Gravatá IPTU 2019


26/02


2019

Coluna da quarta-feira

Camaragibe: tumulto, confusão, manobra e um Impeachment iniciado

Por Arthur Cunha – especial para o blog

A sessão plenária na Câmara de Camaragibe que aprovou a abertura do processo de Impeachment do prefeito Demóstenes Meira, ontem, foi uma verdadeira bagaceira (para não usar uma palavra pior). Um circo dos horrores com direito a tudo: manobra regimental; vereador abandonando a reunião para não ter que votar; legislador se trancando banheiro com medo da pressão; parlamentar chorando; outro chamando popular para a briga; militante quase invadindo o Plenário; claque entoando o “Fora Meira”; discursos intermináveis; bate-boca; zoada e muita bagunça – até o famigerado “Lula Livre” rolou.

Ao final, depois de a tumultuada sessão ter encerrado com resultado favorável ao prefeito, o presidente da Casa, Toninho Oliveira, que havia apresentando o pedido de Impeachment, “botou o regimento debaixo do braço” e chamou o procurador-geral da Câmara para ele dizer que, mesmo na condição de presidente do Legislativo, o vereador poderia votar. Foi aí que Toninho abandonou seu posto na Mesa para gritar “sim” e desempatar o placar que estava em quatro a quatro – também tiveram quatro abstenções. Depois do fim do show, o presidente desligou os celulares.

Formou-se uma comissão com três vereadores: Roberto da Loteria (presidente), Délio Júnior (relator) e Léo Família (vogal). Em cinco dias, esse colegiado apresentará um parecer. Em seguida, o prefeito terá 15 dias para apresentar a sua defesa. Só depois é que o relatório da comissão será votado em Plenário. Se a posição for pelo impedimento de Meira, e o conjunto dos parlamentares ratificar o posicionamento, o gestor, então, será afastado, assumindo em seu lugar a vice Doutora Nadegi, que é oposição.

Por meio da assessoria de Imprensa, a Prefeitura de Camaragibe disse desconhecer a “solicitação de Impeachment”, e que nenhum pedido havia chegado ao Executivo municipal. O certo é que o prefeito dificilmente aceitará um resultado negativo vindo da Câmara. Longe de acabar, essa briga só deve ser decidida na Justiça. Até lá, uma coisa é certa: vamos ter muita confusão ainda!

“Cala a boca, Magda!” – Sem base no Congresso, e com dificuldade para aprovar a reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro deveria se preocupar com os problemas que seu governo tem pela frente. Mas não! Bolsonaro ainda inventa de elogiar, em público, os dirigentes das ditaduras brasileira e paraguaia. Faça-me o favor, seu Jair. João Figueiredo e Alfredo Stroessner como “estadistas”?! Só falta ele dizer que Hitler foi um grande defensor da paz mundial. “Cala a boca, Magda”!

“Cala a boca, Magda 2” – Não bastasse as besteiras que o presidente fala, vem seu ministro da Educação colombiano querer que as escolas do País lessem o slogan do governo para estudantes. É querer institucionalizar uma ideologia. Está tão errado quanto o PT. De novo, Ricardo Veléz Rodríguez perdeu uma excelente oportunidade de ficar quieto. A culpa não é dele só. É de quem o colocou onde ele está. Também, vai engolir corda de filósofo-guru de internet. É nisso que dá...

Aeroporto do Recife – Em uma articulação do deputado Felipe Carreras, a bancada federal pernambucana se reuniu com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, e com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para tratar da concessão do Aeroporto do Recife. No encontro, os parlamentares questionaram o modelo de privatização em blocos. Para Carreras, o investimento no equipamento recifense está aquém dos seus concorrentes no Nordeste, a exemplo de Salvador e Fortaleza.

Interdição – A Prefeitura do Recife interditou, de forma provisória, 32 imóveis com risco estrutural, que não podem receber uma quantidade elevada de pessoas durante o desfile do Galo da Madrugada, no próximo sábado. O trabalho de fiscalização vai continuar até o dia do maior bloco do mundo, incluindo aí todo o percurso do Galo.

CURTAS

CAMPANHA – Em Ipojuca, a oposição está pegando vídeos antigos com problemas da cidade para disseminar nas redes sociais e atribuir a culpa à gestão da prefeita Célia Sales. Para tal, estão sendo utilizados influenciadores digitais que chegam na ponta com suas postagens. Pois é, amigos, 2020 já começou! A campanha já está pegando fogo.

CARNAVAL – Oficialmente, o Carnaval de Olinda começa hoje e a Prefeitura ainda não fechou o patrocínio para a festa. A gestão municipal promete que haverá, sim, patrocinador – nos bastidores, a informação é que deve ser a AmBev. A expectativa é que o aporte seja de R$ 5 milhões. Caso a negociação não prospere, a Prefeitura terá que bancar a folia.

INVESTIMENTOS – O prefeito de São Lourenço da Mata, Bruno Pereira, foi o gestor que mais investiu em Saúde e Educação na história recente do município. O petebista aplicou 18% e 28%, respectivamente, nas duas áreas, segundo o relatório de Execução Orçamentária. 

Perguntar não ofende: Vocês acham que ditadores são estadistas?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Direitista é uma cartomante com Mal de Parkinson. Sabe tudo sobre os próximos 4 anos, mas não lembra nada dos 21 anos de ditadura militar.

Fernandes

Bozoverno vai investir 45 milhões em propagandas sobre a reforma,(com o país quebrado), para te manipular.Cuidado,não caia nessa.

Fernandes

Racista,vigarista, uma fraude\" disse o advogado sobre Trump! E pensar que ele é a referência em pessoa para o clã Bolsonaro!

Fernandes

Direitista é uma cartomante com Mal de Parkinson. Sabe tudo sobre os próximos 4 anos, mas não lembra nada dos 21 anos de ditadura militar.

Fernandes

Presidente Zé de Abreu anuncia primeira ação de governo: ajuda humanitária psiquiátrica para Damares, Vélez, Ernesto e Bolsonaro!


Paulista Conectada


26/02


2019

Coluna da terça-feira

Impeachment de Meira pode passar na Câmara

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Vai pegar fogo, hoje, a sessão plenária da Câmara Municipal de Camaragibe, quando será votado o pedido de Impeachment do prefeito Demóstenes Meira. Para o processo se instaurado, basta uma maioria simples de sete votos dos 13 possíveis. A oposição vai lotar as galerias da Casa para cobrar publicamente os vereadores. Como a votação será aberta, de forma nominal, alguns dos nove parlamentares que formam a base do prefeito podem sucumbir à pressão da opinião pública e se posicionarem favoráveis ao afastamento do chefe do Executivo. O jogo será jogado nos bastidores até o início da reunião, marcada para começar às 9h.

O pedido de afastamento foi protocolado pelo presidente do Legislativo municipal, Toninho Oliveira, que acusa o prefeito de peculato e improbidade administrativa. Ele usará como base os áudios onde Meira ordenou que os cargos comissionados da prefeitura fossem ao show da noiva, Taty Dantas, em um bloco de Carnaval, notícia antecipada por este colunista. Toninho, que até pouco tempo era aliado do gestor, está confiante que o Impeachment passe pelo crivo dos seus pares – ele tem recebido sinalizações nesse sentido.

Caso a maioria dos vereadores opte pela instalação do procedimento, uma comissão de três parlamentares (presidente, relator e vogal) será formada. Em cinco dias, esse colegiado deve emitir um relatório a ser votado no plenário após a defesa do prefeito. Esse, por sua vez, tem 15 dias, contados da apresentação do relatório, para apresentar suas razões. Depois da nova votação é que o plenário da Casa pode concordar ou não com o relatório da comissão. Se for “sim” para o Impeachment, Meira, então, será afastado, assumindo em seu lugar a vice, Doutora Nadegi, com quem ele está rompido.

Teoricamente, votariam a favor de Meira os vereadores Paulo André, Hélio Albino, Rene Cabral, Manoel Rodrigues, Adriano da Tabatinga, Lindomar Santos, Eugênio Vitorino, José Roberto e Severino Gomes. Só que nos bastidores pelo menos três desses já admitem mudar de lado. Já contra o prefeito, estariam os quatro oposicionistas declarados: Toninho Oliveira, Délio Júnior, Toinho da Loteria e Léo Família. É aguardar para ver.

Tão só - Queixoso da vida, carente de atenção e sem a menor cerimônia, o vereador Elias Jardim (Petrolina) gravou um áudio de WhatsApp confirmando que partem dos parlamentares da base as indicações de professores e gestores do Nova Semente. Claro que a mensagem vazou! Nela, Elias avisou que iria exonerar uma funcionária porque ela não o estaria “respeitando” e nem dando “satisfação”. Chateado, ainda disse que nunca recebeu uma visita desse cargo comissionado. E que isso seria “ausência” e “desprezo”.

Consideração – “Está saindo porque nunca me procurou. Não serve para mim! Não é só com ela; é com muitas aqui. Vou tirar porque nunca respeitou o vereador. Nem bom dia dá”, queixou-se Elias, mostrando que estava decidido. “Não respeita, não considera. Acha que caiu de paraquedas. Se a gente indicou, essa pessoa deve satisfação a gente”, reclamou, fazendo draminha. A Prefeitura, em nota, disse que fará uma seleção simplificada para resolver o problema. Agora?

AmBev em Olinda – Tudo indica que será a AmBev mesmo a patrocinadora do Carnaval de Olinda. A prefeitura prometeu o anúncio para hoje ou amanhã, encerrando o impasse somente a poucos dias do início oficial da folia – o que é perigoso, já que pode ficar sem nada e ter de bancar com recursos próprios a festa. Nos bastidores, a informação é que a cota será de R$ 5 milhões, sem exclusividade ainda mais. A Heineken também estava de olho no evento, mas a proposta da AmBev teria sido mais vantajosa.   

Contas irregulares – O ex-prefeito da sertaneja Ouricuri, Cézar de Preto, teve as contas do seu último ano de governo, 2016, rejeitadas pelo TCE. Entre as irregularidades apontadas estão a extrapolação do limite de despesa total com pessoal; a aplicação de apenas 20,20% da receita corrente líquida na manutenção do desenvolvimento do ensino (o mínimo é 25%); ausência de contribuições patronais, entre outras.

CURTAS

MEDIDA CAUTELAR – Já referente à Prefeitura de Chã Grande, no Agreste, o conselheiro Dirceu Rodolfo, do TCE, determinou uma medida cautelar suspendendo o Pregão Presencial 008/2018, cujo objeto era contratar uma empresa para gerir a frota do município e dos fundos municipais de Saúde e Assistência Social.

QUADRO – Internado em São Paulo, o deputado federal Gonzaga Patriota apresentou um quadro viral, que gerou complicações no pulmão, fígado e uma trombose na região abdominal. O parlamentar, que está em tratamento intensivo há oito dias, agradeceu o carinho da família e as mensagens de apoio. A coluna reforça os votos de pronta melhora para ele.

SAÍDA – Repercutiu mal no Judiciário a saída de Eduardo Araújo da Superintendência Parlamentar da Alepe, cargo responsável pelas Relações Institucionais do Parlamento. Eduardo, que é pai do ex-deputado Bruno Araújo, era quem fazia a interlocução com desembargadores e juízes.

Perguntar não ofende: Será que passa na Câmara de Camaragibe o pedido de Impeachment do prefeito Meira?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Nicolás Maduro, falou mais de 1 hora sem ler, Bolsonaro falou 6 minutos, lendo. Viu a diferença de um líder e de um idiota.

Fernandes

Stroessner, o ditador paraguaio elogiado por Bolsonaro.

Fernandes

Eu reconheço José de Abreu como Presidente do Brasil.

Fernandes

CHINA E RÚSSIA RECONHECEM ZÉ DE ABREU COMO NOVO PRESIDENTE DO BRASIL.

Fernandes

Bolsonaro se aposentou com 33 anos. Comprovado com distúrbios mental.


Asfaltos


24/02


2019

Coluna da segunda-feira

Começar de novo

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Uma das coisas mais interessantes na política é que ela permite o recomeço. Após um hiato de seis anos sem mandatos eletivos, depois de ter vivido um verdadeiro inferno astral, o ex-prefeito João da Costa está de volta. E agora de forma institucional, por meio da vereança na Câmara do Recife – ele assumiu o mandato depois que Marília Arraes seguiu para ser deputada federal. Ocupando o gabinete de número 38 na Casa de José Mariano, o petista terá a oportunidade de realizar aquilo que nem o próprio PT nem os aliados mais próximos fizeram durante os quatro anos de governo: a defesa de seu legado na capital pernambucana.

Nesses próximos dois anos, o João da Costa vereador vai ter chance de fazer uma espécie de “relançamento” na cena política pernambucana. Esse é o seu plano: olhar para o futuro sem esquecer o passado. No fim das contas, o petista deixou a Prefeitura do Recife naquele 1º de janeiro de 2013 muito mais desgastado pela instabilidade política que seu governo viveu do que, propriamente, pela administração – não que fosse uma gestão bem avaliada, vale salientar.

A briga com seu ex-padrinho João Paulo, hoje deputado estadual pelo PCdoB, e a prévia dentro PT contra Maurício Rands pela vaga de candidato do partido, que culminou com a derrocada da sigla, não são, nem de longe, as pautas prioritárias de João da Costa na Câmara Municipal. Ele garante serem águas passadas. Mas, claro, se voltarem a gerar debates, ele vai se posicionar e apresentar a sua versão.

O que o vereador João da Costa quer fazer é jogar holofotes no que avalia serem as contribuições do prefeito João da Costa para a capital pernambucana, a exemplo da Via Mangue; da duplicação do viaduto Capitão Temudo – concluídas por Geraldo Julio –; do início da requalificação do Geraldão; da construção de quase nove mil moradias populares; do surgimento de parques como o de Santana, Apipucos e do Caiara; além do fortalecimento e ampliação do Orçamento Participativo, entre outras. Tribuna para isso ele já tem. A roda girou e o ex-prefeito voltou ao cenário. Está tendo a segunda chance que muitos sonharam um dia ter. Mais maduro, parece ter aprendido com seus próprios erros.

Ofertas – A coluna tem a solução para evitar que Humberto Costa gaste tanto em restaurantes. O senador pode aderir às plataformas de ofertas como o Peixe Urbano e o Groupon. Lá, ele conseguirá excelentes descontos para aquele sushi maroto. Em tempo, o petista gastou, via cota parlamentar, R$ 553,90 em um japonês de Brasília no dia 31 de dezembro. Por meio da assessoria, Humberto respondeu que todos os gastos estão dentro dos limites legais. Só lembrando que nem tudo que é legal, é moral, viu.

Desenvolvimento Econômico – Estreando na Alepe, o deputado estadual Sivaldo Albino convocou o Agreste Meridional para discutir Desenvolvimento Econômico. O socialista entrou com uma indicação solicitando que o reitor da UPE, Pedro Falcão, crie um núcleo permanente de estudos sobre a área, atendendo Garanhuns e região. “Já faz cerca de quatro décadas que o Agreste Meridional, com seus 26 municípios, tem sofrido por não ter conseguido articular sua sociedade em torno de um novo projeto desse tipo”, apontou.

Trabalhadores rurais – O deputado Fernando Monteiro, apesar de favorável à reforma da Previdência, é contra mudanças que prejudiquem os trabalhadores rurais e o acesso aos benefícios assistenciais destinados aos idosos e pessoas com deficiência, o chamado Benefício de Prestação Continuada (BPC). Ele reconhece que a reforma é necessária para o País, mas a proposta apresentada pelo governo, do jeito que está, não pode ser votada. Cobra, ainda, a inclusão dos militares no texto.             

Indefectível camisa – Lá se vão sete carnavais seguidos e o prefeito Júnior Matuto não abre mão de sua indefectível camisa que traz na frente a bandeira de Paulista e no verso, a de Pernambuco. Folião de primeira hora, Matuto foi um dos últimos a deixar o camarote do governador Paulo Câmara no Baile Municipal do Recife, sábado passado. Na foto, ele aparece também junto ao prefeito da capital, Geraldo Julio, e ao deputado federal João Campos.

CURTAS

IMPEACHMENT – Antecipado por este colunista, o pedido de Impeachment contra o prefeito Demóstenes Meira, de Camaragibe, será apresentado, amanhã, pelo presidente da Câmara Municipal, Toninho Oliveira. A sessão plenária na Casa começa às 9h30 e promete gerar muita confusão. Os vereadores da oposição também subscrevem o documento.

AUMENTO – Presidente do STF, Dias Toffoli negou seguimento a uma ação popular contra o aumento de 16,38% para suas excelências do Supremo. Segundo ele, o reajuste é “referente à recomposição dos subsídios com base na inflação apurada entre 2009 e 2014”. Lembrou o TJPE, que autorizou o pagamento de retroativos de auxílio-alimentação de 2011 para desembargadores e juízes.

DENGUE – Em tratamento médico por causa de uma dengue desde a última terça, o deputado federal Gonzaga Patriota foi transferido de Brasília para São Paulo, onde está internado no Hospital Albert Einstein. “Além da Dengue, tem uma Zika me agarrando”, brincou o parlamentar, pelas redes sociais. A coluna torce que Gonzaga logo esteja recuperado.

Perguntar não ofende: A crise na Venezuela não tem fim?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Por que os EUA e seus aliados nunca se preocupam com a fome de de países que não são produtores de petróleo? Se a Venezuela não possuísse a maior reserva de petróleo do mundo e a segunda maior mina de oiro do mundo, os EUA estariam preocupados com o povo Venezuelano?

Fernandes

Não fique constrangido de ter votado no Bolsonauro, você pode ter sido enganado. Fique constrangido se você é burro o suficiente para persistir defendendo essa ruína.

Fernandes

Marluxo, eu tenho só 1,98 de altura. Relaxa senão não encaixa meus 27 C.......... Só lembrando é proposicional a minha altura.

Fernandes

Marluxo perreluxo a Taty Dantas de Camaragibe a namorada do Meira, por isso tem cargo comissionado na prefeitura.

marcos

16 de governo Merda, sem plano, sem reformas e quer que o nosso Mito em 45 dias resolva a incompetência petista. Relaxa mortadela, senão não encaixa.


ArcoVerde


22/02


2019

Coluna da sexta-feira

Viva a sensatez diante do óbvio

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Em tom de ironia, na coluna de ontem, eu pedi uma oração a Deus para ele iluminar os representantes do Judiciário. E não é que fui atendido! Depois deste colunista denunciar, com exclusividade, uma autorização do Tribunal de Justiça de Pernambuco para pagamento retroativo a 2011 de auxílio-alimentação a desembargadores e juízes, o caso chegou ao Conselho Nacional de Justiça. À noite, o CNJ tornou pública uma liminar do corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, suspendendo o pagamento do benefício.

O ministro foi muito claro na sua liminar. Explicou, no despacho, que estava suspendendo o pagamento para evitar “um prejuízo de difícil reparação” ao erário do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Viva a sensatez diante do óbvio! O TJ não revelou quanto o benefício custaria aos seus cofres; nem se posicionou sobre a liminar. Mas um cálculo de padaria mostra que essa cifra chegaria aos milhões. E de onde viria esse dinheiro, meus caros? Exatamente de onde você pensou...

O efeito suspensivo da liminar pode ser derrubado pelo pleno do CNJ. Mas a postura do ministro-corregedor tem de ser louvada, aplaudida, e, sobretudo, difundida. A decisão de Humberto Martins deve criar Jurisprudência mesmo. O bom Jornalismo e a sociedade têm obrigação de pressionar suas excelências para evitar que o péssimo exemplo de Pernambuco vire uma praxe a ser copiada por outros estados.

Desembargadores e juízes, assim como outras categorias da elite do funcionalismo público, os semideuses, como costumo chamar, já ganham muito. Eles não precisam de penduricalhos para bancar sua alimentação - seus contracheques são gordos, com o perdão do trocadilho. O País vive um intenso debate sobre uma reforma da Previdência que, se não for feita, vai inviabilizar o Governo Federal e os estaduais. O tempo do Estado que aguenta tudo acabou. Fiquemos vigilantes.

Penduricalhos – Todas as categorias que são carreiras de Estado possuem direitos popularmente chamados de penduricalhos, que oneram bastante a folha de pagamento. Por exemplo, auditores fiscais, além de um alto provento, têm direito a 14º salário e – pasmem! – participação nas multas. Os juízes, como é de domínio público, ganham auxílio-moradia, mesmo possuindo casa própria e atuando na sua cidade de origem. Os membros do Ministério Público, especificamente os promotores, possuem auxílio-moradia e auxílio-saúde. E por aí vai...

Penduricalhos 2 – Ora, não seria mais digno e ético essas carreiras viverem apenas do seu bom salário? Não precisa ser economista para saber que, se bem administrada, essa remuneração daria muito bem para custear as despesas de moradia, alimentação, roupa e educação para os filhos. A questão central, volto a dizer, é que esses servidores se sentem verdadeiros príncipes europeus e sócios do Estado. Não querem ser classe média, preferindo imitar a classe alta.

Penduricalhos 3 – Endosso que esses salários megalomaníacos somados aos penduricalhos é o que onera, consideravelmente, a folha de pagamento, além de sobrecarregar a Previdência. Torço muito para que a reforma de Bolsonaro acabe com essa discrepância. Vamos cobrar!

Ganhando corpo – O grupo do deputado federal Túlio Gadelha está ganhando corpo dentro do PDT pernambucano e já ameaça a hegemonia de outro, esse histórico no partido, que é o do deputado estadual José Queiroz. O presidente da legenda aqui no Estado, por sinal, é o filho do ex-prefeito, o deputado Wolney. Aliados de Túlio vão assumir o comando do diretório municipal da sigla em Jaboatão dos Guararapes. Em Caruaru, terra dos Queiroz, ele já tem do seu lado a presidente da Juventude, Joana Grego.

CURTAS

AR CONDICIONADO – O vereador Alcides Teixeira Neto vai propor uma audiência pública para discutir seu Projeto de Lei 360/2017, que determina a instalação de ar condicionado em todos os ônibus no Recife. Prevista para março, a reunião contará com parlamentares, representantes dos movimentos pela democratização do transporte público, das empresas, e da própria sociedade civil organizada.

ESCOLA SEM PARTIDO – Já em Caruaru, o vereador Presbítero Andrey Gouveia apresentou um Projeto de Lei pedindo que a Câmara crie o “Escola Sem Partido” na Capital do Forró. A proposição vai tramitar nas comissões antes do Plenário. Contudo, a matéria não terá vida fácil já que o STF derrubou uma ação parecida em âmbito nacional.

FICA, MEIRA! – A brincadeira em Camaragibe, ontem, era que o prefeito Demóstenes Meira mandou um áudio para o grupo de WhatsApp das suas lideranças comunitárias ordenando que elas fizessem cartazes em apoio ao gestor. Durante a manhã, duas mulheres colocaram cartazes com dizeres pró-Meira na fachada da prefeitura.

Perguntar não ofende: O que os Ferreira acharam do protagonismo de FBC no Governo Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Primeiro, expulsaram os venezuelanos em Roraima. Agora, querem prestar \"ajuda humanitária. Bolsominions são esquisitos!

Fernandes

Marchola pega o beco tu é muito fraco nos argumentos, vai te abraçar com Meira.

Fernandes

Nicolás Maduro é um revolucionário de verdade não se dobra e nem teme fascistas! Somos todos Maduro!

marcos

Maduro é muito é Ladrão e quer matar o povo da Venezuela de Fome.

marcos

A diferença entre esquerda e direita é que país de esquerda Não deixa seu povo sair ( Venezuela), país de direita controla a entrada no seu pais ( USA)




21/02


2019

Coluna da quinta-feira

Isso é justo?

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Eu queria utilizar esse espaço para tratar de outros assuntos. Mas não dá para deixar passar em branco a forma como “alguns” muitos semideuses do serviço público insistem em agir. Quase que despercebido, o Tribunal de Justiça de Pernambuco publicou, no seu Diário Oficial de ontem, um ato autorizando o pagamento de auxílio-alimentação retroativo a 2011 para desembargadores e juízes. Nada ilegal; tudo baseado em uma resolução do CNJ como manda a letra da lei. Não estou questionando a legalidade, mas a moralidade desse processo, sobretudo, em tempos de debate da reforma previdenciária. Será que é realmente justo que essas categorias de servidores públicos mereçam tantos penduricalhos?

Sinceramente, a minha opinião é que não. Confesso que fiquei estarrecido: o ato autoriza o pagamento do benefício desde 20 de junho de 2011 – são quase oito anos a serem recebidos por suas excelências. Imagina o tamanho do impacto financeiro que isso pode causar nos cofres de um Poder que vive de Duodécimo. Atentem para a nuance: não estou questionando os altos salários que desembargadores e juízes ganham no comparativo até com outros servidores públicos – algo entre R$ 25 mil e R$ 40 mil mensais, em média. Isso é outra discussão. Estou me referendo aos penduricalhos. No final das contas, os contracheques do Judiciário são o registro de verdadeiras fortunas, justificando o título de “semideuses” aos seus integrantes.

Como se fosse pouco o dinheiro do retroativo, o TJPE ainda autorizou o reajuste do auxílio-alimentação pago atualmente aos magistrados. Com duas canetadas, eles resolveram o passado, o presente e o futuro. O valor do benefício pulou para R$ 1.561,80. A maioria dos brasileiros ganha menos do que isso não apenas para “alimentação”, mas para sobreviver o mês todo. Vocês não leram errado não, meus amigos. Volto a dizer antes que alguém grite: tudo foi feito dentro da lei.

Questionado por este colunista, que deu a notícia em primeira mão, o Tribunal de Justiça foi lacônico em sua resposta. Por meio da sua assessoria, informou apenas que “o levantamento está sendo realizado pelo Setor Financeiro, e o pagamento depende de dotação orçamentária”. Oxalá esse “Setor Financeiro” diga que não pode pagar (tu acha mesmo?). Vamos rezar/orar a Deus para que ele ilumine essa turma e eles não façam o Judiciário pernambucano dar mais esse péssimo exemplo. Haja oração para alcançar essa graça.

Previdência – Falando nos semideuses do serviço público, e sobre a reforma da previdência de Bolsonaro, há alguns aspectos que devem ser considerados no que diz respeito às carreiras de Estado. Até porque são essas carreiras que oneram, consideravelmente, a folha de pagamento das aposentadorias e pensões – muitas delas, inclusive, variando de R$ 25 mil a 50 mil, com algumas ultrapassando essas cifras astronômicas.

Sócias do Estado – Tais carreiras de Estado, sem dúvida, desempenham atividades imprescindíveis, e, portanto, devem ser bem remuneradas. Mas, claro, sem penduricalhos. Contudo, tal importância não lhes confere o direito de serem “sócias do Estado”, reivindicando verdadeiros pró-labores. Há categorias de servidores que recebem 14º salário, participação nas multas, dentre outros privilégios.

Nobres europeus – O problema é que essas carreiras não só se sentem “sócias do Estado”, como sonharam um dia que são príncipes e princesas. Querem viver nababescamente como nobres europeus. Não sou contra ninguém ganhar um alto salário, repito, desde que haja equidade, justiça social e boa distribuição da renda. Não cabem salários tão opulentos em um Estado pobre como o brasileiro. Isso é, sem dúvida, um acinte.

Recife/Paulo Afonso – O secretário de Turismo de Pernambuco, Rodrigo Novaes, comemorou os dois voos semanais entre Recife e Paulo Afonso, na Bahia, anunciados pela Azul. Rodrigo atuou fortemente para viabilizar os destinos, que ligarão a capital ao Sertão de Itaparica, colocando na rota municípios como Petrolândia, que oferece as praias do Lago de Itaparica como atrativo. “Temos uma oportunidade de abrir uma nova fronteira turística no Estado, despertar a atenção para as praias à beira do lago, para a história das cidades alagadas, que marca a vida de tantos pernambucanos”, pontuou.

CURTAS

ANTICORRUPÇÃO – Com objetivo de fortalecer as ações para reprimir e prevenir o combate à corrupção em Pernambuco, a secretária da Controladoria-Geral do Estado e ouvidora-geral, Érika Lacet, tem articulado o apoio de outras instituições. Nesta semana, ela esteve reunida com a procuradora-geral do Ministério Público de Contas, do Tribunal de Contas do Estado, Germana Laureano. Em pauta, a implementação de um acordo de leniência.

FRENTE – Foi aprovada, ontem, no plenário da Assembleia Legislativa, a Frente em Defesa do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). A proposição foi do deputado Isaltino Nascimento. “Vamos mobilizar assistentes sociais, gestores públicos municipais, parlamentares e sociedade civil para participarem da Frente. Não vão passar por cima dos avanços que a área teve nos governos passados sem que haja uma grande mobilização e ampla discussão nas casas legislativas”, salientou.

“EU GOSTEI” – Você achava mesmo que esta coluna terminaria sem mais uma do prefeito de Sucupira... ops, Camaragibe. Em entrevista ainda sobre o escândalo dos áudios, Demóstenes Meira disse que gostou da repercussão. “Eu achei maravilhoso o que aconteceu (até o Jornal Nacional descendo a lenha). Se eu fosse contratar todas as televisões para levantar o nome de Taty, eu gastaria mais de R$ 3 milhões”, disse. Só para reforçar: esse homem foi eleito, tá!

Perguntar não ofende: O que você achou da reforma da Previdência do Bolsonaro? Respostas no (81) 9.9198-0838.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Teu mito te enganou BABACA marchola.

marcos

Teu mito tá preso Babaca

Fernandes

Os parlamentares do PSOL tão botando pra F... mandando ver.

Fernandes

Da série Pega Fogo Cabaré STF envia à Justiça Eleitoral apuração contra Onyx por caixa 2

Fernandes

Reforma da previdência. Guerra contra a Venezuela. Teu mito! Quer destruir a juventude de muitos e a velhice dos pobres.




20/02


2019

Coluna da quarta-feira

Com a faca e o queijo na mão

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Enquanto a crucificação do ex-ministro Gustavo Bebianno se desenrolava nos holofotes, o governo trabalhava em silêncio para definir seu líder no Senado. E o escolhido foi mesmo Fernando Bezerra Coelho, cuja indicação estará no Diário Oficial da União de hoje. Com isso, o pernambucano terá servido a três presidentes em sequência: Dilma, Temer e Bolsonaro. FBC aumentará sua influência em Brasília, liberando recursos federais e levando obras para turbinar a gestão do filho Miguel, em Petrolina, e de aliados. Mais do que isso: tem tudo para se tornar a principal liderança de oposição no estado, deixando Armando Monteiro, Mendonça Filho e Bruno Araújo para trás.

No plano nacional, Fernando tem três grandes desafios logo de cara. O primeiro e crucial, até pelo trânsito que ele tem no Congresso, é ajudar na aprovação da reforma da Previdência, a principal aposta do novo governo. Com uma base ainda em formação, a tropa de choque de Bolsonaro precisará da experiência de quadros como FBC, haja vista a presença de muitos novatos e inexperientes nas duas casas. O pacote anticrime do ministro Sérgio Moro (Justiça) deve ser outra das prioridades do novo líder governista.

No entanto, a tarefa mais espinhosa de Bezerra Coelho na função será conter a ira e consequente rebordosa do colega de partido Renan Calheiros (AL). Preterido por Jair e Flávio Bolsonaro na catastrófica eleição para presidente do Senado, Renan não vai facilitar as coisas para o Palácio do Planalto. Pelo contrário, vai jogar muito contra o presidente da República e sua administração. E, se Bolsonaro perder popularidade, estará pronto para sangrar ainda mais o ex-capitão.   

O posto de líder do governo no Senado também deve pesar a favor de Fernando na briga travada contra o senador Jarbas Vasconcelos pelo comando do MDB em Pernambuco. A tão sonhada candidatura de FBC a governador, em 2022, passa pelo comando de um grande partido, o que vai lhe assegurar boas condições na disputa. Enquanto os “companheiros” oposicionistas estão juntando os pedaços após derrotas nas urnas, Bezerra Coelho larga na frente. Está com a faca e o queijo não.

Onde sempre esteve – Perguntado sobre o que achava da indicação de FBC para líder do governo no Senado, o ex-prefeito de Petrolina Julio Lossio soltou essa: “Fernando está onde sempre esteve, no governo, qualquer governo. Os governos mudam; FBC, não”. Outro adversário, esse em reserva, também tirou uma onda. “No dia em que envia um pacote anticorrupção para Congresso, Bolsonaro elege um acusado de corrupção para seu líder no Senado”.

Ligação – Presos na Operação Fantoche, que investiga corrupção em contratos do Ministério do Turismo com o Sistema “S”, Luiz Antônio Gomes Vieira da Silva e Lina Rosa Gomes Vieira da Silva, da Aliança Comunicação, integraram com destacado papel as equipes de comunicação das campanhas de Armando Monteiro Neto em pelo menos três eleições: 2018, 2014 e 2010. Também detido, o presidente da Fiepe, Ricardo Essinger, é outro que sempre esteve na órbita do petebista.

Nova convocação – Quando você acha que o escândalo de Camaragibe já tinha dado tudo, surge a informação, também antecipada por este colunista, que o prefeito Meira escalou a noiva para outra prévia. Taty Dantas vai entoar hits como o da “Periquita” no Kalango & Cia, neste sábado. O bloco pertence ao irmão do prefeito, Davi Meira, que é também secretário de Saúde. Atenção, comissionados, vocês podem receber outra “convocação” a qualquer momento!

Textão – Taty Dantas, por sinal, escreveu um textão sobre seu show no Canário Elétrico – isso até se explica (É o amor). O que a cantora-secretária não conseguiu justificar foi o fato de o noivo-prefeito ter ordenado que os comissionados da gestão fossem lhe prestigiar. Segundo Taty, ela tem sido procurada por “diversos produtores do Brasil”. Conhecida ela já está mesmo...

CURTAS

SENSATO – Muito sensata a entrevista do ex-ministro Gustavo Bebianno ao programa Pingos Nos Is, da Jovem Pan, ontem, depois dos áudios de suas conversas com Jair Bolsonaro terem vazado. Bebianno confirmou o que já se esperava: que ele foi demitido por vontade do filho do presidente, Carlos Bolsonaro, que comandou sua avassaladora fritura no governo e nas redes sociais.

CARLUXO SURTADO – A gente entende a influência que um filho pode exercer sobre um pai, e todo o amor envolvido nessa relação. Mas Jair Bolsonaro não pode submeter a Carluxo, seu 02, tamanho poder. Quem, de fato, é o presidente? O vereador do Rio só age com o fígado, e, junto com os irmãos, pode ser a ruína do pai. Parece até bíblico.

E AÍ, BIVAR? – “Dono” do PSL, Luciano Bivar se disse “estupefato” com os áudios trocados entre Bolsonaro e Bebianno. Também afirmou que o ex-ministro estava “desesperado” porque, na opinião dele, vazou as conversas. O que Bivar não explicou foi a acusação que recaiu sobre ele de supostamente ter usado “laranjas” para desviar dinheiro na campanha. Com a palavra, o deputado.   

Perguntar não ofende: O que Meira vai aprontar hoje?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Mentiroso. Bolsonaro negou, mas tratou com Bebianno sobre o Laranjal

Fernandes

Pátria não se entrega, Pátria se defende.

Fernandes

Eu lembrando dos parentes que votaram Bozo pq ele era honesto. Bolsonaro mentiu. BABACA!!!

Fernandes

Sérgio moro é jagunço da família bolsonaro! alguém tem alguma dúvida?

Fernandes

Bebianno diz que vai juntar documentos sobre campanha do Bolsonaro. Fodeu...




19/02


2019

Coluna da terça-feira

Crise política insustentável em Camaragibe

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Ficou insustentável a grave crise política instalada na Prefeitura de Camaragibe após o prefeito Demóstenes Meira (PTB) ordenar que todos os cargos comissionados da gestão fossem prestigiar o show da sua noiva, Taty Dantas, no bloco Canário Elétrico, anteontem. Os áudios que o gestor mandou para um grupo de WhatsApp, divulgados por este colunista em primeira mão, fizeram com que o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, determinasse a instauração de procedimento investigativo criminal para apurar se Meira cometeu peculato. Já a promotora de Defesa do Patrimônio Público, Mariana Vila Nova, abriu outra ação, desta vez para investigar se o gestor incorreu em improbidade administrativa.

Nos bastidores, a informação é que o posicionamento forte do Ministério Público, ainda que tardio, pode acelerar o julgamento de processos e andamento de investigações contra o prefeito, que correm em segredo de Justiça, resultando, o quanto antes, no seu afastamento do cargo. Mais rápida que o MPPE, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou no jogo cobrando uma investigação rigorosa ainda no domingo à noite. Durante o dia de ontem, a ampla cobertura dada pela Imprensa local e nacional ao fato deu contornos quase irreversíveis à situação do prefeito, que, nem com toda repercussão negativa, reconheceu exagero nos seus atos.

A oposição da cidade estuda entrar, via Câmara Municipal, com o pedido de Impeachment do prefeito. Como tem maioria na Casa, Meira não deve se preocupar com os vereadores. O clima nas ruas e nas redes sociais, contudo, é totalmente desfavorável ao petebista. O gestor recebeu uma enxurrada de críticas pela postura de ordenar que seus comissionados prestigiassem a noiva em um bloco de Carnaval organizado pelo secretário de Educação, Denivaldo Freire.

A insatisfação para com o chefe do Executivo também é grande entre os guardas municipais da Prefeitura. Muitos foram convocados a deixar a folga do domingo e “fiscalizar” se os aliados de Meira realmente estavam no bloco. A decisão do prefeito acabou deixando descobertos outros equipamentos públicos, como um hospital, que ficou sem segurança. Relatos nas redes sociais dão conta de que até o cemitério da cidade foi fechado para os comissionados que lá trabalham pudessem ir acompanhar o Canário Baleado. Como eu disse ontem, Camaragibe parece a Sucupira da novela “O Bem Amado”. Uma pena.

Vou processar! – Em entrevista à uma rádio local pela manhã, antes de “mergulhar”, o prefeito de Camaragibe garantiu processar os que estão “levantando calúnia e difamação” contra ele, sua gestão e sua noiva. Também jogou o desgaste na conta da oposição (praxe); e ainda disse que vai provar sua inocência. “Estou tranquilo, quero dizer ao povo de Camaragibe que há uma meia dúzia de pessoas que perderam a eleição e estão querendo criar constrangimento”, disse Meira, sem saber que a “meia dúzia” viraria milhões de pessoas que o assistiram “brilhar” até no Jornal Nacional.

Paixonite – Um deputado brincou, em reserva, que o “crime” do prefeito foi o de “paixonite” pela noiva. “Ela não recebeu nenhum dinheiro para cantar. Cantou porque quis ajudar, mostrar a marca dela em Pernambuco, começando pela cidade de Camaragibe, do noivo dela”, defendeu Meira. Que altruísmo da futura primeira-dama, nomeada secretária de Assistência Social. Os dois estão juntos há cerca de sete meses e casarão em junho, “se Deus quiser”, segundo o prefeito. Taty Dantas realmente deixou uma marca que o Brasil inteiro viu. Uma marca para lá de negativa!

Visão deturpada – A fala do prefeito de Camaragibe traduz bem como ele entende o serviço público. “Cargo comissionado não é funcionário público; não é contratado. Não convoquei nem contrato, nem funcionário público. Convoquei cargo comissionado, que é da minha inteira confiança. São meus amigos, pessoas que estavam comigo. Eles não sabem o que é cargo comissionado. Estava convocando, iria ser filmado, até para saber quem são os meus amigos e quem não são”, argumentou Meira, com uma naturalidade de espantar.

Sem noção – Altamente conturbada, mal administrada e com um desfecho ainda em aberto a crise que resultou na demissão do agora ex-ministro Gustavo Bebianno. Jair foi Bolsonaro desde o início; e fez o que sabe fazer de melhor: jogar lenha na fogueira! Não desceu do palanque e insiste em, já na condição de presidente, agir como se estivesse eternamente em campanha. Seus filhos, que, quando não manipulam, são manipulados pelo pai, são outros com absoluta falta de bom senso. Se preparem que Bebianno vem com artilharia pesada contra o ex-chefe.

CURTAS

CONSELHO DE ... – O deputado estadual Romário Dias quase conseguia embargar a eleição para o Conselho de Ética da Alepe, ontem. O parlamentar foi ao microfone dizer que o regimento estava sendo desrespeitado porque, na primeira composição do colegiado, havia colega seu que não poderia estar lá. Ele não adiantou o motivo, mas, supostamente, foi pelo fato de alguns estarem respondendo a processo.

... ÉTICA – Depois de consultar o regimento, o presidente Eriberto Medeiros mandou mudar as cédulas de votação com a justificativa de que Gustavo Gouveia, por ser suplente da Mesa, não poderia ocupar suplência no colegiado. Depois da votação, acabaram eleitos como titulares Aglailson Victor, Antônio Moraes, Francismar Pontes, Joaquim Lira, João Paulo, Tony Gel e Rogério Leão. Presbítero Adalto será o ouvidor.

APROVEITADOS – Seguindo uma tradição na Assembleia Legislativa, os deputados não reeleitos começam a ser aproveitados em cargos estratégicos na estrutura da Casa. É o caso de Ricardo Costa, nomeado superintendente de Comunicação, e Vinícius Labanca, que foi para a Superintendência Parlamentar ontem. A expectativa é que outros deputados sem êxito nas urnas também sejam convocados para funções na Alepe.

Perguntar não ofende: o prefeito de Camaragibe deve ser afastado do cargo? Respostas no (81) 9.9198-0838.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

É o jeito que temos é estocar vento! Dilma Jumenta!

Fernandes

Não há de ficar pedra sobre pedra! GRANDE Dilma Rousseff!

Fernandes

Brasileiro é ladrão. — Vélez Rodríguez Ministro da Educação do Bozoverno. (Colombiano naturalizado brasileiro)

Fernandes

A situação no país é crítica. Até uma candidata a deputada sem nenhuma representatividade na esfera política, por causa do caixa 2 do PSL em Minas, pediu asilo político em Portugal alegando que saiu do Brasil devido ao aliciamento em campanha. Professora aposentada, alega medo dessa gente, sabendo do que elas são capazes, comentou que \"esse povo é perigoso, hoje eu sei que eles são uma quadrilha de bandidos.

Fernandes

O atual ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antônio, sabia do esquema de lavagem de dinheiro e recursos partidários. O intrigante, que a imprensa não noticiou esse fato ou simplesmente deixou para depois da demissão de Babianno.




18/02


2019

Coluna da segunda-feira

Sem crise de consciência

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Chegou a causar estranheza a normalidade com que o prefeito de Camaragibe, Demostenes Meira, mandou áudios de WhatsApp ordenando os “cargos comissionados” da gestão a irem para o bloco de Carnaval onde sua noiva fez um show, ontem – a agremiação do secretário de Educação, por sinal, foi patrocinada pela Prefeitura com dinheiro do povo. Parecendo tratar de uma questão comum da administração, Meira usou um tom de ameaça ao revelar que havia mandado gravar o evento para ver, posteriormente, quem foi. Desde que este colunista divulgou com exclusividade o conteúdo dos áudios, o caso correu todo o Estado gerando muita discussão sobre os limites éticos da relação entre prefeitos e comissionados. E confusão também.

Quem conhece o prefeito de Camaragibe, sabe que ele – digamos – não tem muitos filtros na hora de defender os seus pontos de vista. “Eu sei que tem gente que não gosta de Carnaval; eu também não vivo Carnaval. Mas minha noiva vai cantar, a minha futura esposa, Taty Dantas. E eu quero a presença de todos os cargos comissionados. Vai lá para dar presença. Depois que ela cantar as músicas dela está todo mundo liberado”, disse o gestor, curto e grosso, na primeira mensagem, horas antes de o bloco Canário Baleado, do secretário Denivaldo Freire, começar. Vale salientar que a noiva do prefeito só começou a cantar perto das 18h; e a convocação foi para todos estarem lá às 12h.

No segundo áudio, Meira aumentou o tom da ameaça. “Pessoal, aqui é o prefeito Meira! Quem clicou e ainda não viu a mensagem trate de ouvir a mensagem. Trate de ouvir a mensagem porque eu estou acompanhando de perto quem está clicando, quem está abrindo. Quem está dormindo, quando acordar, clica e escuta a minha mensagem. Quero todos os cargos comissionados no bloco, independente de ser crente, espírita, católico; de não gostar de Carnaval. Vou fazer uma filmagem, vou gravar todos os cargos comissionados que estiverem presentes”, cravou.

A única diferença de Meira para a maioria dos gestores municipais é que ele não faz questão de escancarar esse tipo de prática, tão corriqueira no cotidiano das prefeituras. Com o posicionamento, ele acabou mostrando como pensa uma grande parcela dos que nos governam, misturando o público com o privado sem nenhuma crise de consciência. Utilizando, na realização dos seus caprichos, funcionários que recebem do Município para executar serviços que beneficiem (apenas) a população. Se o Ministério Público não agir de imediato, será conivente e estará autorizando, tacitamente, a continuidade desses desmandos em Camaragibe.

Periquita – Para quem não conhece, a noiva e futura esposa do prefeito de Camaragibe é a cantora Taty Dantas, que aparece em vídeos na Internet cantando músicas a exemplo daquela cujo refrão é: “Quem vai querer a minha periquita, a minha periquita, a minha periquita?”. A canção, da banda Forró de Aço, tem, claro, duplo sentido – Taty a cantou no bloco, ontem. Diz a letra: “Uma águia passou pelo meu quintal/ Num vento forte querendo namorar/ Acho que tá querendo a minha periquita/ Que há muito tempo estou doida para dar”.  

Secretária – A futura primeira-dama, inclusive, foi nomeada secretária de Assistência Social de Camaragibe pelo noivo prefeito. Em sua fala na posse, Taty Dantas demonstrou não conhecer muito sobre as atribuições da pasta. Disse que vai dar o melhor de si para, junto aos vereadores, “regulamentar as novas leis e fazer um Camaragibe melhor”. Oi?! Ela entrou na vaga de Júnior Borralho, filho de Val do Borralho, liderança ligada a Meira, que saiu do grupo atirando depois de o rebento ser preterido.

Cadê os guardas? – Para “fiscalizar” os comissionados no show da noiva, o prefeito de Camaragibe disse que montaria um cordão de isolamento com 30 guardas municipais. E que o restante do efetivo estaria fazendo a segurança do bloco. Dito e feito! Como resultado, começaram a chover denúncias da ausência desses servidores em outros equipamentos públicos da cidade, como o hospital Doutor Aristeu Chaves, que ficou desprotegido. Meira acabou deixando outras áreas da cidade descobertas para prestigiar a amada.

Até o cemitério fechou! – Se financiar com dinheiro público o bloco Canário Baleado, do seu secretário de Educação, já pode trazer muita dor de cabeça para o prefeito Meira, o que dizer do fechamento do cemitério de Camaragibe para que os comissionados que lá trabalham fossem prestigiar a noiva do gestor na agremiação? Pois, parece cena da novela “O Bem Amado”. Mas aconteceu! E quem denunciou esse absurdo foi a internauta Ana Paula Dias Melo, que não conseguiu enterrar a avó, falecida no sábado. É de causar perplexidade mesmo.

CURTAS

FALECIMENTO – Faleceu o ex-secretário de Esportes de Paudalho, Léo Coutinho, aos 37 anos, vítima de uma descarga elétrica, na última sexta-feira. Jovem e bem articulado, Léo, que foi jogador de futebol, tinha um futuro político promissor. A coluna se solidariza com sua família e seus apoiadores.

ÂNIMOS – Ainda sobre a confusão que foi a eleição para a Presidência da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular da Alepe, um leitor atento da coluna relata que alguns deputados experientes trabalharam para apaziguar os ânimos. Foi o caso de Manoel Ferreira, João Paulo e Tony Gel, por exemplo.

ATIRANDO – Muito séria a declaração do quase ex-ministro Gustavo Bebianno, de que teria se arrependido em viabilizar as condições para a eleição de Jair Bolsonaro. Se confirmada a sua saída do governo, Bebianno deve cair atirando – ele conhece como ninguém o Bolsonarismo. A briga pode aumentar ainda mais a primeira grande crise do presidente.  

Perguntar não ofende: Tem Ministério Público em Camaragibe?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Laranjal do Bolsonaro

Todos os milicianos acusados da morte da Marielle presos ou foragidos tem fotos com os Bolsonaros. Estranho, não?

marcos

Boa noite à todos e não se esqueçam Lula tá preso Babaca!

marcos

Queiroz sumiu, será que ele tá escondido no Sítio de Atibaia?

marcos

Será que Bebiano sabe quem mandou matar Celso Daniel?

marcos

Quem é mais Quenga. Gleisi ou Rose?


Bm4 Marketing 2


15/02


2019

Coluna da sexta-feira

Perderam todos

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Com o perdão da palavra, caros leitores, a eleição para a Presidência da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Políticas Públicas da Assembleia Legislativa foi uma cachorrada. Teve de tudo; reviravolta, manobra regimental, troca de acusações entre parlamentares, azedume, desarmonia, xingamento, gente querendo aparecer, confronto velado entre pastores, bate-boca de evangélicos com representantes dos movimentos sociais e confusão, muita confusão. No fim das contas, perderam todos: as lideranças, os deputados, as candidatas, suas claques, e, em última instância, o Poder Legislativo, o mais plural de todos, onde o debate deveria levar ao consenso. Ah, só para registrar, as Juntas ficaram com o cargo.

Nunca antes na história da Alepe uma indicação de um presidente de comissão foi tão conturbada como a de ontem. Regimentalmente, cabe aos líderes do governo e da oposição indicarem os componentes dos colegiados. Já os presidentes são escolhidos por meio de uma composição, sem que haja bate-chapa. Mas uma série de desentendimentos gerou o imbróglio nesse caso. É bem verdade que só em fazer parte de uma comissão já garante ao deputado a justificativa para ele levantar e defender uma bandeira referente ao tema. Não precisa ser presidente para ter palanque, se esse for o objetivo.

O embate e os desdobramentos de Clarissa Tércio contra as Juntas viraram um confronto entre o “sagrado”, representando a bancada evangélica, e o “profano”, dos movimentos sociais e de igualdade de gênero. A disputa foi reduzida a uma briga elementar, como se uma Comissão de Direitos Humanos só tratasse desses temas. Ninguém pensou na Casa, apesar dos discursos. Faltou altruísmo; sobrou egoísmo.

No final, as Juntas levaram por aclamação porque os oposicionistas deixaram a reunião sem votar diante da eminente derrota. Em um arranjo de última hora, Cleiton Collins ficou na vice. E a comissão de onde se esperava o exemplo de respeito à pluralidade social, que deveria acolher diferentes respeitando as suas legítimas divergências, já começou os trabalhos com seus integrantes apequenando a Alepe. Terça que vem tem nova reunião. O que não tem é clima de convivência entre os representantes do povo que ali estarão. Parece até que eles esqueceram o tamanho da sua responsabilidade.

Histórico – Os governistas argumentaram que havia um acordo para as Juntas presidirem o colegiado com um evangélico na vice. A oposição negou, tanto que, no dia da instalação da comissão, Clarissa Tércio reivindicou o cargo, que, segundo ela, estava reservado aos oposicionistas. As Juntas, autointituladas independentes, de fato foram indicadas pelo líder do governo, Isaltino Nascimento. Com duas candidaturas postas, tentou-se um Tertius, o ex-prefeito João Paulo. Mas Clarissa não abriu mão.

Manobra regimental – Na terça, como o placar estava favorável para Clarissa Tércio, Isaltino Nascimento, então, usando uma prerrogativa da função que ocupa, substituiu o Presbítero Adalto na comissão por ele mesmo, o que garantiria a eleição das Juntas, que venceriam por três a dois se houvesse votação. Experiente, o parlamentar fez tudo obedecendo o regimento interno, portanto, dentro da legalidade.

“Tratoragem” – O líder da oposição, Marco Aurélio, tentou, em vão, substituir as codeputadas por alguém declaradamente do seu lado. Revoltado, acusou o presidente Eriberto Medeiros e Isaltino de “tratorarem”. “Esta casa não pode ser uma casa de inverdades. Isso não é jogo jogado; isso é tratoragem”, disparou. Eriberto levou o procurador-geral da Casa para justificar que obedeceu o regimento.

Cobrança – Com a eleição perdida, Clarissa Tércio foi para cima das Juntas. “Quando o senhor (Isaltino) afirma que houve um acordo (pró-Juntas), o senhor está me chamando de mentirosa. No dia da minha posse, recebi um regimento. Se elas não são oposição e nem é da base, a candidatura é ilegítima. Isaltino diz que há diálogo, mas não há. Manobra terrível mostrando mais uma vez apadrinhamento. Jô, se declare. Eu sou uma candidata legítima”, bateu. Em resposta, Jô, representante das Juntas, afirmou que elas são “independentes e oposição”. Oi?!

CURTAS

DIVIDIDO – Presidindo os trabalhos da comissão até que o novo presidente fosse escolhido, Cleiton Collins ficou entre a cruz e a espada (quase que literalmente). Atordoado, o parlamentar recebeu muita pressão durante as duas reuniões. Acabou dividido entre a bancada evangélica, da qual faz parte, e a liderança do governo. Sua esposa, a vereadora Michele Collins, desempenhou o papel de guarda costas do marido. Não saiu de junto!

TEATRO MAL FEITO – Os dois lados levaram claques para a reunião do colegiado, que quase foram às tapas no intervalo. Era militante LGBTQIA com cartaz cheio de frases de efeito batendo boca com evangélico de paletó e gravata segurando a bíblia. Olhe... Teatro mal feito, com muita gritaria e desrespeito vindos dois lados. Um péssimo exemplo foi dado. Faltou foi maturidade política.

BASTIDORES – A confusão comendo no centro e Romário Dias contando piada. Pelo menos fez com que todos se desarmassem um pouco. Já Manoel Ferreira disse achar que foi a Imprensa quem fez toda a confusão. Será? Impedido de votar, o Presbítero Adalto, que retornará à comissão, fez questão de declarar-se do lado de Clarissa Tércio.

Perguntar não ofende: Vocês acharam justo o resultado da eleição para presidente da Comissão de Direitos Humanos? Respostas no (81) 9.9198-0838 e no Instagram @arthurhbcunha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Laranjal do Bolsonaro

Se eu fosse o Bebiano,sairia do país c/toda minha família e lá fora, gravava um vídeo contando tds os podres dos bozos e mandava.

marcos

Esse pessoal que usa Fundo de Campanha é todo Bandido. Vamos lá, eleições de 2018 ........... Maria de Lurdes Paixão R$ 400 mil. ....... Lindbergh Farias - R$ 2,6 Milhões ......Dilma Jumenta R$ 4,1 Milhões - Romero Jucá - R$ 2,25 Milhões Vanessa Graziotim R$ 2 Milhões e o cotó presidiário sem poder ser candidato gastou R$ 20 Milhões! Agora é só Bebiano e Bivar?

marcos

Ainda bem que o Nosso Mito é Limpo. Os mortadelas comunas focam Arretados.

marcos

Boa tarde povo Brasileiro. Lula tá preso, tá. OH Glória.

Laranjal do Bolsonaro

Cadê Maria de Lourdes Paixão? Será que está com o Queiroz? Ou será que tá com o Adélio Bispo?




14/02


2019

Coluna da quinta-feira

O Monte Olimpo dos semideuses do serviço público

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Na mitologia grega, o Monte Olimpo era descrito como a morada dos principais deuses. Os gregos imaginaram o lugar como uma mansão de cristais, onde esses deuses, entre eles Zeus, habitavam. Na crônica política brasileira, o Monte Olimpo é personificado no arquétipo de um Poder: o Judiciário. Lá, a grande maioria dos semideuses do serviço público vive a sua vida profissional desfrutando de muito luxo e regalias. E o pior: abalizados pela lei. Juízes e desembargadores, notadamente, formam essa casta de iluminados que incorporam às suas aposentadorias boa parte dos proventos referentes a benefícios e auxílios, como o da moradia, o que engorda - e muito! – seus rendimentos, mesmo quando deixam a ativa. Vale aqui a velha ressalva de que não estou falando da totalidade, mas da esmagadora maioria.

O Conselho Nacional de Justiça aprovou, no final de 2018, o auxílio-moradia de até R$ 4.377,73, por meio de ressarcimento, para magistrados brasileiros que “preencham” uma série de requisitos estabelecidos por quem? Pelo próprio CNJ, sujeito ao lobby ultra eficiente do Judiciário, o mais corporativista dos poderes. A manobra foi orquestrada para compensar os pobres juízes depois de o ministro Luiz Fux, do STF, revogar liminares que validavam o penduricalho desde 2014. Em Pernambuco, o Tribunal de Justiça não deixa claro em seu site quanto ganha um juiz de Direito. Falta transparência! Nos bastidores, comenta-se que chega a aproximadamente R$ 28 mil brutos. Dinheiro que eles levam quase que totalmente para as suas aposentadorias.

Essa farra dos penduricalhos tem uma conta, meus caros, que incide no orçamento dos tribunais de Justiça. Os custos do Judiciário são pagos pelos recursos do Duodécimo, que é, em última instância, o que os Estados repassam, mensalmente, aos TJs obedecendo a Constituição. Não tem nada de errado nisso. O problema é que, quando suas excelências, os presidentes dos tribunais, acham essa grana é pouca, elas tratam de fazer pressão nos governadores cobrando aumento dos repasses. E como não há almoço grátis, meus amigos, a conta, no final das contas, fica exatamente com quem você pensou: eu e você, inclusive, se você for servidor público. A reforma da Previdência precisa rever esse regime de aposentadoria.

Como bem alertou um leitor da coluna, que, aliás, é servidor público: “é preciso cortar na carne”. Pena que muitos não pensam como ele. Mas há os que pensam, no privado também, como esse que vos escreve. Somos nós que precisamos fomentar esse debate. Ninguém é contra que se ganhe bem no serviço público. Acho até que servidor público deve ganhar um bom salário, para evitar qualquer tentação de se corromper. Agora, quanto à regalia e penduricalho, eu sou contra, na ativa e na aposentadoria.

Haja confusão – A eleição para a Presidência da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas da Alepe virou de vez uma grande confusão. O dia de ontem foi todo marcado por reviravoltas. Primeiro, o líder do governo, utilizando uma prerrogativa que lhe cabe no regimento, substituiu um membro votante do colegiado com o objeto de ajudar na eleição das Juntas. Saiu Adalto Santos, que votaria em Clarissa Tércio, e entrou o próprio Isaltino Nascimento, cuja preferência é pelas codeputadas. As parlamentares brigam há mais de uma semana pelo comando do colegiado.

Haja confusão 2 – Diante desse movimento, o líder da oposição, Marco Aurélio, encaminhou ofício à Presidência da Casa pedindo a substituição das Juntas por William Brígido – tudo regimentalmente permitido. Com a ida para a suplência, as codeputadas não poderiam presidir a Comissão de Direitos Humanos. A questão é que, segundo Marco Aurélio, seu ofício não foi aceito, o que acabou inviabilizando a troca. Ou seja, a eleição para o comando do colegiado acontecerá hoje de manhã, após o Plenário, com um cenário favorável à eleição das Juntas. A confusão, como vimos, está longe de acabar.

Plano Diretor – O presidente da Câmara de Vereadores do Recife, Eduardo Marques, fez questão de participar pessoalmente, ontem, da instalação da comissão especial que vai avaliar a reforma do Plano Diretor da cidade - um assunto muito delicado na Casa por anos. Para o parlamentar, a pauta é a mais importante que a capital pernambucana já teve nesta década. Rodrigo Coutinho será o presidente, Ivan Moraes o vice, e Aerto Luna, o relator.

Chuva castigando – As chuvas neste início de ano estão castigando muito Pernambuco, sobretudo, as cidades da Mata Norte. De acordo com a Apac, são da região os três municípios onde mais choveu nas últimas 24 horas: Condado (113,57 mm), Itambé (106,21 mm) e Aliança (76,8 mm). O dia ontem foi de muita água também na Mata Sul, Agreste e Região Metropolitana do Recife. A agência, por sinal, teve o nome da sua nova diretora, Silvana Montenegro, aprovado pela CCJ da Alepe, conforme determinação legal.

CURTAS

UNIÃO – Os parlamentares pernambucanos mostraram que estão juntos na luta municipalista, e atenderam ao chamado do presidente da Amupe, José Patriota, prestigiando o café da manhã promovido pela CNM, ontem, em Brasília. À tarde, Patriota integrou a comissão que integrou as pautas do Municipalismo ao ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil.

MORO x FBC – A Imprensa nacional noticiou um eventual veto do ministro Sérgio Moro (Justiça) ao nome do senador Fernando Bezerra Coelho para a liderança do governo no Congresso. A questão é saber se Moro realmente vai ter força de para barrar FBC no cargo. O ex-juiz esteve durante muito tempo envolvido na Lava Jato, que investigou o pernambucano.

DEVOLVA MEU SOM – Os gestores de Santa Terezinha, no Sertão, devem estar sem ter o que fazer mesmo. Um imbróglio político na cidade se estabeleceu porque o atual vice-prefeito, José Adarivan, não estaria querendo devolver duas caixas de som da Câmara Municipal, emprestadas quando ele era vereador. A cidade não deve ter problema nenhum para resolver, pelo visto. E o povo, ó...

Perguntar não ofende: Bebianno aguenta até quando?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Laranjal do Bolsonaro

Humilhado publicamente pelo vereador Carlos Bolsonaro e pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, o ministro Gustavo Bebianno mandou um recado direto aos que defendem sua demissão por conta do escândalo de candidaturas laranjas do PSL; \"Eu posso cair. Caso isso aconteça, Bolsonaro cai junto!\", disse Bebianno a um jornalista

Laranjal do Bolsonaro

SE EU CAIR, BOLSONARO CAI JUNTO”, DISSE BEBIANNO A JORNALISTA.

Laranjal do Bolsonaro

Boechat tinha relatado sobre o desvio de mais de 200 milhões de Reais da família Bolsonaro. Essa família do Bozo tá com tudo e não tá prosa.

marcos

E o mito continua Limpo, chora Prezada Corrupta!

marcos

Atenção todos: Dia 07/04 tem aniversário de hum ano em Curitiba, vamos reservar as passagens com antecedência para evitar balbúrdia!




13/02


2019

Coluna da quarta-feira

Sagrado x Profano

Por Arthur Cunha – especial para o blog

O imbróglio que virou a escolha da nova presidente da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular da Assembleia Legislativa é um reflexo da sociedade; um microcosmo das redes sociais. O debate foi reduzido ao “Sagrado” versus o “Profano”. Virou elementar demais para o tamanho de um Parlamento estadual. De um lado, Clarissa Tércio representando a bancada evangélica, o discurso e a temática que esse segmento defende. Do outro, as codeputadas Juntas, vindas do movimento social, empunhando a bandeira LGBTQIA, a igualdade de gêneros e outras pautas. Ou seja, ideologicamente, os dois opostos. O que seria um excelente argumento para o bom debate, que é da natureza do Legislativo, contudo, virou uma briga de menino birrento sem ninguém ceder. Se prolongado, o impasse pode apequenar a Alepe frente aos desafios que o colegiado em questão e a própria Casa têm pela frente. 

Um acordo entre as lideranças de governo e oposição, praxe regimental na composição das comissões, acabou não sendo cumprido na instalação da de Direitos Humanos, ontem. Pelo acertado, as Juntas presidiriam o colegiado com um deputado da bancada evangélica na vice. Clarissa, então, reivindicou a Presidência com a justificativa de que as colegas são independentes do ponto de vista político e não pertencem à oposição. Como a vaga estava reservada a um parlamentar oposicionista, ela decidiu concorrer com o aval da sua bancada. A reunião, que estava lotada com claques dos dois lados, foi muito tensa, e, por pouco, não acabou em bate-boca. O desconforto nos semblantes dos parlamentares era visível. 

Depois das tentativas frustradas frente às câmeras de se alcançar um consenso, os deputados resolveram jogar para a amanhã, às 11h30, a escolha. Até lá, vão tentar chegar a um denominador comum. Uma das sugestões era a opção por um tertius; no caso, o deputado João Paulo, que, apesar de ter a experiência de uma vida pública extensa, é do governo. Durante a sessão, o ex-prefeito fez discurso, pediu que os colegas pensassem no drama de milhares de pessoas que precisam do trabalho da comissão e também na Casa. Em vão; nem as Juntas e nem Clarissa retrocederam.

À tarde, como este colunista noticiou com exclusividade, correu nos bastidores uma versão de que, na verdade, o movimento de Clarissa seria o pano de fundo de uma disputa entre dois pastores fortes no estado: o pai da deputada, Francisco Tércio, da Novas de Paz; e o Pastor Ailton José, da poderosa Assembleia de Deus Convenção Recife. Clarissa e Francisco Tércio são aliados dos irmãos Ferreira. Esses, por sua vez, teriam brigado com Ailton, que tem no seu time os deputados Cleiton Collins e Presbítero Adalto. O embate, então, seria por espaço e visibilidade. Se a versão realmente se comprovar, o problema é ainda maior porque uma briga de cunho político-religioso estaria contaminando o Parlamento. E as Juntas, que não têm nada a ver, estariam sendo usadas nessa “Guerra Santa”.

Alternativas – Apesar dos apelos dos colegas, nem as Juntas e nem Clarissa Tércio devem abrir mão de bater chapa pela Presidência da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular da Alepe. Uma das opções, nesse caso, seria que o escolhido saísse dos três outros integrantes do colegiado: João Paulo, Cleiton Collins ou Presbítero Adalto. Como Collins e Adalto são de um segmento evangélico contrário ao de Clarissa, e João não foi aceito de imediato, outra alternativa seria a liderança do governo trocar um dos nomes da bancada por outro deputado que viesse a ser o eleito.  

Habilidade – A sessão plenária na Alepe pegava fogo, ontem, com Wanderson Florêncio discursando na Tribuna e um grupo de populares da Brasília Teimosa vaiando o parlamentar das galerias, gritando por acesso à moradia. Após o deputado terminar a fala, os protestantes continuaram fazendo barulho, o que motivou a interrupção da reunião por alguns minutos. Foi quando João Paulo, habilidoso que só ele, subiu às galerias, e, em cinco minutos de conversa, desarmou a turma toda. E ainda saiu aplaudido.

Levitação – Por falar em João Paulo, quem o viu conversar com o deputado Tony Gel, ontem, no Buraco Frio, sobre meditação, teve a certeza que os dois ex-prefeitos são especialistas no assunto – também, para aguentar as broncas do Recife e de Caruaru só sendo zen mesmo. Tony falou sobre a sua experiência com a prática, citando uma visita à Índia, quando João Paulo perguntou se o colega já tinha levitado. Diante da negativa do parlamentar, o comunista, então, contou suas vivências com a levitação. Pense que são duas figuras!

Posse – Também na sessão de ontem, o deputado estadual Diogo Moraes tomou posse para seu novo mandato. O socialista, em discurso emocionado, explicou que voltará a se afastar por um tempo para tratar da saúde. A coluna deseja toda sorte ao parlamentar e torce para que ele se reestabeleça o quanto antes. Diogo, que foi escolhido líder do PSB na Assembleia, esteve com o governador Paulo Câmara pela manhã, no Palácio do Campo das Princesas.

CURTAS

EXCELENTE NOME – Excelente escolha a do governador pelo ex-deputado Zé Maurício para a Secretaria Executiva de Relações Institucionais da Casa Civil. Muito querido entre os deputados, Zé é uma unanimidade na Casa; tem trânsito livre entre os parlamentares e vai poder ajudar muito o governo na nova função.

MEIO AMBIENTE – Estreante na Câmara do Recife, o vereador e ex-prefeito João da Costa é cotado para presidir a Comissão de Meio Ambiente da Casa de José Mariano. O colegiado – que terá papel fundamental na discussão de projetos importantes da cidade, a exemplo do novo Plano Diretor – ainda é formado por Augusto Carreras, Goretti Queiroz e Ricardo Cruz.

LARANJAS DO PSL – Mesmo no hospital se recuperando de uma cirurgia, o presidente Jair Bolsonaro responsabilizou o ministro Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral da Presidência) pela já denominada crise dos Laranjas do PSL – o auxiliar comandava o partido durante a campanha. Aliados de Bolsonaro já querem a cabeça de Bebianno como uma forma de estancar a sangria. E Luciano Bivar?

Perguntar não ofende: Quem é a sua preferida para a Comissão de Direitos Humanos da Alepe: as Juntas ou Clárissa Tércio? Resposta pelo WhatsApp Cidadão da Coluna: (81) 99198-0838.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Laranjal do Bolsonaro

Boechat tinha relatado sobre o desvio de mais de 200 milhões de Reais da família Bolsonaro. Essa família do Bozo tá com tudo e não tá prosa.

Laranjal do Bolsonaro

Carlucho: Bebiano é um mentiroso! Bebiano: Não vou me demitir! J. Hasseelmann: Carlucho quer gerar crise! Mourão: O PSL que se explique! Frota: Quero Queiroz na cadeia!

marcos

Mas afinal, quem mandou matar Celso Daniel?

Laranjal do Bolsonaro

O Exército brasileiro virou um puxadinho das Forças Armadas dos EUA.

Laranjal do Bolsonaro

Conselho útil: Quando você for perseguido por um burrominion, se esconda numa biblioteca, ele jamais entrará ali!




11/02


2019

Coluna da terça-feira

Pelo debate

Por Arthur Cunha – especial para o blog

A principal razão de existir desta coluna é provocar o debate. Eu escrevo todo dia para colocar o dedo na ferida, abrir caixas-pretas e jogar luz no que está nas sombras. Não quero, de forma alguma, ser unanimidade. Nem poderia; meu papel aqui é o de ser inconveniente. Quero é incomodar mesmo; fazer jornalismo político sério. Este espaço é, sobretudo, opinativo. O que se publica é o resumo das minhas convicções, do que apuro, leio, ouço, vejo e vivo na minha vida profissional.

Ontem, defendi o fim da aposentaria integral para o que chamei de “semideuses do serviço público”. Muita gente concordou; alguns servidores públicos, contudo, não. O debate nos grupos de WhatsApp que participo foi quente. Fui elogiado, criticado, encorajado – até de amargurado me chamaram. Faz parte. Li e respondi todas as avaliações. Apesar de não concordar com algumas poucas, respeito todas. E as quero ouvir sempre.

Mas abro mão de preservar amizades se o preço for me calar ou fazer vista grossa. Por isso, vou estender para a coluna de hoje o debate sobre o fim dos privilégios para servidores públicos – sejam eles concursados, comissionados ou eleitos. Essa pauta está na ordem do dia e “gera engajamento”, para usar um termo da moda. De antemão, já deixou claro que continuo sem concordar com aposentaria integral para qualquer categoria. E acho muito válida a sinalização do novo governo de debater a real necessidade de, por exemplo, um juiz de Direito incorporar, na aposentadoria, os penduricalhos do seu salário na ativa.

Em contraponto, tenho absoluta convicção de que, por terem um tipo de trabalho específico, militares, policiais e trabalhadores rurais têm de ser tratados de forma diferente dos que trabalham em escritórios ou em sala de aula. Antes que alguém grite: eu falei diferente e não com privilégios. O tempo de contribuição de um policial deve ser menor que o de um administrador. Não pelo policial ser melhor que administrador; mas pela natureza dos trabalhos, que são distintos. Isso ainda vale para um professor, cujo esforço físico também é enorme ao longo da carreira. Não dá medir com a mesma régua os diferentes. Feita essa pontuação, continuo – e repito! – contrário à manutenção da aposentadoria integral para qualquer carreira. E reafirmo minha crítica a quem entra no serviço público para se servir dele; e não para servir ao povo. São marajás, sim. E isso tem de acabar. 

“Você sabe quanto desconta no meu contracheque todo mês?”, me questionou um servidor público em um grupo de WhatsApp, se esquecendo (ou não) que os tributos pagos por ele são exorbitantes, também, para quem trabalha no setor privado. Servidores públicos, funcionários e donos de empresas no Brasil pagam muitos impostos. Todos somos vítimas de um Estado (no sentido amplo da palavra) craque em arrecadar e ineficiente em realizar. Não vejo outra saída para solucionar esse absurdo que não uma reforma Tributária de verdade. Friso, para terminar, que tem gente decente em todo lugar. Ainda assim, gente decente não pode ter direito a privilégios, nem no público e nem no privado. A coletividade deve vir em primeiro lugar.

Ponderação – Já outro servidor de carreira me abordou para falar sobre a coluna. Na nossa conversa, ele me disse observar a existência de uma “corte” no serviço público com “privilégios em diversos níveis”. É justamente contra essa “corte” que me posiciono e luto. E tenho certeza que os que me abordaram no WhatsApp também. Para não ficar só no Judiciário, tenho uma visão de que parlamentar não deve tá receber aposentadoria. Político de carreira, apesar de existir aos montes, não deve ser profissão.

Bolsominion? – “Por isso lhe chamei de hipócrita”, disse outro (esse não é servidor público) porque elogiei a suposta disposição do novo governo de rever privilégios dos semideuses do serviço público na proposta de reforma previdenciária. Como se eu devesse só criticar ou só elogiar Bolsonaro. Graças a Deus (ou a Alá) que esse mundo não é uma dicotomia entre certo ou errado. Meu amigo, eu quero é ver esse Brasil bem, a economia crescendo, a sociedade se desenvolvendo; mais oportunidades, igualdade. Pouco me importa o partido ou ideologia que nos proporcione isso.

Só problema – Com pouco problema para resolver, convalescendo em um hospital, Jair Bolsonaro ganhou mais um imbróglio para administrar. Trata-se da doação de singelos R$ 400 mil para uma candidata à Câmara com apenas 274 votos em Pernambuco. Alguém conhece a ilustre senhora Maria de Lourdes Paixão? A oposição, lógico, acusou a legenda, presidida pelo pernambucano Luciano Bivar, de lavagem de dinheiro. Bivar, por sinal, ainda deu a infeliz declaração de que política não seria lugar para mulheres.

 

Viva Boechat! – Foi escrevendo esta coluna, falando da minha opção por fazer Jornalismo, que recebi a triste notícia da morte de Ricardo Boechat, um verdadeiro gigante da nossa profissão, vítima de um acidente de helicóptero. Boechat é uma das minhas maiores referências. Nunca perdeu a alma de repórter. Era talentoso, combativo, multifacetado, “furão” - um dos precursores da coluna neste formato que vocês estão lendo. Admirei ainda mais Boechat quando ele veio a público falar da sua luta contra a Depressão. Em tempos de uma crise sem precedentes na Imprensa brasileira, perde muito, mas muito mesmo, o Jornalismo.

CURTAS

DIREITOS... – Ficou para hoje a decisão sobre quem vai presidir a Comissão de Direitos Humanos da Alepe. O acordo era para o posto ficar com as Juntas, mas a bancada evangélica quer Cleiton Collins. A reunião de instalação do colegiado será às 11h, quando o deputado e as codeputadas podem protagonizar o primeiro dos seus grandes embates desta Legislatura. Em tese, pelo perfil dos parlamentares da comissão, Collins teria mais votos em uma disputa.

... HUMANOS – Sem concorrência aparente, a esposa de Cleiton, a não menos polêmica Michele Collins, foi reconduzida à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara Municipal do Recife. Ela ficará à frente do colegiado pelo próximo biênio. Segundo a vereadora, 80% dos projetos de lei da Casa passam pela comissão. Lá, Ivan Moraes, o equivalente das Juntas, ficou apenas como vice-presidente. 

BIPOLAR – O PSC da Assembleia Legislativa é um partido, digamos, bipolar. Dos cinco deputados da bancada, três são governistas (Antônio Fernando, Guilherme Uchoa Júnior e Wanderson Florêncio); e dois são da oposição (Clarissa Tércio e Manoel Ferreira). Ontem, Clarissa subiu à tribuna para criticar o governo. Já Wanderson fez um aparte no discurso da correligionária defendendo. Fiquei sem entender.

Pergunta não ofende: Vou pedir licença aos leitores para, ao invés de perguntar, afirmar neste espaço que, sim, 2019 já pode acabar!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

08:20 Boechat diz que a corrupção no PSL é de fazer inveja a qualquer outro grupo, meio-dia o helicóptero cai e ele morre...Estranho, não?:

marcos

Qual governo mais Corrupto, Lula ou Dilma Jumenta?

marcos

Quem é mais louca, Dalmares ou Dilma Jumenta?

marcos

Jean Wyllys vem ao Brasil ( Curitiba) a cada dois meses para fazer visita intima a Lula. Fonte: blog 247.

marcos

Falando em Laranja quem é mais rico, Queiroz ( Flávio) ou Jonas Suassuna ( Lula)?




10/02


2019

Coluna da segunda-feira

Pelo fim da aposentadoria integral no serviço público

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Um dos maiores legados que a reforma da Previdência pode deixar para Brasil do presente e do futuro é a revisão da aposentadoria integral dos semideuses do serviço público. Vou tratar como “semideuses do serviço público” aquelas pessoas que dedicam boa parte de suas vidas estudando para passar em um concurso (olha o nome) público; para, depois do êxito, só pensarem nelas mesmas. Essas mentes, muitas delas brilhantes, poderiam ser direcionadas ao empreendedorismo na busca por soluções para os grandes problemas do país, melhorando a vida do coletivo. No entanto, preferem o egoísmo do próprio umbigo. E mais: acham que nós, os “mortais”, é que temos de bancar seus luxos eternamente.

Superministro da Economia, Paulo Guedes tem sinalizado que a reforma a ser proposta pelo novo governo vai abolir esses privilégios, incluindo até os intocáveis militares, o que já está gerando uma grita dentro e fora do Planalto. Guedes não é bobo. Com o movimento, traz para o seu lado a maior parte da opinião pública. Mas, para além da esperteza, a equipe econômica de Bolsonaro aparenta mesmo é estar usando do bom senso nessa questão. É pura matemática. A conta, simplesmente, não fecha. Ter uma aposentadoria alta, sem preocupações, é o desejo de todos nós, vale ressaltar. O que não dá para aceitar é essa excrecência que se torno a aposentadoria integral no serviço público.

Volto a dizer: ninguém aqui é contra se ganhar bem, desde que a imensa maioria seja beneficiada. E não, apenas, uma casta de iluminados. Uma estatal no Brasil – seja ela da esfera federal, estadual ou mesmo municipal – serve mais aos seus funcionários do que ao povo, motivo de sua existência. É supersalário, penduricalho disso, adicional daquilo; auxílio não sei das quantas. E quando a estatal dá prejuízo, como tem um monte no Brasil, quem paga a conta é o Tesouro, ou seja, eu e você que está lendo a coluna agora.

Em qualquer país que se preze, o lugar de se ganhar dinheiro – se esse for o objetivo – é no setor privado, oferecendo produtos e serviços diferenciados, resolutivos, sustentáveis. E não no serviço público, cada dia mais inchado e sem entregar o mínimo que dele se espera. Alheios aos mortais, os semideuses do serviço público estão lá no seu Olimpo, míopes, sem o mínimo de empatia para com o próximo. Chegou a hora dessa turma levar um choque de realidade. O Brasil de verdade está no fundo do poço; agonizando em um corredor de hospital público. Não tolera mais sustentar marajá! Essa boquinha vai acabar!

Privatizações – A miopia dos semideuses do serviço público, que só pensam em si, são corporativistas e arrogantes, é um dos principais argumentos do supreministro da Economia, Paulo Guedes, na defesa da privatização de estatais. Guedes está batendo de frente com os militares, estatistas por natureza, que criaram a maioria das empresas que aí estão. O debate, nesse caso, tem de ser amplo e sem hipocrisia. Eliminar gorduras é extremamente necessário. Mas isso não pode ser usado como pretexto para o Estado brasileiro transferir ao setor privado sua responsabilidade.

Inchaço – O fato é que o Tesouro brasileiro não aguenta mais arcar com tanto gasto. Um dado assustador reforça essa preocupação. Nos 13 anos em que dominou o Governo Federal, o PT criou nada menos que 41 empresas públicas, que pagaram, nesse período, R$ 5,5 bilhões em salários, segundo levantamento do jornal Valor. E advinha quem bancou esses cabides de emprego para os petistas e seus aliados? Pois é: eu e vocês, meus amigos.        

Dudu Bolsonarista – Parece que o senador Fernando Bezerra Coelho, cotado para líder do governo no Congresso, terá concorrência na disputa por ser o representante do Bolsonarismo em Pernambuco. Quem entrou na fila também foi o deputado federal Eduardo da Fonte. Sua assessoria distribuiu release informando que Dudu fez a “primeira grande entrega da gestão de Jair Bolsonaro a municípios pernambucanos”, se referindo a 15 tratores e grades aradoras entregues às associações comunitárias pela Codevasf. A ação aconteceu no sábado, em Ibimirim.

Interiorização do turismo – Muito positivo esse movimento de interiorização do Turismo em Pernambuco, capitaneado pelo novo secretário da área, Rodrigo Novaes, que tem raízes sertanejas. Ontem, Rodrigo abriu a temporada do Carnaval 2019 com uma ação promocional que comemorou o centenário do boneco gigante de Zé Pereira, em Belém do São Francisco, no Sertão de Itaparica, sua terra natal. O município, aliás, integra uma região de muitas potencialidades turísticas. A interiorização será a principal bandeira defendida pelo secretário à frente da pasta.

CURTAS

PAUTA MUNICIPALISTA – O presidente da Amupe e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, estará em Brasília, amanhã, para reunião na CNM. Na ordem do dia, as pautas municipalistas que serão debatidas com o novo governo. Acompanham Patriota no encontro pare da diretoria reeleita com ele, da qual fazem parte a vice-presidente Ana Célia (Surubim), o tesoureiro João Batista (Triunfo) e a secretária da Mulher, Débora Almeida (São Bento do Una).

MULHERES NA POLÍTICA – Boa surpresa deste início de Legislatura, a bancada feminina da Assembleia Legislativa se reuniu para um almoço de confraternização. A ideia é afinar a atuação delas com temas relacionados à participação da mulher da política, por exemplo. Quem puxou o debate foi Roberta Arraes, que está no seu segundo mandato. A coluna apoia totalmente a iniciativa e deseja sorte às deputadas.

FILIAÇÕES – A Executiva Nacional do PR realizou encontro com todos os presidentes estaduais, em Brasília, para definir as estratégias visando o pleito municipal de 2020. Os dirigentes colocaram como meta filiar nomes competitivos. “Várias lideranças se identificam com o nosso projeto e vamos trazê-las para os nossos quadros”, adiantou o presidente em Pernambuco e prefeito do Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira.

Perguntar não ofende: Moro terá êxito na aprovação da Lei Anticrime?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O laranja fez a família de corruptos chorar! Estão segurando Queiroz, com medo de uma delação, pois aí a família inteira iria enxugar as lagrimas na bandeira nacional.

Fernandes

Cassação de Flávio Bolsonaro. O Brasil pede justiça e ética. 47.070 pessoas já assinaram. Ajude a chegar a 50.000.

Fernandes

Depois que Bolsonaro ganhou só tragédias. Será que esses acontecimentos apontam uma relação?

marcos

Perda irreparável a do jornalista Ricardo Boechart, o Brasil está de luto. Descanse em paz.

marcos

Quem deve ser preso primeiro, Queiroz. Flávio. Gleisi ou Dilma?




07/02


2019

Coluna da sexta-feira

Ocupando o espaço

Por Arthur Cunha – especial para o blog

A possível indicação do senador Fernando Bezerra Coelho para a liderança do Governo no Congresso Nacional é o que falta para consolidar a aproximação do emedebista com Jair Bolsonaro, movimento que, dizem, está na mira de FBC desde que o atual presidente ganhou a eleição. Para além da tarefa de melhorar a interlocução entre Senado e Câmara, FBC vai usar o cargo, e a natural proximidade com o presidente que dele deriva, para ocupar um espaço vago em Pernambuco: o de representante do Bolsonarismo.

Desejado por muitos aqui nessas bandas, o posto está vago; menos pela falta de pretendentes, mais pela dimensão necessária para envergar tal posição em tempos de alta. Armando Monteiro não quis, motivo pelo qual os entendidos avaliam que ele não subiu nas pesquisas. Mendonça Filho parecia que seria o agraciado. Chegou a surfar na onda e ganhar votos para senador depois que declarou apoio ao então candidato. Os mesmos estudiosos argumentam que, se ele tivesse feito o movimento antes, poderia ter ultrapassado Jarbas Vasconcelos na corrida. Depois do pleito, contudo, nada veio para o ex-ministro.

Derrotado para o Senado a exemplo do colega de chapa, Bruno Araújo foi outro que ensaiou cair nas graças do Bolsonarismo, o que acabou por não se concretizar. Os deputados federais André de Paula, Silvio Costa Filho e Fernando Rodolfo também já acenaram para o mandatário, ainda que de forma sútil; afinal, ninguém sabe se Bolsonaro vai vingar. O presidente está prestes a enfrentar a sua primeira guerra no cargo, quando tentará aprovar a reforma previdenciária em um Congresso renovado, com muita gente querendo aparecer, e sem a garantia de que o texto será o ideal.

Pois é justamente nessa brecha que Fernando Bezerra Coelho pode entrar, ajudando a tropa de choque do governo na aprovação da reforma. Se ele ganha a simpatia do presidente já pode correr para o abraço. Habilidade para tal não lhe falta. Ele foi de Dilma para Temer em um piscar de olhos. Aproveitou um cochilo do PSB nacional e fez o filho ministro de Minas e Energia. Este jogo não é para iniciantes. FBC está aí, olhando o cavalo passar selado. Não tenham dúvidas, amigos: ele vai pular!

Petrolina no cálculo – O cálculo político do senador Fernando Bezerra Coelho passa ainda pela reeleição do filho Miguel, em Petrolina, ano que vem. Pela primeira vez a cidade terá segundo turno. E FBC não quer correr riscos de perder a disputa. Para isso, precisa ajudar o prefeito a manter o alto nível de investimentos que fazem a gestão dar resultado e ser bem avaliada. Pragmático, o senador também está de olho no comando da Codevasf. Quem é do São Francisco sabe que o órgão tem mais força política e capacidade de realização que muita prefeitura.

Lucas no páreo – No terceiro dia da nova Legislatura da Alepe, Lucas Ramos já mostrou serviço e conseguiu aprovar a criação da Frente Parlamentar em Defesa do Rio São Francisco. Além de discutir os riscos ambientais que o Velho Chico corre por conta do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, o socialista terá a chance de marcar território em Petrolina, seu reduto eleitoral. Lucas quer fortalecer sua liderança na maior cidade do Sertão para se tornar "indicação natural" do partido na disputa pela prefeitura do município.

Lossio e Odacy também – Outro que também deve ir para a disputa é o ex-prefeito Julio Lossio, cuja certidão de filiação ao PSD saiu ontem. Lossio preside o partido de André de Paula na cidade – o diretório municipal é composto por seus aliados. Com a legenda garantida, Lossio vai para o embate. Assim como o presidente do Ipa, Odacy Amorim, que, hoje, representa o governador na cidade. Odacy tem disposição para entrar na disputa.

Afinados – O eterno presidenciável Ciro Gomes não esconde de ninguém a admiração que nutre pelo deputado federal Túlio Gadelha, como vimos em uma sequência de fotos postadas no Instagram do cearense. Túlio teve papel de destaque na campanha de Ciro. Ciro terá papel de destaque no mandato de Túlio. Os dois são afinados no discurso e nas ideias. É possível, também, que Ciro estimule Túlio a disputar a Prefeitura do Recife no ano que vem, já com o olhar em 2022.

CURTAS

VICE-LIDERANÇA – Como este blog antecipou, o deputado estadual Sivaldo Albino chega à Alepe com uma tarefa importante: será vice-líder do Governo Paulo Câmara na Casa. O parlamentar combativo, que tem a experiência Legislativa de já ter sido vereador em sua cidade, Garanhuns, também integrará como titular duas comissões: Finanças, Orçamento e Tributação; e Ciência, Tecnologia e Informática.

PRONUNCIAMENTOS – Muito aguardado, o primeiro pronunciamento da deputada-sensação Gleide Ângelo na tribuna da Alepe aconteceu ontem. A parlamentar agradeceu os mais de 412 mil votos e destacou a sua bandeira de luta conta o Feminicídio. Também chegando à Casa, Wanderson Florêncio rememorou sua trajetória política e comentou sua primeira ação. O deputado distribuiu, em um sinal de trânsito do Recife, panfletos com seu número de WhatsApp para quem quiser sugerir algo.

COM DIGNIDADE – Tomara que os senadores, que têm feito questão de depreciar a Casa Alta criando muita confusão, tenham um pouco de bom senso nessa CPI de Brumadinho, que será instalado na próxima terça-feira. Que os culpados sejam exemplarmente punidos, e que suas excelências, os senadores, façam seu trabalho com dignidade.

Perguntar não ofende: a família Bolsonaro está escondendo algo sobre a saúde do presidente?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Vidente diz se Bolsonaro vai morrer e revela que Brasil terá novo presidente. Vidente diz se Bolsonaro vai morrer e revela que Brasil terá novo presidente. O búzio normalmente quando caí fora [do tabuleiro], nos sinaliza risco de morte. Ele aqui não me determina a morte em si, mas apenas o risco”, disse o vidente baiano.

marcos

Segundo o vidente Toninho de Camaragibe, se Lula for condenado em todos os processos que responde vai Reencarnar na Cadeia. kkkkkk

Fernandes

MOURÃO PREPARA O GOLPE FILHOS DO BOZO PEDEM SOCORRO UAI NÃO FOI DIVERTIDO DAR GOLPE NA DILMA? PEDE PARA USTRA! SUCESSO MOURÃO.

Fernandes

Lula tá preso, diz o Bolsominion. Claro! ou vc pensa que com Lula livre teriam conseguido colocar um idiota desses poder.

Fernandes

Irônico é ter um governo, cujo lema é. Deus acima de todos. E vê-lo liberar armas para a população se proteger. Cadê a fé? Cadê a confiança no livramento de Deus?




06/02


2019

Coluna da quinta-feira

União pela sobrevivência política

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Se os governadores do Nordeste não se mantiverem unidos para peitar Jair Bolsonaro com argumentos, discurso e estratégia, eles serão “tratorados” pelo presidente da República. Apesar da postura aparentemente institucional por parte da sua equipe, o mandatário já deixou claro que os gestores da região serão tratados como oposição porque não votaram nele. E opositor é opositor; não importa se é de Direita ou de Esquerda. Na primeira brecha que encontrar, Bolsonaro tentará alavancar um aliado seu no “território inimigo”, para usar uma linguagem militar. A tática é clara e antiga, até: minar os adversários para desqualificá-los em seguida. FHC fez isso com Arraes, por exemplo. Se o atual governo decolar na economia, aí é que essa postura ficará mais evidente.

Portanto, acertaram os governadores do Nordeste quando se anteciparam ao presidente e bateram com ênfase na tecla da necessidade de um novo Pacto Federativo. A bandeira é antiga; mas ganha cada vez mais a adesão entre os prefeitos. O movimento pode crescer e entrar na pauta do Congresso de uma vez por todas. A pressão política já teve início na carta dos governadores, divulgada, ontem, após eles se reunirem em Brasília. O Nordeste despontou como a resistência, a Quinta Coluna do enfrentamento político. Nesse processo, vale salientar, ninguém ainda se configurou como a “cara do movimento”. Talvez isso seja bom para preservar a unidade e a vontade dos envolvidos permanecerem no enfrentamento.

A estratégia, fundamental nesse embate, começa a ficar clara. Bolsonaro já entendeu. Por enquanto, seu capital político adquirido na campanha, e que foi pouco gasto nesse primeiro mês de mandato, é o seu trunfo. Essa gordura, porém, pode ser gasta na guerra pela aprovação da reforma da Previdência; uma pauta mais urgente que a disputa com os nordestinos, e da qual depende o futuro político do próprio presidente.

Os sinais, entretanto, são fortes. De ambos os lados. A queda de braço é iminente; vai estourar logo. Bolsonaro tem no seu time um cordão de governadores, do Sudeste e do Sul, ávidos por darem provas de lealdade. Nesse sentido, João Doria (SP), Wilson Witzel (RJ), Romeu Zema (MG), Ibaneis Rocha (DF), Ratinho Júnior (PR) e Eduardo Leite (RS) são os pontas de lança do presidente, que tentarão puxar o protagonismo de um movimento de governadores para si e para a pauta que definirem. A antecipação dos nordestinos, nesse aspecto, é outro ponto positivo, que vai se refletir na prática. A turma dessas bandas é disposta, tem garra e está pronta para o embate. Estão unidos pela sobrevivência política.

Outras bandeiras – Além da revisão do Pacto Federativo, os governadores do Nordeste cobraram de Jair Bolsonaro um debate mais amplo sobre a reforma previdenciária e os projetos de Lei para a segurança pública; além da proposição do novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A estratégia da carta com as reivindicações é boa para ser o ponto de partida. Cabe aos gestores, no entanto, a criação de novos fatos políticos na defesa de suas bandeiras.

Operações de crédito – Em paralelo à pauta dos governadores do Nordeste, o gestor de Pernambuco, Paulo Câmara, defendeu a revisão do Pacto Federativo durante reunião com o superministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília. O pernambucano também tratou da liberação da contratação de novas operações de crédito para o estado, reivindicação solicitada desde os tempos de Michel Temer. Guedes sinalizou, no encontro, que uma operação junto ao BID no valor de R$ 140 mi já está pronta para ser liberada.

Frente Parlamentar – Antes mesmo de os governadores do Nordeste provocarem o debate, o deputado federal Silvio Costa Filho já foi logo conseguindo 250 assinaturas para a criação de uma Frente Parlamentar Mista em Defesa do Novo Pacto Federativo. Agora, Costa Filho vai tratar da proposta com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Se continuar nessa pisada, Silvinho logo estará no Jornal Nacional, a exemplo do pai, Silvio Costa, que entrou no maior noticiário do país pouco tempo depois da sua chegada à Câmara.

Na pressão – Por falar em pressão dos governadores, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, aceitou mudar seu projeto de Lei conhecido como anticrime por pressão dos gestores estaduais, aí não apenas os nordestinos. Os governadores ganharam o apoio, nesse caso, do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal. A Moro não sobrou alternativa – ele teve que acatar as cobranças. O ex-juiz se tocou que vai precisar aparar arestas para levar seus planos adiante.

CURTAS

POLÊMICA – Já aconteceu a primeira polêmica no plenário da Alepe. Ontem, as Juntas quiseram retirar da votação um requerimento de Cleiton Collins criando uma frente em defesa da “família” e contra as drogas. Depois da explicação de que não poderiam rifar o pedido, as deputadas aceitaram entrar no colegiado e participar das discussões. Tudo graças à mediação de Priscila Krause e do presidente Eriberto Medeiros.

AQUI NÃO, MOURÃO! – Joel da Harpa subiu à tribuna da Alepe, ontem, para discursar. Depois de parecer que iria reivindicar para si o título de líder do bolsonarismo em Pernambuco, ele utilizou seu tempo foi para dar uma estocada no vice-presidente Mourão. Criticou o fato de o general ter se posicionado contra benefícios aos militares na reforma previdenciária. Mourão vem a Pernambuco dia oito de março, quando Joel pode reclamar pessoalmente.

VOCABULÁRIO – Inusitado o vocabulário que o líder da oposição, Marco Aurélio, tem utilizado nos seus primeiros discursos na Assembleia. Depois de “geringonça”, o parlamentar soltou um “mangaba” ao se referir a uma possível dica que estaria dando aos governistas sobre a atuação da bancada. Os novos deputados, por sinal, têm discursado muito na Alepe. 

Perguntar não ofende: Tinha necessidade de Carluxo postar uma selfie com o pai, Bolsonaro, quase nu, fazendo fisioterapia no hospital?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O mito só piora da facada, mas ninguém fala do Adélio Bispo. Só se lembram da condenação do Lula. Ó homem querido, né?

marcos

Agora fica provado, Lula é mais Ladrão do que Queiroz. Todo mundo sabia!

marcos

Lindbergh e Sérgio Cabral juntos em Bangu.

marcos

Vamos começar a campanha QUERO LULA NA PENITENCIÁRIA.

marcos

Lula o preso político ganhou mais 12 Anos de mandato. kkkk