ArcoVerde

04/06


2015

Guerra na Praça dos Três Poderes

Carlos  Chagas

De duas, uma: ou Eduardo Cunha e Renan Calheiros estão desesperados, a ponto de declarar guerra à presidente Dilma, imaginando os dedos dela manejando os cordéis das denúncias da Procuradoria Geral da República a que precisarão responder por conta do petrolão, ou... Ou então endoidaram, julgando ser o sistema parlamentarista e ambos, primeiros-ministros.

Fora dessa dicotomia não há outra explicação. Desde que empossado o presidente da Câmara, e reempossado o presidente do Senado, em fevereiro, eles assestaram suas baterias contra a chefe do governo. Procuram de todas as formas criar problemas para Madame. Do projeto de lei de responsabilidade das empresas estatais, das emendas constitucionais da redução do número de ministérios, da bengala e da maioridade penal, até a terceirização e as mudanças no fator previdenciário, o bombardeiro é intenso E ainda guardam em seus arsenais duas armas secretas: o processo de responsabilidade contra Dilma, em função das pedaladas nas contas públicas, e o próprio impeachment.

Estudantes do primeiro ano de psicologia concluiriam que a reação dos dois presidentes não passa de defesa prévia diante das acusações a que responderão perante o Supremo Tribunal Federal. Atacam em vez de defender-se, supondo que partem da presidente os planos para destruí-los. Afinal, o procurador Rodrigo Janot gostaria de ser reconduzido, coisa que só depende dela.

O Lula já aconselhou a sucessora a procurar Cunha e Renan, estreitando laços com eles e até atendendo, na base do possível, eventuais reivindicações fisiológicas. Dilma atendeu apenas em parte a sugestão, através de um jantar com um e diversos telefonemas ao outro, mas cada vez que surgem no Congresso propostas contrárias ao Executivo, mais ela se exaspera e promete revides.

Do jeito que se desenvolvem as escaramuças na Praça dos Três Poderes, logo virá o impasse, importando menos de que lado a esgarçada corda se romperá. A palavra estará com o Supremo Tribunal Federal, cuja decisão pode transformar os dois presidentes em réus.

A pergunta que fica é se as instituições aguentarão. Houve tempo em que os generais-presidentes mandavam tropa invadir o Legislativo e decretavam seu recesso, usurpando-lhe prerrogativas. Felizmente essa alternativa passou, mas acontecerá o quê na hipótese da condenação desses dois singulares líderes do PMDB, partido que na teoria apoia o governo Lula?

A guerrilha transforma-se em guerra, de nada valendo a trégua atual, que levou Renan Calheiros a Paris e Eduardo Cunha a Israel, devendo ambos encontrar-se em Moscou, no próximo domingo. Quando retornarem, quarta-feira, saberemos se o périplo serviu para acirrar ou minorar os ânimos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

03/06


2015

Propina na Petrobras vai aos Estados Unidos

Os procuradores da força tarefa da operação "lava jato" afirmam que notificaram o Departamento de Justiça dos Estados Unidos a respeito das evidências de que pelo menos quatro empresas estrangeiras pagaram propinas para ganhar contratos da Petrobras.

As acusações abrangem unidades ou afiliadas da Samsung Heavy Industries Co., da Skanska AB, da AP MoellerMaersk A/S e da Toyo Engineering Corp., disse em entrevista o procurador Carlos Lima.

As empresas podem enfrentar denúncias no Brasil, que podem levar à suspensão de suas operações no país, além de sanções nos Estados Unidos por violação da Lei Contra Práticas Corruptas Estrangeiras. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/06


2015

STF: Cunha tem 48 horas para explicar votação ilegal

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu 48 horas para que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), explique a votação já definida como ilegal pelo ministro Marco Aurélio Mello, e que decidiu favoravelmente pelas doações empresariais de campanha.

A ministra é relatora de um mandado de segurança protocolado por deputados contra a manobra de Cunha. Eles pedem a anulação da votação, que aconteceu na semana passada. O artigo 60 da Constituição impede a reapresentação de uma emenda constitucional na mesma sessão legislativa.

Derrotado numa primeira votação, o financiamento privado foi reapresentado por Eduardo Cunha para uma segunda decisão dos parlamentares, quando o placar se inverteu: 66 deputados mudaram de lado e o projeto foi aprovado por 330 a 141.

O mandado de segurança foi protocolado no sábado 30 por um grupo de deputados. No dia seguinte, Cunha se mostrou irritado com a iniciativa. "A Câmara não vai ficar refém dos que não querem que nada que os contrariem seja votado, ameaçando ir à Justiça toda vez que perdem no voto", ameaçou.

Ouvido pelo jornalista Paulo Moreira Leite, o jurista Luiz Moreira defendeu  que a "votação deve ser anulada", comprometida por um "vício incontornável". 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/06


2015

STJ quebra sigilo de Cabral e Pezão

Do Portal G1

Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou a quebra de sigilo telefônico do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), do ex-governador do estado Sérgio Cabral (PMDB) e do ex-secretário da Casa Civil Regis Fichtner em inquérito da Operação Lava Jato no qual os três são investigados.

Também houve quebra de sigilo de executivos de empreiteiras suspeitos de participação no esquema de corrupção e desvio de dinheiro na Petrobras. O objetivo é analisar as ligações trocadas entre outubro de 2009 e o fim de 2010 entre os políticos do Rio e outros investigados.

O ministro Luís Felipe Salomão, relator da Lava Jato no STJ, deferiu pedido da Polícia Federal e determinou que as operadoras de telefonia enviem informações sobre a troca de telefonemas.

O governador Luiz Fernando Pezão afirmou que os sigilos bancário e telefônico estão à disposição e que a acusação é falsa. "Eu já havia me colocado à disposição da Justiça, e assim permaneço. E reafirmo que a acusação é falsa e essa conversa nunca existiu. Meus sigilos telefônico e bancário estão à disposição. Minha declaração de bens é pública e também está disponível", disse, por intermédio da assessoria.

A assessoria do ex-governador Sérgio Cabral informou que ele "respeita" as decisões do processo judicial "e reitera o seu repúdio e a sua indignação às mentiras ditas pelo delator Paulo Roberto Costa".

"Diante das inverdades ditas pelo delator Paulo Roberto Costa, cabe à Justiça investigar os fatos. A quebra de sigilo telefônico, diante disso, é natural e servirá apenas para demonstrar que jamais falei com ele ao telefone sobre qualquer assunto", afirmou Régis Fichtner por meio da assessoria.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/06


2015

Mota participa de reunião sobre Avicultura

O fortalecimento da avicultura em Pernambuco foi tema de uma reunião realizada nesta terça-feira (2), na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), com gestores envolvidos com o tema. O secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Nilton Mota, participou do encontro, na qual foram apresentados o atual cenário do setor no Estado e as propostas de melhorias para a cadeia.
 
Pernambuco está na 1ª posição no ranking de produtores de frangos e ovos no Nordeste, contando com um rebanho de mais de 16 milhões de animais e cerca de 1.400 produtores. O Estado se destaca, ainda, no ranking nacional de criação de frango de corte, ocupando a 8ª posição, e na produção de ovos, onde está em 5º lugar.
 
A atividade gera mais de 150 mil empregos diretos e indiretos em Pernambuco. “A avicultura é uma atividade de grande representatividade na economia do nosso Estado e nos últimos oito anos vem apresentando um crescimento significativo, fruto da parceria firmada entre o Governo do Estado e a Avipe” informou o secretário de Agricultura Nilton Mota.
 
A reunião foi conduzida pelo presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Política Rural, Miguel Coelho, e também contou com a presença do representante do Ministério da Agricultura, Rogério Ferreira, do presidente e o diretor da Associação Avícola de Pernambuco (Avipe), Edival Veras e Juliano Malta, respectivamente, e o diretor da Comissão Estadual de Sanidade Avícola, Paulo Magnata.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/06


2015

Genival e Baracho homenageados no Recife


 

O São João do Recife 2015 celebrará o cantor e compositor Genival Lacerda e as cirandeiras Maria Dulce e Severina (Biu) Baracho, conhecidas como as irmãs Baracho. O prefeito Geraldo Julio teve o prazer de comunicar pessoalmente a honraria aos artistas, na tarde desta quarta-feira (3), e ressaltou o valor da cultura popular na escolha dos homenageados.

"O São João do Recife neste ano homenageia ninguém menos do que Genival Lacerda e as irmãs Baracho. É uma homenagem a esse artista de vários talentos diferentes que é Genival Lacerda, que foi líder nas rádios desse país inteiro durante muitos anos e é uma figura muito querida; e às irmãs Baracho, que trazem a cultura e a tradição tocada por Seu Antônio Baracho, o mestre dos cirandeiros da nossa cidade e do nosso Estado. É a cultura popular, é a nossa gente homenageando a nossa gente", exaltou o prefeito.

Os homenageados não esconderam a alegria durante o encontro. "É uma emoção muito grande para mim que tenho 65 anos de carreira e mais de dez sucessos cantando por esse Brasil ser homenageado pelo Recife. Ainda estou tremendo", disse Genival Lacerda. "Estou muito feliz, agradeço de coração a lembrança. Essa homenagem é uma oportunidade muito grande de divulgar a tradição da nossa ciranda", comemorou Severina, mais conhecida como Biu. Ao lado da irmã Maria Dulce, ela tem mantido viva a tradição do pai, Antônio Baracho, considerado precursor da manifestação em Pernambuco. 

GENIVAL LACERDA – O cantor e compositor nasceu em Campina Grande, na Paraíba, no dia 5 de abril de 1931. Em 1950, Genival Lacerda começou sua carreira na terra natal, onde trabalhou como radialista. Já no ano de 1953, veio para a cidade do Recife e, dois anos depois, gravou o primeiro 78 rotações. No ano de 1975, estourou nas paradas de sucesso com a música "Severina Xique-Xique", um marco na sua carreira. Em seguida, vieram inúmeros outros sucessos como "Radinho de Pilha" e "Mate o Véio". Artista completo, Genival também já fez cinema, teatro, rádio, televisão e até programas de humor.

IRMÃS BARACHO – Maria Dulce, 67 anos, natural de Carpina, e Severina, 55 anos, de Nazaré da Mata, carregam um sobrenome de importância histórica para a cultura popular pernambucana e brasileira. Filhas de Antônio Baracho da Silva, ou simplesmente Baracho, falecido em maio de 1988, elas assumiram a responsabilidade de manter e divulgar o trabalho de seu pai: a ciranda. Baracho é considerado um dos maiores compositores de ciranda do Estado e Dulce e Severina cresceram nas rodas e cantigas de ciranda acompanhando seu pai nas apresentações respondendo aos versos entoados por ele. Elas também são conhecidas por acompanhar a cirandeira Lia de Itamaracá em suas apresentações.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/06


2015

Médicos do Maria Lucinda protestam no Recife

Do Portal G1 Pernambuco

De acordo com diretoria da unidade, estado deve R$ 2,4 milhões. 
Atendimento em outros hospitais do estado também está comprometido.

Médicos, enfermeiros e técnicos do Hospital Maria Lucinda realizaram nesta quarta-feira (3) um protesto. A manifestação reuniu todos os setores da unidade, até os pacientes desceram para denunciar a situação. De acordo com a diretoria, desde dezembro o estado acumula um dívida de R$ 2,4 milhões com o hospital. Sem o dinheiro, o Maria Lucinda reduziu despesas e está cortando serviços. O atendimento aos pacientes e o pagamento de salários também estão comprometidos. 

"A gente está fazendo redução, economia em todos os setores e até solicitando a colaboração da comunidade", afirma a coordenadora de enfermage, Sueli Borges. "Eu cheguei aqui para fazer uma cirurgia e estou achando muito complicada a situação. A dificuldade está muito grande", completou o paciente Francisco Chagas

O hospital tem 830 funcionários e recebe dinheiro do Governo do Estado e da Prefeitura do Recife. O atraso é na verba do estado, que serve para manter as UTIs, adulta e neopediátrica, e a emergência ortopédica. 

"Em torno de 50 pessoas já foram desligadas e há uma programação para mais 40 demissões. Eu estou aqui há 14 anos e nunca vivi uma situação dessa. É muito angustiante. Você saber que você pode prestar um serviço de boa qualidade e isso ser prejudicado.", lamenta a médica Fabiana Mendonça.

"A gente não tem como receber novas crianças. Ontem mesmo tava faltando luva de procedimento. Como eu vou dar uma assistência segura para a população se eu não tenho como prestar essa assistência?", questiona a coordenadora da UTI pediátrica, Jackeline Diniz.

"Ontem nós iniciamos o repasse de verbas que realmente estava atrasado. Realmente nós temos um débito com Fundação Maria Lucinda. Mas ontem pagamos parte do débito e até a próxima terça-feira estamos regularizando toda essa situação", afirmou o secretário executivo de Administração e Finanças da Secretaria de Saúde, Sílvio Marinho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/06


2015

São José pode ter adutora emergencial

O ex-prefeito de São José do Egito, Evandro Valadares (PSB), saiu, há pouco, do gabinete do presidente da Compesa, Roberto Tavares, com a informação de que o Estado pode encontrar na construção de uma mini adutora de 17 km, saindo do sistema central da adutora do Pajeú, para reforçar o abastecimento do município via sistema adutor do Rosário.

São José do Egito,que fica a 400 km do Recife, viveu no final da gestão de Eduardo Campos um verdadeiro colapso de água, obrigando a Compesa a tirar do papel, em caráter emergencial, uma adutora para abastecer a cidade puxando água da barragem de Rosário. Só que, com o agravamento da seca, Rosário está praticamente seca, com apenas 4% da sua capacidade.

“Esta adutora de 17 km é a nossa solução e nós vamos lutar por ela, tendo já a promessa do presidente da Compesa”, disse Valadares, que enfrentou como prefeito, há quatro anos, a maior crise de abastecimento da história do município. Mas foi graças aos reclamos do ex-prefeito que o então governador Eduardo Campos garantiu a construção da editora emergencial do Rosário.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bm4 Marketing 2