Gravatá IPTU 2019

05/09


2006

Ex-governador muda versão dada sobre o mensalão

 Mais de um ano depois de dizer que havia alertado o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a existência do esquema do mensalão, o ex-governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), decidiu, ontem, dar mais detalhes da conversa, incluindo uma suposta resposta do presidente dada na ocasião.

O diálogo ao qual Perillo se refere veio à tona em junho do ano passado, logo após o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) denunciar o mensalão. À época, ainda governador de Goiás, Perillo disse ter avisado o presidente que ouvira rumores do caso, ao recebê-lo em solenidade em Rio Verde (GO), em 5 de maio de 2004.

Ontem, a menos de um mês da eleição, Perillo decidiu retomar o assunto. "Não adianta ele [Lula] falar que não sabia do mensalão. Eu o avisei em Rio Verde", disse. "E ele me falou: "Marconi, cuida dos seus deputados, que eu cuido dos meus''".

Perillo é candidato a uma vaga ao Senado. Segundo pesquisa Ibope divulgada na semana passada, ele lidera com 66%.

Essa suposta resposta dada pelo presidente não havia sido revelada até então. Em 26 de julho do ano passado, no auge da crise do mensalão, Perillo enviou uma carta ao Conselho de Ética da Câmara na qual dizia que Lula teria dito "não ter conhecimento do assunto".

Na carta, Perillo dizia: "Relatei ao senhor presidente da República que ouvira rumores sobre a existência de mesada a parlamentares [...] Ele disse que não tinha conhecimento e que ia tomar as providências que o assunto requeria".

A carta foi ignorada na denúncia da Procuradoria Geral da República e não consta do relatório da CPI dos Correios, que apurou o caso. Perillo não respondeu por que só citou a conversa em detalhe agora. A declaração foi dada enquanto aguardava Geraldo Alckmin (PSDB) em Jataí (GO).

Mais tarde, Alckmin comentou a fala de Perillo: "Essa história de que não sabia de nada, é evidente que ninguém acredita nisso. Não há compromisso com a verdade. Veja a questão do [Paulo] Okamotto, fala uma coisa e depois fala outra, os ministros que saíram, grandes amigos e depois diz que os demitiu", disse citando o conflito de versões dadas para explicar o pagamento de uma dívida de Lula com o PT, paga por Okamotto, amigo do presidente.

Há dois meses, já licenciado do cargo para concorrer ao Senado, Perillo disse à Polícia Federal que soube do caso por meio da deputada Raquel Teixeira (PSDB-GO), que teria recebido do deputado Sandro Mabel (PL-GO) proposta de R$ 1 milhão para mudar de partido. Mabel foi absolvido pela Câmara, e Raquel Teixeira foi advertida.

O escândalo do mensalão foi investigado por duas CPIs. No total, 19 deputados foram acusados pela CPI, mas quatro renunciaram antes da abertura dos processos. Outros 15 enfrentaram processos, mas apenas três tiveram mandatos cassados: José Dirceu (PT-SP), Pedro Corrêa (PE) e Roberto Jefferson. O processo de José Janene (PP-PR), licenciado, segue pendente até hoje. As informações são da Folha de S. Paulo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Lula também é culpado de ter,como metalúgico, fabricado os pregos q foram usados na crucifixão de Cristo.Também por ter colocado mau cheiro na urina do gambá.Lula é um horror.Vamos puní-lo.Façamos o seguinte:Quando for votar digite o 13 e detone a tecla verde-CONFIRME. Prenda-o em Brasília por 4anos

guilherme alves

Será Perillo o novo Vedoin? Muda de opinião a cada estação. É por essa e por outras que a classe política não tem credibilidade. Se a versão é a de hoje, por que não falou no ano passado no calor das denúncias? Qual a verdadeira? Dá para acreditar no Perillo?


Paulista Conectada

05/09


2006

Prefeitos de Pernambuco são multados pelo Tribunal

O Tribunal de Contas de Pernambuco julgou mais cinco processos de gestão fiscal referentes a prefeituras e câmaras do interior. Prefeitos e presidentes de câmaras foram multados por não terem enviado ao TCE cópia do RGF (Relatório de Gestão Fiscal) do exercício de 2005. O relator dos processos foi o conselheiro Valdecir Pascoal.

A prefeita de Bonito, Maria Lúcia Heráclio de Souza Lima, não emitiu os Relatórios de Gestão Fiscal do 1º, 2º e 3º quadrimestres de 2005 nem tomou medidas administrativas para reduzir o montante de despesa com a folha de pessoal, que estava em 56,62% da Receita Corrente Líquida no final do exercício de 2004. Ao contrário, permitiu que no final do exercício de 2005 esse percentual se elevasse para 57,24%. Em razão disso, terá que pagar uma multa de R$ 12.000,00 (doze mil reais), o que corresponde a um terço dos subsídios auferidos naquele exercício.

Já o prefeito de Ipojuca, Pedro Serafim de Souza Filho, deixou de enviar ao TCE o Relatório de Gestão Fiscal do 3º quadrimestre de 2005 e terá que pagar uma multa de R$ 10.080 (dez mil e oitenta reais) por descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal e da Resolução TC nº 10/2005 do Tribunal de Contas.

O terceiro prefeito punido pelo TCE com pena de multa por não ter enviado em tempo hábil o Relatório de Gestão Fiscal, referente ao 2º semestre de 2005, foi o do município de Jaqueira, Amadeu Henrique Barros de Oliveira. Por infração à LRF, ele terá que pagar uma multa de R$ 12.858,75 (doze mil, oitocentos e cinqüenta e oito reais e setenta e cinco centavos).

Finalmente, foram multados pelo TCE, pelas mesmas razões, os presidentes das Câmaras Municipais de São João e Cabo de Santo Agostinho, Reginaldo Falcão da Silva e Gessé Valério de Oliveira, respectivamente. O primeiro não enviou ao TCE, como manda a Lei, o Relatório de Gestão Fiscal do 2º semestre de 2005 e agora vai ter que pagar uma multa de R$ 3.938,81 (três mil novecentos e trinta e oito reais e oitenta e um centavos). Quanto ao segundo, terá que pagar uma multa de R$ 6.600 (seis mil e seiscentos reais) por não ter enviado ao TCE a cópia do RGF do 3º quadrimestre de 2005. As informações são do site do TCE.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Tem chefe de executivo municipal que,se pudesse levaria o telhado, as louças sanitárias e o mobiliário das repartições para seus armazéns.Primeiro: constrói com material de 2ª e 3ª e registra que utilizou de 1ª.Tudo superfaturado.NF(Notas Frias) etc.etc.etc.Carros Zero;apts. à beira mar;sítios...


Asfaltos

05/09


2006

Dona Flor e seus dois maridos

 Quem não lembra do filme Dona Flor e seus dois maridos, que fez o maior sucesso no Brasil? Se alguém não lembra, o enredo é mais ou menos assim: Durante o carnaval de 1943 na Bahia, Vadinho (José Wilker), um mulherengo e jogador inveterado, morre repentinamente e sua mulher, Dona Flor (Sônia Braga), fica inconsolável, pois apesar dele ter vários defeitos era um excelente amante.

 

Mas após algum tempo ela se casa com Teodoro Madureira (Mauro Mendonça), um farmacêutico que é exatamente o oposto do primeiro marido. Ela passa a ter uma vida estável e tranqüila, mas tediosa e, de tanto ''chamar'' pelo primeiro marido, ele um dia aparece nu na sua cama.

 

Então, ela pede ajuda a uma amiga, dizendo que quase foi seduzida pelo finado esposo. Um pai de santo se prontifica a afastar o espírito de Vadinho, mas existe um problema: no fundo, Flor quer que ele fique, pois há um forte desejo que precisa ser saciado.

 

Na política, você associa a essa estorinha a quem? Ao papel que o presidente Lula está exercendo na sucessão estadual, ou seja, ele, por ser do PT, tem que demonstrar fidelidade a Humberto Costa, mas seus desejos só se materializam com Eduardo Campos, que não é do PT, mas tem, infinitamente, um poder maior de sedução.

 

Hoje, em Caruaru, Dona Flor vai aterrissar no Aerolula abraçado com seus dois maridos. A princípio, só Eduardo teria o privilégio de viajar ao lado do petista, mas Humberto, avisado por correligionários de que iria pegar mal ficar em Caruaru a espera do presidente, enquanto Eduardo se abraçava com ele no avião, resolveu pegar um jato, hoje, pela manhã, para dividir o amor com Dona Flor.

 

Tem coisa mais ridícula, hoje, na política de Pernambuco?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

A versão foi atualizada. No relançamento o título é: Dona Flor e seus três maridos. Falta o Mendonça que não viaja e fica morrendo de ciúme.

O magno TA de parabéns pela criativa nota, foi buscar lá na Bahia, do inspiradissímo Jorge Amado, essa feliz comparação, surgiro ao competente jornalista uma busca na literatura pernambucana, algo sobre o emprestímo da familia MENDONÇA.Uma semana pernambuco todo comentando e nehum pio do magno.fala,

Drácula

lulala

Drácula

SE LEMBRAM DA CENA EM QUE A DONA FLOR ESTÁ ENSINANDO AS AMIGAS A FAZER UMA MUQUECA? ENQUANTO ELA ENSINA.. O VADINHO CHEGA POR TRÁS DE UMA AMIGA E CRÉU!!!!!. É MAIS OU MENOS ASSIM A CENA DOS DOIS CANDIDATOS COM O LULA..QUE NO CASO É O "VADINHO"........HAHAHAHAHAHA

Fabio Henrique Cavalcanti Pedrosa

Pedro, eu concordo contigo. Foi isso que quis dizer. Um abraço!


ArcoVerde

05/09


2006

Ministério Público inicia campanha contra nepotismo

 O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) inicia, hoje, uma campanha de combate à prática do nepotismo dentro dos poderes Executivo e Legislativo municipais, estadual, e no Tribunal de Contas do Estado. A mobilização atinge as 147 comarcas de Pernambuco, envolvendo os promotores com atuação na Defesa do Patrimônio Público, além do procurador-geral de Justiça, Francisco Sales de Albuquerque.

A ação foi articulada entre os MPs de todo o País, através do Grupo Nacional de Defesa do Patrimônio Público e Combate à Corrupção (GNCOPP), que é vinculado ao Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do MP dos Estados e da União (CNPG), até o final do último mês de agosto presidido pelo chefe do MPPE.

Em Pernambuco, a campanha será realizada em várias frentes, começando com distribuição de material publicitário (panfletos e cartazes) nos municípios, veiculação de spots de rádio e TV, com apoio das rádios Jornal e CBN, além da TV Jornal. Também começa a funcionar o Disque-Nepotismo (0800 281 9455), que estará recebendo denúncias da população. As informações são do MPPE.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Até que enfim o Ministério Público deu o ár da sua graça. É fiscal da lei, curador dos inválidos, dos ausentes, acidentados, defensor da sociedade... Está fazendo o seu papel. Que bom! Tem que ser assim. Deve ser assim. É isso.

josé arnaldo amaral

Moralidade necessária ao serviço público significa quebrar a apropriação da máquina municipal pela família do gestor. Se o MP tomar a pulso a tarefa, ganha a população. Perdem os corruptos. Concertação na base !!! Autonomia municipal, JÁ !!!



05/09


2006

Agenda dos candidatos em Pernambuco

 O candidato a governador pelo PFL de Pernambuco, Mendonça Filho, participa de debate, às 10 horas, no Colégio Motivo, em Boa Viagem. Às 12h10, faz apresentação de propostas de governo na Fecomércio, no restaurante Boi Preto, no Pina. Às 19h, tem caminhada e carreata em Ribeirão, a 87 km da capital. Depois, às 20h20, faz caminhada e carreata em Catende, a 142 quilômetros do Recife e às  21h30  tem outra caminhada em Xaxéu, a 162 km do Recife.

Já o candidato do PT, Humberto Costa, participa, às 16h, em Caruaru, de comício com Lula, promovido pela direção da Contag, na Avenida Rui Barbosa – Centro (em frente ao prédio INSS)

O candidato do PSB, Eduardo Campos, também participa, às 17h, em Caruaru, de comício com Lula.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

É Lula, é Eduardo, é João Lyra, É José Queiroz, é Jorge Gomes, eita que grupo arretado, vai ser de goleada no agreste.



05/09


2006

O dia dos presidenciáveis

O candidato do PT à reeleição, presidente Luiz Inácio Lula da Silva, participa do comício nacional da agricultura familiar em Caruaru (PE). Geraldo Alckmin, candidato do PSDB, faz palestra, pela manhã, na Associação Brasileira das Indústrias de Base, em São Paulo. À tarde, participa da sabatina da Folha, a partir das 15h.

A candidata Heloísa Helena, do PSOL, permanece em Brasília. Vai ao Senado, grava programa eleitoral e participa de reuniões com o comitê nacional de campanha.

O senador Cristovam Buarque, candidato do PDT à Presidência da República, grava programas eleitorais em Brasília e participa de cerimônia da Organização dos Estados Iberoamericanos sobre Incentivo a Políticas Públicas para o livro e a leitura. À tarde, grava programas eleitorais e, à noite, participa de atividades de apoio a dois candidatos pelo partido no Distrito Federal.

Em São Paulo, pela manhã, o candidato do PSDC, José Maria Eymael, concede entrevista a uma emissora de TV em Aparecida do Norte, participa de coletiva de imprensa local em Taubaté e faz caminhada no centro de São José dos Campos.Luciano Bivar, do PSL, não tem compromissos eleitorais. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/09


2006

Senadores quase trocam tapas

 Os senadores Luiz Otávio (PMDB-PA) e Flexa Ribeiro (PSDB-PA) quase se estapearam, ontem, pelas 15h, no aeroporto de Belém, um pouco antes do embarque para Brasília. Otávio estava revoltado com acusações que Ribeiro lhe fez em um comício e, aos gritos, prometeu denunciá-lo ao Conselho de Ética do Senado por supostas maracutaias. Até previu: “Você vai sair de lá cassado e algemado”. Os dois foram contidos a muito custo. As informações são da coluna de Cláudio Humberto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

A roupa suja já está sendo lavada fora da lavanderia.Agora só está faltando colocá-la no corador. Ao depois as roupas devidamente limpas serão colocadas no varal. O Congresso aprovou ontem o voto aberto. ( Menos para a formação da mesa diretora. Acho justo).



05/09


2006

Urna não absolve ninguém

 ''Num magnífico artigo publicado na revista Veja, o jornalista Reinaldo Azevedo nota que o então presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, reeleito em 1972, acabou renunciando para não ser cassado por crimes cometidos no primeiro mandato.
 
Urna não é tribunal. Não absolve ninguém, lembrou o articulista, reportando-se à hipótese de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Não podemos subestimar a Justiça brasileira. Ela pode não ser tão óbvia quanto a norte-americana. E até dá razão aos céticos. Collor de Mello não foi condenado por uma sequer das acusações que o levaram à renúncia'', avalia o jornalista José Tomaz Filho, em artigo que acabo de postar em Opinião. Boa leitura!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

O Reinaldo, bom jornalista, porém radical, tá repercutindo a tese golpista do chefe do seu ex-patrão Mendonça de Barros, o neolacerdista FHC. Esses senhores deveriam acabar com a democracia, seria mais barato para o país. O velho udenismo de volta.

Concordo que urna não absorve ninguém, se não o FHC teria sido impedido na segunda gestão, pois tudo começou ou continuou com ele.

josé arnaldo amaral

E que dizer de urnas prenhes de ignorância - geratriz de todas as misérias ? São as tais que ameaçam instalar o 2o reinado do lullismo contra a consciência cívica da Nação. 45 nellas !!!!


bm4 Marketing 3