeiro será resolvida durante o carnaval, porque os governantes e os carnavalescos são pessoas muito sérias. Eu zuro, ele falou.
The Gaulle não acredita na falência do Rio de Janeiro e vai cair na gandaia.  

* Jornalista 

[email protected]

Publicado em: 21/11/2016