Versão Agreste Central


18/09


2017

A vida é um sutiã, meta o peitos!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Tipo seitas pós-apocalípticas, o Brazil assiste ao advento do fenômeno chamado de zumbis vermelhos.  Os zumbis se consideram acima dos mortais e mortadelas. Os zumbis vermelhos do Brazil reverenciam como guru espiritual um sapo, chamado carinhosamente de Sapo Safadão, aliás, Sapo Sapiens, guia genial dos bichos barbudos e da mundiça do cordão encarnado. Dizem que o Homo Sapiens é descendente do Sapo Sapiens.Um dos lances mais ousados, ou cínicos, dos zumbis vermelhos é a chamada ideologia de gênero. Eles revogaram os cromossomos genéticos que definem os machos e as fêmeas.

Todíssimas as criaturas, assim aprendemos no jardim das nossas infâncias, possuem um sexo de nascença, congênito, desde o primeiro beijo do espermatozoide e do óvulo nas entranhas da natureza feminina. Assim são fabricados os ovários, a próstata, o útero, as glândulas mamárias, as genitálias côncavas e convexas.

Os “revolucionários” da ideologia de gênero dizem que as criaturas nascem assexuadas, feito os vegetais. Só depois de ficarem taludos, de participar de manifestações de protesto, de promover exposições de arte pornô, só então poderão decidir se desejam ser um marmanjo do sexo masculino, um bigodudo do sexo feminino, fêmea masculina, ou fêmea do sexo flex, duplex ou triplex.

Mas, o mundo gira, a Lusitana roda e depois, se o marmanjo ou a donzela se arrependerem poderão fazer uma cirurgia de mudança de sexo, encomendar um novo útero, próstata, ovário e uma genitália zero quilometro. Simples assim, como quem muda de provedor de Internet. Aliás, mudar de provedor é mais complicado, pois depende do atendente virtual Eduardo da Oi.

O atendente virtual Eduardo é um dos caras mais poderosos do Brazil, mais que Sergio Moro. O juiz Moro manda lá na República de Curitiba, que manda na República de todo o Brazil é o Eduardo. “Deus pôs alma nos cedros, nos junquilhos”, assim falou o bem-aventurado poeta Augusto dos Anjos, dos pecadores e das árvores da Serra da Borborema. O sábio francês Blaise Pascal ensinou no século 17: “O homem é um caniço pensante”. Se fosse um sertanejo pernambucano diria: “O homem é um mandacaru pensante”, ou “o homem é um alto coqueiro pensante”. Não diria que o homem é um pé-de-cana de açúcar pensante porque este é um vegetal reacionário a serviço dos usineiros da Zona da Mata.

A ideologia de gênero veio de longe. Nos anos 1960, na França libertária, uma mulher griladíssima chamada Simone namorava um zarolho invocado de nome Jean Paul Sartre. Naquele tempo a moda das feministas era queimar sutiãs, assim como hoje é queimar pneus. Um belo dia, que por sinal não era nada belo, Simone acordou de ovo virado e resolveu lançar uma ideia aloprada: ninguém nasce mulher, a gente se faz mulher. A galera feminista delirou, delirou e houve uma fogueira de sutiãs. 

Dai Joaquim Francisco, o filósofo de Macaparana, lançou a sua filosofia: “A vida é um sutiã, meta os peitos!”.     

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão do Araripe


11/09


2017

O olho vermelho do furacão

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Em decisão inédita na Imprensa nacional, o jornal Extra, do Rio de Janeiro, criou a Editoria de Guerra para noticiar os morticínios de todos os santos dias. A sociedade brasileira está doente de convulsões, vulcões, terremotos, furacões Irmas, homicídios, latrocínios, infanticídios, estupros, barbaridades. O Brazil padece de surtos, epidemias e pandemias de violência. Degradaram nossas terras auriverdes.  

Herança da escravatura, o vírus da violência está incrustado nos canaviais pernambucanos e nas raízes dos altos coqueiros. Legado de Eduardo Campos para o governador Paulo Câmara, o Pacto pela Vida fracassou? A violência de cada dia deriva de nossa nefasta herança cultural e não tem Mandrake, nem o Zorro, nem as Forças Armadas, nem Temer, nem Vladimir Putin, nem Donald Trump, nem a ONU que dê jeito, só Jesus Cristo poderia controlar.

Mas, se a delinquência está além dos limites, o gov Paulo Câmara deverá chamar o feito à ordem, fortalecer o sistema de segurança e cobrar a colaboração da Justiça em nome do clamor da opinião pública. Homem público correto e com sensibilidade social, o gov Paulo Câmara merece um crédito da população.

A Síria é aqui. Os vulcões estão aqui, está ali, estão acolá. Furacões são desequilíbrios da natureza. Fanatismos ideológicos são desequilíbrios cerebrais. À moda de um furacão, os camundongos vermelhos deixaram um rastro de recessão, devastações na economia e ruínas nas contas públicas. E ainda hoje espalham ondas de razões cínicas para jurar inocência e mostrar prepotência.    
O furacão Irma produz mortes e destruição no Caribe e na Flórida (EUA). Haverá ações solidárias internacionais e no médio prazo as tragédias deverão ser superadas. Na Venezuela um terremoto comunista chamado Chavez-Maduro provoca terror, devastações e tragédias humanitárias desde 1998 e 30 milhões de venezuelanos seguem sem perspectivas de salvação.   

A Madre Superiora falou que o brasileiro é um povinho ordeiro e pacífico, mas esqueceu de contar, uma por uma, mais de 50 mil mortes violentas que acontecem todos os santos anos. As criaturas ordeiras e pacíficas estão morrendo de susto, de bala ou vício. O Estatuto do Desarmamento é fantasia.

A sociedade brasileira tornou-se criminógena, procriadora de crimes. Ou se tornou criminógena e desumana nos três séculos de escravatura, ao flagelar negros no tronco. Ou desde os tempos da guerra com o Paraguai em tríplice aliança com a Argentina e Uruguai, quando 300 mil paraguaios maltrapilhos foram dizimados;  ou no final do Império e advento da República, quando os briosos soldados brasileiros massacraram e degolaram 20 mil jagunços famintos no arraial do beato Antônio Conselheiro!   

Depois do depoimento de Palocci o meliante mais notório do mensalão disse que preferia morrer e nunca rastejar perante a Justiça para não perder a dignidade que nunca teve. Indignidade é assaltar os cofres públicos. Roberto Jeferson prestou relevante serviço ao Brazil quando detonou as denúncias sobre o mensalão: “Ele não foi, não é nem será presidente da República”, proclamou em referência ao principal mentor do furacão comunista. Mas, ainda há tempestades vermelhas nos ares.        

Profeta Adalbertovsky
[email protected]    


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Mata Sul


04/09


2017

Strip-tease da cebola corrupta

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Meu artigozinho desta semana, sempre politicamente incorreto, é baseado numa palestra que eu ouvi na Net, de um psicólogo e psicanalista cuja graça é Luiz Hanns, da Casa do Saber, sobre o bicho de sete cabeças apelidado de corrupção. Vamos fazer o strip-tease de uma cebola corrupta. Nova York é a Big Apple, a grande maça, fonte do pecado original de Eva e Adão e dos pecados capitalistas. O Brazil é uma Big Cebola, um cebolão, impregnado de corrupção. Vamos fazer o strip-tease do cebolão. 

Adquira um exemplar de cebola, uma cebola virgem, que nunca tenha sido comida, nunca antes deflorado ou desfolhada. Apesar da aparente inocência, esses frutos da nossa flora são indivíduos com altos teores de corrupção. Faça o strip-tease das primeiras camadas da senhora cebola, tipo retirar a blusa e o sutiã. Estas camadas iniciais são chamadas de corrupção sistêmica, onde se encontram pessoas de mau caráter, amorais, imorais, bandoleiros, tipo ministros, parlamentares, governantes, a gatunagem graúda em geral.       

Os primeiros lances do strip-tease da cebola já revelam o conluio entre os protagonistas dos poderes constituídos e grandes empreiteiros, gangsteres, doleiros, corrupção ativa e corrupção ativa, negociatas, patifarias incrustadas mais visíveis da nossa flora socioeconômica. A cebola faz revelações cabeludas e às vezes tira onda de inocente. Houve uma cena em que um cebolão muito popular proclamou o vegetal mais honesto e mais puro da flora auriverde.  

Segundo ato do strip-tease: tire o sutiã e as roupas íntimas da cebola. Aparece a corrupção endêmica, do varejo no dia a dia: os magotes de prefeitos que desviam ou superfaturam obras e contratos em conluio com seus compadrios, os secretários que superfaturam os contratos de artistas safadões nas festas das prefeituras e nos réveillons, os tecnocratas e burocratas que emprenham licitações e contratos fraudulentos. Os dirigentes de estatais que comandam negociatas e recebem propinas.

E mais, no dia a dia, os burocratas dos cartórios, doutores em carimbos, que massacram os clientes com exigências descabidas a pretexto de formalismos legais, por instinto de perversidade ou mandonismo. Quanta mesquinhez!  Existem os chefetes de repartições que impõem contratos abusivos para receber propinas.  O médico que queima o expediente nos postos de saúde e ganha sem trabalhar.

As camadas internas do cebolão, a miudeza, estão infestadas pelos guardas da esquina que recebem propinas, os cartolas corruptos dos times do futebol, traficantes de influência nas repartições e empresas, vivaldinos que roubam e exploram os clientes, os caras que cometem uma batida de carro no trânsito e fogem do local do sinistro. As corrupções sistêmica e endêmica interagem e se realimentam.

O Brazil é um cebolão corrupto e está impregnado de corrupção em todos os poros, desde os cabelos da cabeça até o talo da macaxeira vermelha. O coração e as tripas gaiteiras do Brazil adoram a corrupção. O crime perfeito existe. Foi implantado pelo sistema financeiro e funciona impunemente no Brazil com a cumplicidade de todos os governantes. A República dos Banqueiros manda nesta pinoia E priu! O ovo de serpente auriverde pariu a corrupção sistêmica e a corrupção endêmica e continua vivíssimo da silva.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão de Itaparica


28/08


2017

Lei mortadela: liberou geral

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Olha só quem aflorou no recinto! O Dart Vader vermelho! Já está em campanha antecipada para presidente da República. Ele próprio revogou o calendário eleitoral. A lei eleitoral sou eu.  Dart Vader é um zumbi e assim falou aos seus pareceiros: “Jesus Cristo sofreu mais do que “nóis”, Tiradentes foi crucificado e “dipois” mais de 100 anos virou herói”. Eu juro que vi um vídeo no Youtube com meus próprios olhinhos que um dia vão para o céu quando o bicho se comparou a Jesus Cristo e disse que Tiradentes foi crucificado.

O sonho dele é ser crucificado para virar mártir. Melhor seria que fosse capado para não transmitir zoonoses.  Dura Lex, sed Lex, a lei é dura, porém é flex. É a Lei das Mortadelas.  Libelu, liberdade e luta! Liberal geral. Obrigado. De nada. Não há de que. Dart Vader, Mandrake, o Superman, Macunaíma, a Mulher Maravilha, Dória, Bolsonaro, o circo de Orlando Orfei, todíssimos os artistas poderão rodar suas volantes pelos cantos do Brazil.

A alegação é de que a Justiça só poderá agir se for acionada por algum partido. Isto é conversa fiada pra Friboi dormir, não age por conivência ou por frouxidão. Eu sou pequenininho do tamanho de um passarinho, mas não receberia em minha humilde choupana para degustar o meu pasto um réu condenado pela Justiça e com vários processos no lombo. Mas, cada qual sabe de si.

O sapo réu da Justiça foi recebido feito um príncipe numa mansão em Casa Forte, para confraternizar à mesa ao lado da fina das elites dos altos coqueiros. Mas, naquelas mesas enfeitadas de baobás da Praça da República estava faltando ele, um rapaz riquíssimo chamado Aldo, operador das bocas monetárias de urnas para o Senado.        

O ponto G de Seu Aldinho era as operações heterodoxas em refinarias, Suape, urnas eletrônicas, petróleo, derivados e hemoderivados. Ingratidão tira afeição. O coitado agora está entregue às feras do Ministério Público, enquanto parceiros dele desfrutam de imunidades nos tapetes azuis de Brasília. Os zumbis ideológicos formam a nova categoria sociológica nestes tempos de seitas e fanatismos doutrinários. Triste repetir o mantra do “18 Brumário” do dromedário Karl Marx: “Não se perdoa uma nação ou uma mulher que se deixa arrebatar pelo primeiro aventureiro que apareça”.

O Brazil se deixou arrebatar por uma escória ideológica da pior natureza, ainda mais corrupta e incompetente. E pior, os zumbis vermelhos ameaçam voltar para fazer desta Nação uma Venezuela. Mas, tem gente que adora o guru da seita dos zumbis. Beija as barbas vermelhas dele. Se ajoelha aos pés dele. Beija os sovacos, os chulés e os fedores dele. Faz parte da feitiçaria da perdição. Essa gente desmerece o Brazil. Eles se merecem.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



21/08


2017

Delírio dos mamulengos vermelhos

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Um cara multi réu na Justiça, desarvorado, desaforado, sai perambulando em campanha eleitoral no meio do mundo prometendo rios de leite e montanhas de cuscuz, à moda de Antonio Conselheiro. Tomara, meu Zeus, tomara que apareça um juiz de rochedo para botar moral e dizer, alto e bom som: aqui na minha cidadezinha você não vai fazer campanha, nem comícios, fora do calendário eleitoral, nem insultar a Justiça.  Pode desmontar seu palanque, cabra insolente, e engolir suas mortadelas!

Os mamulengos vermelhos, movidos por mortadelas não sadias, estão delirando. As mortadelas da JBS são feitas com papelão, capim gordura e tripas de sapo. Quem vai querer, quem vai querer!? Outrora, suspiram os saudosistas, o Brazil era uma maravilha sob um céu de anil. Havia, ou ainda existem, os carnavais fora de época, ziriguidum! Agora os novos bárbaros do cordão encarnado querem fazer comícios e campanhas eleitorais fora de época.

As passeatas, caminhadas e carreatas de antigamente são irmãs dos comícios. Alguns candidatos até contratavam mãos-de-obra para carrega-los nos braços. Mas, essa onda ficou manjada. Os candidatos levavam até dedadas. A dedada é um “atentado ao pudor” genuinamente verde-amarelo. Com medo das “dedadas” contratavam artistas para atrair a rafaméia.

Um ídolo feito o Safadão ou o Pablo faria hoje o maior sucesso nos comícios. O problema não era a dedada, seria a briga nos bastidores para dividir as comissões. Uma comissão de 20 por cento no show de Safadão nas prefeituras tem muita briga de foice. As prefeituras são muito pobrezinhas e fazem romarias até Brasília para pedir recursos, mas não falta dinheiro para as safadezas da moda. 

A moda agora é jogar ovos, as ovadas. Os marmanjos do sexo masculino, do sexo feminino e de outros sexos, as mulheres do sexo masculino e de grelo flex são ovíparas, adoram jogar ovos nos “reacionários” e “golpistas”. Queimar pneus também faz parte da onda politicamente correta. Os borracheiros faturam nessa onda dos carbonários.  

Os revolucionários à moda antiga amavam os coquetéis Molotov incendiários, feitos de gasolina, ácido sulfúrico, éter e álcool. Hoje a caterva vermelha comunista ama muito mais as glândulas mamárias dos cofres públicos. Quanto custa fazer uma revolução com ovos, mortadelas e pneus queimados? Movido pelas melhores intenções, realizei pesquisa revolucionária no supermercado imperialista Bompreço/Walmart e encontrei vasto arsenal subversivo. Uma bandeja com 18 ovos, preço de promoção: $ 9,86 – mortadela de frango do açougueiro da JBS, 400 gramas, $ 2,98. São preços revolucionários, segundo o gerente, um cara infravermelho. Comprei uma bandeja com meu cartão de crédito imperialista do Visa. Cheio de sustança, estou preparado para a luta.

Brás Cubas, filho espiritual do bem-aventurado Machado de Assis, descreveu a cena de uma batalha em torno de um paiol de batatas. Os adversários se digladiam. Quem vencer leva as batatas. Ao vencedor, as batatas.  Na batalha deflagrada pela mundiça vermelha, quem ganhar leva o coração do Brazil em chamas. O coração do Brazil precisa de um desfibrilador,  revascularização, marca-passo, recauchutagem.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

fenelivro 2017


14/08


2017

Pega o pirão, esmorecido!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Sorria, Don Michel, vosmecê está sendo digitalizado, filmado, espionado, fotografado. Olha o passarinho! Mas, Don Michel não tem um sorriso Colgate, nem sorriso Kolynos, como se dizia antigamente. Muito menos tem o atual sorriso Oral-B. Ele tem aquele sorriso de Mona Lisa da Paulicéia Desvairada, o sorriso de uma raposa das Docas do Porto de Santos. Não dá para sentir firmeza. O poeta Ascenso Ferreira diria:
 -- Pega o pirão, esmorecido Don Michel!   

O presidente Don Michel não é uma Brastemp FrostFree, nem poderia ser, pois veio do serpentário de cobras criadas do PMDB. Se fosse um diamante sem jaça, uma joia rara, jamais cairia nas graças da mundiça vermelha. Em sendo uma figura inoxidável, seria reprovado no teste de Qualidades Deletérias do Cordão Encarnado.

-- Ô de casa! -- Entra, açougueiro, você não precisa pedir licença pra entrar no Palácio Jaburu, pra entrar no Palácio do Planalto, na Granja do Torto. A casa é sua, eu sou seu criado. Minha bela Marcela, prepara um cafezinho, no capricho, para o nosso querido açougueiro.

Janot entrou na linha: Michel, olha o passaralho! Sua língua está sendo grampeada, radiografada, delatada. Qual o seu programinha artístico de seu governo, Don Michel? Fazer uma reformazinha de meia sola na Previdência. Deletar privilégios das castas de servidores? Esqueçam. Os príncipes dos três Poderes da República desfrutam de regalias e salários na estratosfera. Que tal?! Estes são vespeiros.

Dom Michel não tem peito para atiçar marimbondos. Mais fácil é castigar o lombo da rafaméia para se aposentar com a idade de Matusalém, ou viver sem emprego ao serem considerados velhíssimos depois dos 40 anos. E a reforma tributária, para simplificar milhões de portarias, leis, decretos? É mais fácil o Mar Morto ressuscitar. Complicar é fácil, difícil é simplificar. Haverá pelo menos um alívio no Imposto de Renda para a extorquida média? Ao contrário, os otários chamados de contribuintes serão ainda mais extorquidos.  
Na mira da Justiça, o guru da seita vermelha anuncia caravana para percorrer o Nordeste e antecipa a sucessão presidencial. Mas, com que roupa? Tá tirando onda de ser candidato. Em Pernambuco o senador Fernando Bezerra Coelho é cobra de três cabeças. Uma cabeça é de Lula, outra de Dilma e mais uma de Temer. Um passarinho graduado do PSB me contou que FBC está mapeado nos arraiais socialistas. Os radares acompanham seus passos em Petrolina, URB, Emlurb,Recife,  Brasília et Orbi.

Também citado pelo procurador Rodrigo Janot, o projeto majoritário de FBC tornou-se inviável e ele lançou o plano F1 para o filho Fernando ministro ser candidato a governador. Mas o rapaz também aceita o sacrifício de ser candidato a vice, em qualquer chapa, modéstia à parte. O grupo remanescente do ex-governador Eduardo Campos costuma dizer que ele já ganhou um prêmio de oito anos com mandato de senador e imunidade parlamentar. Não tem do que reclamar. O coitado Aldo Guedes está entregue às feras do Ministério Público e da Polícia Federal.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Flamac - 1


07/08


2017

Hasta la vista, ditador!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O regime falido da Venezuela é uma vela fúnebre de cera. Está se consumindo a si mesmo. Nenhum governo sobrevive com uma inflação de mais de 1 mil por cento ao ano, desagregação e convulsão social em grau máximo. A escória ideológica da Venezuela vive seus estertores. Hasta la vista, facínora Maduro!         

Exemplos de ditaduras duradouras: Cuba e Coreia do Norte. Diferenças: Cuba sobreviveu durante décadas com a muleta da antiga URSS e escravizou seu povo em fogo brando. Na Coreia do Norte imperam o fanatismo e terrorismo ideológico. Apesar da indigência econômica, esses países não vivenciam convulsões sociais. A Rússia está distante, não tem interesse geopolítico na Venezuela e já bastam os problemas com a Síria e com as nações do Leste da Europa.

Destroçada pela guerra civil, a Síria tem o apoio da Rússia. O sinistro Maduro veste sua nudez com as folhas de coca do regime narcotraficante de Evo Imorales. A camarilha vermelha, aliada da ditadura na Venezuela, em boa hora foi expulsa do poder no Brazil. Mamaram nas glândulas mamárias do BNDES sob a proteção da camarilha do cordão encarnado. A fonte secou.
O big stick, o grande porrete da diplomacia de Donald Trump, está de olho nos labirintos do ditador comunista. O presidente marqueteiro dos EUA, Barack Obama, era muito generoso com a caterva comunista, a começar pela ditadura terrorista de Cuba. Guenta o rojão, molestados, como se diz no popular.       

O ditador Nicolas Maduro faz haraquiri político. Leva o regime pseudo revolucionário ao suicídio.    Em duas décadas Hugo Chavez, Nicolas Maduro e seus sequazes conseguiram arruinar a economia da Venezuela, antes uma nação próspera na década de 1990. Hoje o regime ditatorial vive os seus estertores, não tem salvação.

Mas,o fanatismo ideológico é uma doença crônica, tipo a cegueira. As lombrigas vermelhas não dão o braço esquerdo a torcer. O comandante em chefe da camarilha vermelha e seus discípulos continuem adorando e solidários com os facínoras da ditadura na Venezuela. Se dependesse dessa camarilha, a ditadura terrorista de Maduro seria perpetuada no poder.

O pensamento universitário está contaminado pelos furúnculos escarlates. Aquela mocréia pseudo filósofa que odeia a classe média e  o sociólogo de botequim tipo Sader são exemplares típicos dessas furunculoses ideológicas. Eles não fiam nem tecem, vivem de sinecuras, mordomias e privilégios nos cargos públicos.

Certa vez no Jardim das Aflições o brilhante pensador Olavo de Carvalho deu uma surra intelectual naquela mocréia pseudo filósofa que odeia a classe média, no sociólogo de botequim um tal de Sader, no anticristo Libânio e no fradeco Bofe, viúvo de Fidel e adepto da zoologia da libertação. Deu um nó no pescoço deles e aplicou formicida no cérebro de repolho da patota. Os bichos ficaram com hematomas vermelhos em todos os poros.

Por isso ele detestam Olavo. Se eles detestam, é porque presta. Os vermelhos também detestam o papaizinho, mas eu sou pequenininho do tamanho de um passarinho. Eles mataram a galinha dos ovos de ouro negro, o petróleo. É a maldição da corrupção e da incompetência, nada a ver com a maldição do petróleo.    

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner - Hapvida


31/07


2017

Brazil: uma dama de muitos véus

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Muda, Brazil! Mudou, e daí!? Brazil, país do futuro! O futuro chegou, e daí?! As águas rolaram. As pedras rolaram. Rock n’roll. E dai?! E daí?! Daí a mais cruel desilusão. O coração auriverde está gemendo neste vale de lágrimas, de corrupções e patifarias: tum-tum-tum! O Brazil é uma dama misteriosa de muitos véus. O Brazil não conhece o Brazil. O coração do Brazil precisa de pontes de Safena, stents, troca de óleo, Benzetacil, injeção na testa, Baygon, troca de fraldas, penicilina, Biotônico Fontoura, óleo de peroba, Emulsão de Scott, colírios, elixir de catuaba, Vick vaporub, Melhoral, calibragem dos pneus, mercúrio cromo, chá de camomila, camisa de força, vergonha na cara. 

O bem-aventurado poeta Augusto dos Anjos e dos pecadores assim falou na linguagem dos arcanjos: “Meu coração tem catedrais imensas”. Pecador, eu sou pequenininho do tamanho de um passarinho. O papaizinho eu tenho apenas uma capelinha singela nos jardins floridos do meu coração. Todíssimos os discursos já foram feitos. Todíssimos os sermões já foram pregados. Os projetos foram aprovados. As leis foram sancionadas. As verbas foram liberadas. As inflações foram controladas.  Todíssimos os nossos sonhos foram sonhados.

E daí e daí?! Nossos sonhos foram roubados.  Nosso céu tem mais estrelas, nossos bosques têm mais flores, nossos economistas são os mais competentes do planeta. Nossos gênios são mais geniais. Nossos economistas são mais iluminados. Nossos acadêmicos são mais imortais. Nossos corruptos são mais gentis.

Os sonhos do Brazil estão sob segredo de justiça, segredo de polícia, segredos de delatores. Os pecados, as dores, as infâmias, as máfias, as crueldades, os amores, as ilusões, as desilusões, os mistérios e as injustiças do Brazil estão sob o manto de sete véus.
A Previdência Social vai naufragar? Esta é a dama mais vistosa e não virtuosa de muitos véus. As castas dos príncipes da República continuam intocáveis e são mantidos seus privilégios. O mordomo Michel dança o foxtrot, o passo da raposa. 

Tempos idos, o atraso do Brazil era por culpa da dívida externa. Zeraram a dívida externa. Agora é a dívida pública interna. O que fazer com a dívida pública de 3,11 trilhões de reais? Milhões de brasileiros devem aos banqueiros e os banqueiros devem aos brasileiros. É um nó nas tripas. O crime perfeito existe.  

O problema é o sistema tributário. Chamem os tributaristas mais brilhantes da humanidade auriverde. Os juros são os mais altos do planeta. Chamem os bombeiros, os feiticeiros, os economistas, os curandeiros, a mãe de pantanha, a família de pantanha, os economistas mais iluminados da estratosfera. Se não resolvem, então não são geniais, não são iluminados nem sábios?!

O messias de araque e seus comparsas arruinaram e degradaram nosso País e agora estão tirando onda de oráculos da sabedoria e vestais de santas e imaculadas virtudes?! Oh, mundiça vermelha, vão tirar onda de vestais lá na casa de chapéu!     

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ArcoVerde


24/07


2017

Casa grande, triplex & senzala

MONTANHAS DA JAQUEIRA – “(....) eu queria dizer, senhores da Casa Grande, permitam que alguém da senzala façam o que vocês não têm competência para fazer neste País”. Assim falou o cavalo paraguaio aos seus discípulos do cordão encarnado. Fazer o que, arruinar de vez a economia e degradar ainda mais o Brazil depois de 13 anos de tenebrosas transações?! Mergulhar o País na mais profunda recessão da história da República?! Arrombar novamente os cofres da Petrobras?!

Metamorfose ambulante, o cavalo paraguaio também adota o pulo do sapo ou se transforma numa centopeia vermelha com muitos tentáculos!  Se a centopeia vermelha tivesse uma molécula de senso de ridículo não pronunciaria esta frase tão infame. Ridicularia ou cinismo? Quem escolhe é o freguês. 

O sapo centopeia canta a cantiga: Oh, esta terra auriverde ainda vai cumprir seu ideal, ainda vai tornar-se uma imensa Venezuela! Ele promete transformar o Brazil no reino da prosperidade e da felicidade. E por que não fez antes? Estava com amnésia moral. Agora cessou a amnésia e está tocado pelo espírito das trevas, te esconjuro! Haveria triplex nas senzalas? Um Odebrecht, um açougueiro, um OAS, os bandoleiros da Petrobras seriam moradores de mocambos oprimidos pelos senhores das casas grandes?!    

Moradores de choupanas investem 9 milhões de denários no fundo de previdência privada da Brasilprev?O posseiro da senzala é amigo do peito dos magnatas, dos empreiteiros, dos bandoleiros e dos açougueiros malandrões. Os moradores das casas grandes adoram as glândulas mamárias comandadas pelo posseiro da senzala.

Demagogo e despreparado, prometeu construiu uma casa grande à moda da Venezuela. A Venezuela hoje é um grande mocambo e uma grande favela. Mas, o inferno é o limite. O energúmeno Hugo Chavez foi para o beleléu e deixou um sucessor à altura para degradar ainda mais a pátria de Simon Bolívar.

Falar em “Revolução bolivariana” é uma profanação contra o legado do general revolucionário e libertador da América Espanhola, que lutou pela independência da Bolívia, Colômbia, Equador, Panamá, Peru e Venezuela. Hugo Chavez e Maduro, fantoches de revolucionários, lutam para escravizar e tiranizar seus compatriotas. 

O melhor dos mundos seria o bicho ser candidato e levar uma surra nas urnas. Já disse e repito: o sapo é cavalo paraguaio, eleição é reta de chega, corrida de obstáculos, não é reta de partida. Mas, está apostando na condenação da Justiça para tirar onda de vítima e barbarizar o coreto.  Já conseguiu a proeza pelo avesso de desmoralizar a fauna política no geral e disseminar a ideia da patifaria generalizada.   

O Brazil foi salvo pelo gongo e hoje está nas mãos de Michelzão para fazer a travessia do mar vermelho. 
Roberto Jeferson prestou um grande e patriótico serviço ao nos livrar do fanático ideológico Dirceu. Este nos levaria aos abismos de um regime autoritário à moda de Cuba. Nossas elites econômicas corruptas e corrompidas seriam dominadas por ele. As pseudoselites intelectuais continuam dominadas na base dos pixulecos ou mesmo por cegueira e dogmatismo ideológico. Subintelectuais de meia tigela se deixam fascinar por um semianalfabeto farsante e incompetente. A ira do profeta recairá sobre as lacraias corruptas e tiranas da mundiça vermelha.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Supranor 1


17/07


2017

O sapo afronta a Justiça

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Meninas e meninos do conselho de sentença: um cara é acusado, indiciado, submetido a um processo judicial, e haja audiências, investigações, provas, contraprovas, direito de defesa, ataques, contra-ataques, o juiz é chamado até de arroz doce, silêncio no tribunal e ao final decreta, constitucionalissimamente: com base nos autos o senhor foi considerado culpado e está condenado a seis aninhos e meio de cadeia. Mas, fique peixe, ainda pode recorrer em liberdade.
Diante da decisão da Justiça fazer o que? Decidiu fazer um comício, mil comícios, montar palanques em todo o Brazil, confrontar e afrontar a Justiça. E a mundiça vermelha delirou, delirou: a gente vamos virar o Brazil pelo avesso.

Se participou do processo com pleno direito de defesa e não foi julgado à revelia, está obrigado a aceitar a sentença da Justiça, sem se considerar acima da lei, como se fosse um semideus. Nas procissões e novenas, ao idolatrar a imagem do sapo, os discípulos disseram que o bicho, tal e qual santo milagreiro, promoveu a redenção da pobreza incorporou mais de 20 milhões de criaturas ao mercado de trabalho. Marcelo Odebrecht, Bumlai, Joesley, Eike Batista e o porto de Mariel em Cuba saíram da linha da pobreza. Blz.  

Corrupção e inclusão social são excludentes. Corrupção gera exclusão social. Faz parte da teoria do cobertor curto, se cobre os pés descobre a cabeça. Quantos milhões de empregos a corrupção bilionária da Petrobras, das estatais e tais roubou dos brasileiros? Quantos milhões de mutilados sociais foram gerados pelas propinas e superfaturamentos da camarilha vermelha e seus discípulos? A hiper super mega faturada refinaria de petróleo Abreu e Lima em Pernambuco subtraiu investimentos bilionários da Petrobras, plantou ilusões e hoje produz falências e desemprego no litoral sul. Não se trata da “maldição do petróleo”, é a maldição da corrupção.         

Os palanques também estão sendo montados nos Estados. Em Pernambuco, o senador Fernando Bezerra Coelho mobiliza suas tropas para fazer a diáspora do PSB rumo às terras prometidas do tucanato, preferencialmente, ou dos democratas. O PSB do governador Paulo Câmara é apenas um retrato na parede. Desta vez o próprio senador FBC seria candidato à sucessão estadual, mas seguindo a receita de canja de galinha, abdicou de vez do seu projeto majoritário e está montando o plano F1 para lançar o filho Fernando, atual ministro das Minas e Energia, como candidato a governador.

Paulo Câmara “delenda est”! dirá F1 às margens do Rio São Francisco. O plano F1 equivale a fazer “a travessia do Rubicão”. Fernando Filho é a linha de transmissão de FBC entre os governos de Dilma, do qual foi ministro, e do presidente Michel Temer. Dudulândia não há mais. FBC dirige a sonda espacial F1 e convida prefeitos do Interior para aderirem à missão de desapego ao governador Paulo Câmara. “Alea jacta est”, a sorte está lançada às margens do Rubicão de Petrolina e das pontes do Palácio das Princesas.   

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



10/07


2017

Apagaram o candeeiro, derramaram o gás

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Luzes na ribalta! Sombras na ribalta! Tempestades na ribalta! O sapo está de molho. A pergunta agora é se Michel dança ou não dança ao som do bolero de Janot e de Joesley. Ele dançava o foxtrot, o passo da raposa, enquanto alisava as tranças de Marcela, a bela. O batidão agora é punk, é da pesada. Michelzão guenta ou não guenta o rojão. Michel era um bom samaritano. Foi provado e aprovado em primeira instância e segunda instância na dinastia escarlate. Subitamente, não mais que subitamente, virou fariseu e refém do açougueiro. O cara era teéudo e manteúdo da camarilha escarlate.  

O açougueiro orienta o plano de voo na torre de comando. Não existe mais céu azul de brigadeiro. Existe céu furta-cor de bandoleiro. Roubaram até o azul do nosso céu. O açougueiro é o rei do gado, o rei dos ares, o rei do BNDES, o vice-rei do Brazil. As bovinas e os bovinos do açougueiro possuem tetas, chifres, ovários e ovos de ouro. Eles mugem e tugem de modo politicamente correto à moda do chefe.   

Os argonautas traçam um horizonte artificial para definir o plano de voo. Planejam os ângulos do plano real e do plano imaginário. Navegamos num plano surreal. O plano imaginário é imponderável. O piloto surtou. As moças, os moços e aeromoçam perderam o cinto de castidade.O Brazil hoje é um jardim de aflições, de tempestades e de vulcões, sem esquecer o jardim das corrupções e das perdições.  

Falar nisso, os subintelectuais escarlates boicotaram o filme “Jardim das Aflições”, sobre vida e obra do admirável pensador Olavo de Carvalho. Eu ainda não vi o filme, mas adorei. Tempos recentes assisti e detestei o filmezinho medíocre e politicamente correto do cineastazinho K, caboclo mamador da Lei Rouanet. Olavo de Carvalho dá uma surra de erudição em todos esses microcéfalos vermelhos. A esquerda parasitária brasileira cultiva o obscurantismo cultural.   

Bons tempos em que um Maluf era o modelito de corrupção auriverde. Dizem que roubou uma avenida inteirinha em São Paulo e depositou num paraíso fiscal, um Seicheles, Shangrilá, assim como existem os paraísos comunistas. Era uma corrupção artesanal, de anzol, hoje é high tech.  
Imaginem hoje a construção de uma ponte Rio-Niterói, com 13,29 quilômetros, nas mãos da camarilha escarlate. Os bandoleiros sentem vertigens só de imaginar essas quilometragens superfaturadas.  Maus tempos da ditabranda semimilitar e semicivil! Os opositores eram tratados no pau, ou no pau-de-arara ou difamados. O ex-ministro Delfim Neto, gordo sinistro, eram chamado de gay. Naquele tempo ser gay era pecado, hoje tá moda politicamente correta. O gordo sinistro sobreviveu à ditabranda, aos regimes democratas, semidemocratas, hoje é conselheiro dos vermelhos e infravermelhos. Apagaram o candeeiro, derramaram o gás. O Brazil navega na escuridão, sem faroleiro, sem lampiões de gás e sem cintos de castidade. Volare, Brazil! Voa Brazil, na rota do imponderável. 

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Mobi Brasil 3


03/07


2017

O sapo é cavalo paraguaio

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O sapo dança ou não dança? Todos se perguntam. O bicho hoje é uma múmia, um zumbi, molambo de gente. Eleição é reta de chega, não é reta de partida. É corrida de obstáculos. O sapo barbado é “cavalo paraguaio”, está estropiado. Não tem futuro, tem um longo passado pela frente. Para sermos misericordiosos, digamos: adeus, bicho do mato!   Depois de Lázaro, não existe mais o milagre da ressurreição.  

Haverá um Jim Jones na história do Brazil capaz de levar milhões de criaturas ao suicídio político? São as paixões de perdição.  As mundiças são bovinas e se deixam fascinar pelos santos de pau oco. Os vivaldinos de todas as laias levam vantagem em tudo, certo?!
O juiz Sérgio Moro manda na República de Curitiba e o sapo está na mira dele. Mas, poderá haver o pulo do sapo para as instâncias federais.  Na República do Brazil são outros quinhentos.

Na mira da artilharia e da infantaria de Moro, exercita a tática de que a melhor defesa é o ataque, pra dissimular. Na verdade, está morto dentro das calças, como dizia meu pai Biu Joca. Virou jogador de pôquer e está blefando, tirando onda de inocente e maioral.
Michelzão é forte nos três poderes, noves fora os contrapesos. Na hora H, penso eu, os homens fortes vão dizer pro sapo: bicho, apascenta tua mundiça, fica mansinho, ou então nós vamos te pegar. Esta será a moeda de troca. Não tem brabo liso, ou não tem brabo com rabo de palha. 

O que fizeram com nosso Brazil, Zeus dos céus! Estraçalharam, barbarizaram da cabeça aos pés, às tripas e ao coração.  
O Brazil foi ao cardiologista. Doutor, please, salve as tripas do meu coração! O doutor fez o diagnóstico: As cavernas do seu coração estão petrificadas. Você tem pedras no tutano do miocárdio, pedras nos rins, nas tripas, nas artérias e nas veias. As bactérias vermelhas contaminaram as cataratas das suas artérias. Os dragões da maldade ameaçam invadir as cavernas dos nossos corações.

O bem-aventurado Drummond cantou a pedra: “No meio do caminho tinha um pedra/ tinha uma pedra no meio do caminho/ nunca me esquecerei desse acontecimento/ na vida de minhas retinas fatigadas”. O Brazil é uma pedreira. “Rolling Stones”, as pedras estão rolando. Rock n’roll.  É rock da pauleira. É punk da pesada. Estamos no sanatório geral da Nação. É uma danação. As lombrigas vermelhas e outros insetos queimam pneus, protestam, fazem greve. Ameaçam uma metástase vermelha no Brazil. Por favor, chamem um pneumologista para contar a queima de pneus nas artérias, nas pontes e nas safenas das nossas vidas.  

Providenciem um soro antiofídico contra lombrigas vermelhas. São micróbios e macróbios periculosos.  O coração do Brazil está cariado deste os tempos de Tiradentes. O que fazer, tratamento de canal, obturação, restauração, transplante, reconstrução das paredes do miocárdio? Tiradentes, o odontólogo, foi fuzilado num voo republicano porque denunciou um propinoduto que abastecia o reino de Portus Cale e Algarves. O olhar do Brazil é uma lágrima. Oh quantas lágrimas!    


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos


26/06


2017

Quem mama não chora

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Se eu fosse um Odebrecht, um  Cabral, um Eike, um Gutierrez, ou um ex-tesoureiro do cordão encarnado eu estaria muitíssimo irado, eu estaria arretadíssimo, invocadíssimo  da vida com o tratamento carinhoso e boníssimo dedicado a um filhinho de papai e mamãe que foi dispensado ao açougueiro  safadão. O cara pintou, bordou, rolou, deitou, saçaricou, espionou o presidente da República, abocanhou bilhões do BNDES e está soltinho da Silva,  fagueiro e lépido, a bordo de um iate, levando a vida que pediu à mundiça do cordão encarnado. Odebrecht, quase inocente, pegou uma cana pesada.   

Com aquele olhar carinhoso que Zeus não lhe deu e que comoveu o coração do sapo vermelho, Cabralzinho foi enjaulado pelo simples fato de assaltar os cobres públicos em algumas centenas de milhões de denários. A madame Cabral usava diamantes até no umbigo de ouro. Arrancaram a peruca de Eike, esculacharam e o bicho ficou quase pobre de marré-deci. Os ex-tesoureiros, quase inocentes e quase honestos, e outros insetos vermelhos estão presos. Ô vida marvada!   

Os bovinos do açougueiro eram criados com Toddy, filé mignon, lagosta, camarão, queijo do reino, vinho francês, uísque escocês, salmão, pão integral, eram assistidos pelo plano de saúde Golden Cow, faziam check up nos hospitais da Síria e do Líbano, carros blindados e voos em jatinhos particulares. Ô vida de gado!   

Ou açougueiro educou seus novilhos, desde quando se amamentavam nas glândulas mamárias do governo federal, para serem politicamente corretos e sempre mugir em obediência ao padroeiro do cordão encarnado. Tipo os galináceos dos ovos de ouro, eram touros e vacas de chifres e tetas e ovários de ouro em pó, ou seja, sabe, nasceram num berço esplêndido de propinas.    

Os chifres eram de marfim, importados da África. Somente os bovinos das elites golpistas são portadores de chifres de osso comum.
 Na hora do pasto o açougueiro reunia suas crias: minhas vacas e meus touros, vou comprar uns açougues nos States e ensinar vocês a falar inglês. Os bichos mugiam em inglês. Mwwwwhwwwnnnn! Hello, caubóis do cordão encarnado! Vocês serão apresentados ao touro valente da New York Stock Exchange – Nyse, a Bolsa de Valores da Big Apple para vender o sêmen de ouro em pó segundo o índice Dow Jones da felicidade monetária internacional.   

Volare, voa touro vermelho “Red Bull”, o BNDES te dá asas!  Mas, subitamente, não mais que subitamente, os bichos começaram a ser desmamados e aconteceu o desmantelo vermelho. Murcharam as glândulas mamárias do BNDES. Quantas lágrimas! O açougueiro teve uma ideia luminosa: grampear a língua de Michelzão. Ô de casa! Naquela hora vovô Michelzão já havia cantado a cantiga de ninar e a netinha Marcela começava a sonhar com o príncipe do Planalto. Boi, boi, boi da cara preta! Pensa numa menina de tranças, bela, recatada e do lar! Conta tua vida, açougueiro, que a minha eu já sei, disse Michelzão.

O açougueiro sacou o grampeador de línguas e abriu as porteiras do seu coração. Está se passando assim e assado. O meu boi morreu, que será de mim?! Quem não chora não mama e quem mama não chora. Quac! Quac! Quac! Michelzão caiu feito um patinho na malícia e o açougueiro botou a boca no saxofone.  

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

BM4 Marketing


19/06


2017

O Brazil padece de urucubaca

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O Brazil é uma unha encravada. É uma sinuca de bico. O Brazil deu um nó nas tripas gaiteiras. O Brazil está com dor de dente, dor de ouvido e espinhela caída. Há suspeitas de mau olhado. Só pode ser mau olhado, diante de tantas aflições e desmantelos. O que fazer?   Eu vos direi, do alto das montanhas da Jaqueira e da Freguesia de Nossa Senhora dos Aflitos: é urucubaca, mau olhado. Chamem uma rezadeira, uma benzedeira, uma curadeira.

Aconteceu no começo do século passado, em 1910, com o marechal presidente Hermes da Fonseca, apelidado de Dudu, o azarado. O pobrezinho era tão azarado que até os pombos do Palácio do Catete faziam cocô na cabeça dele. Fizeram uma marchinha para Dudu: “Ai Filomena, se eu fosse como tu, tirava a urucubaca da careca do Dudu. Ai, Filomena, na careca de Dudu subiu uma macaca, por isso, coitadinho,  ele tem urucubaca”.

Durante os quatro anos do governo de Dudu o Brazil viveu 10 meses em Estado de Sítio, mas ele era reconhecido como uma criatura honestíssima, não tinha sítio nem triplex nem recebia propinas de empreiteiras. Naquele tempo havia muita corrupção nos Estados. Dudu era rochedo e adotou a “Política das Salvações” para combater a corrupção com intervenções militares. Quando deixou o governo foi passar uma temporada no sítio do amigo Pinheiro Machado no Interior do Rio de Janeiro, mas não ganhou o sítio nem apartamentos duplex ou triplex de presente. Saudades de Dudu, meu amigo de infância.

Macunaíma, o herói nacional zero caráter, nasceu nos tempos do rococó, captado pela mente luminosa do escritor Mario de Andrade. Esse anti-herói é o patrono das mundiças malfazejas, corruptas e corruptoras de nossas terras auriverdes.
À moda de Macunaíma com tempero de Judas de Kariot, o gangster açougueiro é o novo herói nacional. As placas tectônicas do coração do Brazil estão impregnadas de corrupção. Os vermelhos continuam apaixonados pelos corruptos.

Corrupção no Brazil é ferida braba. Às vezes dá para imaginar que está no sangue auriverde tropical.      
A mundiça do cordão encarnado lançou a nova teoria revolucionária de que o vermelho é a soma de todas as cores. O papaizinho aqui eu mesmo aprendi, na universidade do Colégio Estadual da Prata, na Rainha da Borborema, que o branco é a soma de todas as cores, tai o filósofo José Neumanne Pinto que não me deixa mentir.

Perguntei ao Doutor Alvacir Fox, o oráculo do Empresarial Trade Center, especialista em globos oculares, óptica geométrica, pupilas, íris, córnea e cristalinos: ó mestre, dizei-me a verdade. Assim falou o guru Doutor Fox aos seus pupilos e pupilas, do alto das montanhas do ETC: a vermelhidão ideológica é uma aberração cromática. O mar é vermelho, a estrela é vermelha, a lua é vermelha, o céu é vermelho, o blues é vermelho, segundo eles, terceiro eles. Os vermelhos padecem de aberrações cromáticas ideológicas, digo eu.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



12/06


2017

O sapo será capado

MONTANHAS DA JAQUEIRA – A chapa Dilminha-Michelzinho é uma cobra de duas cabeças. Uma cabeça mordeu a outra cabeça. Ambas as duas cabeças se envenenaram. Dir-se-ia que estamos juntos, porém separados, falou Michelzinho. A gente estamos juntos e misturados, jurou Dilminha. O pessoal da Dilminha ululava em Brasília: please, ministro Gilmarzinho, condene a nossa chapinha junto com Michelzinho. A gente utilizamos uma grana de caixa 2 da Petrobras para pagar marqueteiros e cometer estelionato eleitoral. A gente cometemos crime eleitoral. Michelzinho sabia de tudinho, só o sapinho da Silva não sabia de nadinha, pra variar.

Mas, na hora do desempate e por ser muito malvado, o ministro Gilmarzinho absolveu a dupla Dilminha-Michelzinho. Os vermelhos caíram nos prantos. Se a chapinha fosse cassada haveria eleição indireta para presidente da República e a mundiça vermelha estaria no páreo. O Brazil entrou no ritmo do pega pra capar. Os vermelhos queriam capar Michelzinho e Marcelinha chorou de emoção, logo agora que estão na lua de mel de abelha do poder.

A jararaca vermelha já tinha sido capada politicamente no Impichi, mas queria ser capada novamente junto com Michelzinho, questão de solidariedade. Mandioca vermelha, uma criatura tão virtuosa quanto um vegetal, não cometeu nenhum pecado, apenas era uma incompetentezinha, ou big incompetente que arruinou a economia do Brazil, isto não é pecado, pois foi sem querer, querendo.  
Um cara pegador nos tempos do Império Romano, o Imperador Júlio Cesar adotou o lema: “Para ser minha namorada não basta ser honesta, tem que parecer honesta”. De caso com o Imperador da Petrobras, a mulher Pompéia deu uma bobeira na refinaria de Pasadena, nos States, e Julio Cesar pediu divórcio.

Tipo uma vestal de Pasadena, a jararaca vermelha jurou, ao ser deletada: Eu sou mais inocente que Pompéia, a mulher de Cesar. 
Agora quem está na fila para ser capado é o sapinho barbado. Ele não lembra de ter cometido nenhum pecado, nem no BNDES, nem na Petrobras, nem nos currais da Friboi, nem pecou contra a castidade a bordo daquela donzela chamada Rose de Noronha. Lembra apenas que fazia palestras, inocentemente, para ensinar aos ditadorezinhos de Cuba, da Venezuela e de republiquetas da África a arte de receber doações do BNDES. O institutozinho dele recitava Odes a Brecht e recebia ofertas milionárias de gratidão

Dizei-me, amáveis leitores, é justo mandar capar o bichinho pelo simples fato de ter esquartejado a ética e a moral da política em nosso País?! Pelo simples fato de ter desviado dezenas de milhões de denários da Petrobras para marqueteiros cometerem o maior estelionato de que se tem notícia nestas terras auriverdes?!

E mais, por ter estropiado, junto com a jararaca vermelha, o patrimônio da Petrobras. Pelo simples fato de ser o maior farsante da República e ter mentido para milhões de brasileiros desde quando era informante do xerife Romeu Tuma?! Por ter lançado, ele e a jararaca vermelha, 12 milhões de trabalhadores na perdição do desemprego?!  Quanta maldade querer capar o capadócio vermelho!  
A fila anda e o capadócio vermelho será capado, nos conforme da lei, constitucionalissimamente. Vai ser emocionante.  

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores